Silvio Lancellotti Por enquanto, na Champions, só Ajax e Liverpool preservam os 100%

Por enquanto, na Champions, só Ajax e Liverpool preservam os 100%

Em três jogos pela fase de chaves, os neerlandeses e os ingleses ganharam todos. Na primeira metade da 3ª rodada da competição, destaque para o triunfo do PSG e para o Milan, na última posição

A torcida no Johan Cruyff, do Ajax, em Amsterdã, a melhor performance da ChL até aqui

A torcida no Johan Cruyff, do Ajax, em Amsterdã, a melhor performance da ChL até aqui

@AFCAjax

Das 32 agremiações participantes da etapa de chaves da Champions League da Europa, somente seis, seis pontos em seis possíveis, chegaram com a performance perfeita, ou 100% de aproveitamento, à terceira rodada da disputa. Duas delas, o Bayern da Alemanha e a Juventus da Itália, apenas pisarão nos gramados nas partidas da quarta-feira, 19 de outubro. As quatro outras já se apresentaram nesta terça, dia 18, duas delas em crucial confronto direto. Ocorreu no Grupo C, em Amsterdã, Holanda, quando o Ajax recebeu o Borussia Dortmund da Alemanha, placar admirável de 4 a 0 para os “Filhos dos Deuses”.

O elenco do Ajax celebra com a sua plateia

O elenco do Ajax celebra com a sua plateia

@ChampionsLeague

Nos cotejos restantes, o Liverpool da Inglaterra, líder do Grupo B, visitou o Atlético de Madrid, Espanha, seu vice nos quatro pontos, e lhe sapecou incríveis 3 a 2, enquanto o surpreendente Sheriff Tiraspol da Moldávia, em visita a Milão, não resistia à Internazionale, um mero empate em duas porfias, e desabava, 1 a 3. Resumo: do Grupo A ao Grupo D, só permanecem duas agremiações, o Liverpool e o Ajax, com o seu belo tesouro ainda intocado. Na quarta, que ostentará mais oito pelejas, e em que se completará metade da fase de chaves, as duas equipes de seis pontos atuarão distantes dos seus domínios. O Bayern desafiará seu vice, o Benfica, quatro, em Portugal. E à Juve caberá o Zenit da Rússia, o terceiro classificado no seu Grupo H, três pontos, em São Petersburgo.


Os oito duelos do dia 19 de outubro:


GRUPO A
PSG (França) – 7pg
Manchester City (Inglaterra) – 6pg
Brugge (Bélgica) – 4pg
RB Leipzig (Alemanha) – 0pg

A alegria do City pelo sucesso longe de casa

A alegria do City pelo sucesso longe de casa

@ChampionsLeague

CLUBE BRUGGE 1 x 5 MANCHESTER CITY
Bruges, Jan Breydel Stadium, 29.062 lugares
Público: 24.915
Árbitro: István Kovács (Romênia)

Gols: Vanaken X João Cancelo, Mahrez/2/1pen, Walter, Palmer

Depois de meia hora de intensa pressão, um alçamento de Phil Phoden caiu precisamente no peito do ala João Cancelo, infiltrado na marca penal. O português aparou com espetacular categoria e anotou 1 a 0. Logo depois, aos 42’, DeBruyne enfiou a Mahrez, que foi atropelado por Knoki. Penal que o próprio Mahrez converteu, 2 a 0. Daí, protocolarmente, pacientemente, o City solapou os belgas e registrou um placar impiedosamente justo. O gol solitário do Brugges apenas saiu quando já estava 4 a 0. Detalhe: o resultado valeu para recolocar os ingleses na segunda posição do Grupo A, atrás dos franceses do PSG, adversários que, no returno, hospedarão em Manchester.

