Especiais ‘Lucca nasceu para salvar vidas’, diz goleiro do Cruzeiro que perdeu filho

‘Lucca nasceu para salvar vidas’, diz goleiro do Cruzeiro que perdeu filho

Elisson e mulher Gisele decidiram doar órgãos assim que tiveram confirmada morte do filho em Minas Gerais; coração hoje bate forte em bebê de 11 meses

Goleiro que perdeu filho

Goleiro Elisson perdeu filho Lucca, de 6 anos, depois de um acidente doméstico

Goleiro Elisson perdeu filho Lucca, de 6 anos, depois de um acidente doméstico

Reproduçaõ/Instagram/@elissomgoleirooficial

Elisson viu a ordem da vida ser invertida ao enterrar o filho. Ainda assim, o goleiro do Cruzeiro, que perdeu o pequeno Lucca, de 6 anos, no mês passado, tenta seguir adiante satisfeito com o pensamento de que ‘Lucca nasceu para salvar vidas e ajudar pessoas’. Junto com a mulher Gisele, eles decidiram doar o coração do menino.

Assim que foi confirmada a morte do menino, no Hospital Regional de Betim, nas proximidades de Belo Horizonte (MG), a família optou rapidamente em doar os órgãos. O coração, especificamente, hoje bate forte em Miguel, um bebê de 11 meses, que mora em São José do Rio Preto, a 430 km de São Paulo.

Leia mais: Dramas familiares prejudicaram Jonathas no Corinthians 

Lucca estava jogando futebol no quintal de casa e a bola acertou um armário. Com a bolada, o móvel caiu sobre a cabeça do menino, que sofreu traumatismo craniano e também perdeu muito sangue. Elisson chegou a anunciar a morte do menino no hospital, voltou atrás após a reação à estímulos até a morte cerebral ser mesmo confirmada.

“O Lucca é eterno e nunca vai deixar de ser”, disse Elisson, em entrevista ao R7. “Como pais, decidimos muito rapidamente ajudar as pessoas já que ele estava com todos os órgãos funcionando. Seria injusto deixar outro pai ou outra mãe sofrer uma dor insuportável igual eu e minha esposa sofremos.”

E mais: Luta contra câncer raro de Jairo mobiliza ação por ex-corintiano

Futebol encampou 'Lucca Eterno'

Futebol encampou 'Lucca Eterno'

Reprodução/Instagram/@elissomgoleirooficial

Ainda sem entender exatamente as razões do acidente doméstico, Elisson contou que, apesar da pouca idade, Lucca já tinha muita consciência em ajudar o próximo. Ele desde cedo percebeu que as condições de filho de goleiro campeão brasileiro pelo Cruzeiro em 2013 e 2014 era diferente da de crianças no semáforo.

“Quando parava no sinal, ele queria dar dinheiro para as pessoas que ficam na rua, perguntava se poderia comprar McDonald´s para eles. O coração dele era brilhante”, disse o pai, ainda emocionado pela perda que sabe que nunca irá superar. “O legado do Lucca era esse: salvar vidas, ajudar pessoas e mudar pensamentos. Foi o que ele fez.”

Veja também: Ela não para! Aos 49 anos, Arlene joga vôlei e em alto nível

O mundo do futebol tratou de prestar solidariedade à família e também impulsionar a campanha “LuccaEterno” nas redes sociais assim que soube do caso. Ex e atuais jogadores do Cruzeiro, principalmente, mandaram mensagens de apoio e tornaram a história da criança conhecida.

Dentro de campo, Elisson, hoje com 31 anos, chegou a ser anunciado no Vila Nova-MG para a temporada de 2019. O Cruzeiro, no entanto, entendeu que poderia oferecer auxílio ao jogador que chegou ao clube ainda criança, em 1998.

“Estamos conseguindo passar por tudo isso ainda, temos a vida inteira pela frente. Hoje o Lucca é eterno, o Lucca vive, o Miguelzinho também vive. Estamos triste pela perda, mas felizes por salvar tantas vidas. Onde as minhas mãos chegarem, as dele também vão chegar”, disse Elisson.

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Negócio fechado! As principais contratações do mercado da bola

    Access log