Messi e Ronaldinho, antes do jogo

Messi e Ronaldinho, antes do jogo

@PSG_Inside

PSG 3 x 2 RB LEIPZIG
Paris, Parc des Princes, 47.929 lugares
Público: 47.359
Árbitro: Marco Guida (Itália)

Gols: Mbappé, Messi2/1pen X André Silva, Mukiele

Poupado com dores musculares, consequência, diz-se, do seu esforço extra nos prélios do Brasil pelas Eliminatórias da Copa do Qatar, Neymar viu a porfia das tribunas, mas ao lado de honrosa companhia, Ronaldinho Gaúcho, que atuou pelo PSG de 2001 a 2003 e que foi aplaudidíssimo ao adentrar o gramado, antes do cotejo, e ganhar o abraço de Lionel Messi. Não deu sorte a dupla de brasileiros que torcia a distância. O seu time saiu à frente, 1 a 0, já aos 9’, lance de Drexler com Mbappé. Contudo, os visitantes não sucumbiram e viraram o marcador em dois lampejos de contraofensiva, aos 28’, com o português André Silva, e então aos 57’, ironia, com um gaulês, Mukiele. Daí, apenas um pênalti ridículo, empurrão ginasiano de Simakan em Mbappé, permitiu que Lionel Messi cravasse os 3 a 2.

Jogos já realizados:
MANCHESTER CITY 6 x 3 RB LEIPZIG
CLUB BRUGGE 1 x 1 PSG
RB LEIPZIG 1 x 2 CLUB BRUGGE
PSG 2 x 0 MANCHESTER CITY


GRUPO B
Liverpool (Inglaterra) – 9pg
Atlético de Madrid (Espanha) – 4pg
Porto (Portugal) – 4pg
Milan (Itália) – 0pg

Salah, no momento do arremate, Liverpool 1 a 0

Salah, no momento do arremate, Liverpool 1 a 0

@ChampionsLeague

ATLÉTICO DE MADRID 2 x 3 LIVERPOOL
Madrid, Metropolitano Stadium, 68.456 lugares
Público: 60.725
Árbitro: Daniel Siebert (Alemanha)

Gols: Griezmann/2 X Salah2/1pen, Keita

Duelo espetacular entre dois elencos ofensivos. De amarelo, antes dos 15’, os “Reds” da terra dos Beatles escancararam 2 a 0. Num lance magistral de Salah, que saiu da direita e driblou inimigos até a meia-lua para bater, de esquerda, no canto da meta de Oblak. E num foguete de Keita, de 25 metros, capaz de enfunar as redes dos donos da casa. A reação, todavia, ocorreu também em 15’. Aos 20, escorada de Griezmann num lance bem esquisito, em que Koke, impedido, pareceu atrapalhar o arqueiro Alisson Becker. E aos 34, com o mesmo Griezmann, tiro cruzado das redondezas da linha da área. Decidiria o jogo um penal de Hermoso em Diogo Jota, aos 76’, que Salah bateu com uma frieza polar. No tempo remanescente, prevaleceu a firmeza dos “Reds” contra a garra dos “Colchoneros”.

Luís Diaz, Porto 1 x 0 Milan

Luís Diaz, Porto 1 x 0 Milan

@ChampionsLeague

PORTO 1 x 0 MILAN
Estádio do Dragão, 50.035 lugares
Público: 32.130
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)

Gol: Luís Díaz

Absurdo imaginar que o Milan, na sua melhor temporada no “Nazionale” da Bota, sete vitórias e uma igualdade em oito pugnas de início de certame, consiga se apresentar de maneira tão grotesca numa Champions League. Padeceu para sobreviver à intensidade do Porto e, aos 66’, levou o justo gol do 1 a 0. Enquanto a sua defesa reclamava de uma falta de Taremi em Bennacer, o ágil Luís Diaz colheu a sobra e anotou o tento dos lusitanos.

Jogos já realizados:
LIVERPOOL 3 x 2 MILAN
ATLÉTICO DE MADRID 0 x 0 PORTO
MILAN 1 x 2 ATLÉTICO DE MADRID
PORTO 1 x 5 LIVERPOOL


GRUPO C
Ajax (Neerlândia) – 9pg
Borussia Dortmund (Alemanha) – 6pg
Sporting Lisboa (Portugal) – 3pg
Besiktas (Turquia) – 0pg

Cumprimentos do time do Sporting, depois do seu sucesso em Istambul

Cumprimentos do time do Sporting, depois do seu sucesso em Istambul

@ChampionsLeague

BESIKTAS 1 x 4 SPORTING
Istambul, Vodafone Park, 42.950 lugares
Público: 22.936
Árbitro: Slavko Vincic (Eslovênia)

Gols: Larin X Coates/2, Sarabia/pen, Paulinho

Na briga pela terceira colocação e uma vaga eventual de repescagem na Europa League, os impactantes “Leões” de Portugal definiram o triunfo já na etapa inicial, quando abriram uma folga de 3 a 1. E isso diante de uma das torcidas mais fanáticas do planeta.

O Ajax, nove pontos em nove disponíveis

O Ajax, nove pontos em nove disponíveis

@ChampionsLeague

AJAX 4 x 0 BORUSSIA DORTMUND
Amsterdã, Johan Cruyff Arena, 55.500 lugares
Público: 54.029
Árbitro: Jesús Gil Manzano (Espanha)

Gols: Reus/con, Blind, Antony, Haller

Um tento inacreditável, contra, de Marco Reus, logo aos 11’, abriu caminho para uma atuação magnífica do Ajax. Aconteceu na cobrança de uma falta, pelo flanco direito do ataque dos neerlandeses. Tadic bateu e o tedesco, numa tentativa estabanada de cortar, desviou rumo à própria rede, perplexo o arqueiro Gregor Kobel. Aos 25’, os 2 a 0 nasceriam de uma linda jogada do Ajax, vários toques de lado a lado até a aparada de Haller para o petardo de Blind, com efeito, de rosca, das imediações da meia-lua. Os outros gols se deveram à preciosa presença de Antony, o melhor disparado no combate.

Jogos já realizados:
BESIKTAS 1 x 2 BORUSSIA DORTMUND
SPORTING 1 x 5 AJAX
AJAX 2 x 0 BESIKTAS
BORUSSIA DORTMUND 1 x 0 SPORTING


GRUPO D
Sheriff (Moldávia) – 6pg
Real Madrid (Espanha) – 6pg
Internazionale (Itália) – 4pg
Shakhtar Donetsk (Ucrânia) – 1pg

A expressão de Kryvtsov, ao perceber que marcaria um gol contra

A expressão de Kryvtsov, ao perceber que marcaria um gol contra

@ChampionsLeague


SHAKHTAR DONETSK 0 x 5 REAL MADRID
Kiev, NSC Olimpiyskiy, 70.050 lugares
Público: 34.037
Árbitro: Srdan Jovanovic (Sérvia)

Gols: Kryvtsov/con, Vinícius Júnior/2, Rodrygo, Benzema

Obrigatório o triunfo dos “Merengues” da Espanha. E, no entanto, necessitaram de uma bizarrice de Kryvtsov, um ridículo tento contra, aos 37’, um desvio de longe da área maior, para se aliviarem numa contenda complicadíssima na Ucrânia. Porta arrombada. Ingênuo, inexperiente, bem mais fraco, o time de Donetsk não pôde evitar a goleada, enriquecida por tentos brasileiros, dois de Vinícius Júnior, ex-Flamengo, um de Rodrygo, ex-Santos.

O arremate de Dzeko, a Inter com 1 a  0 sobre o Sheriff

O arremate de Dzeko, a Inter com 1 a 0 sobre o Sheriff

@ChampionsLeague

INTERNAZIONALE 3 x 1 SHERIFF
Milão, Giuseppe Meazza, 75.923 lugares
Público: 43.305
Árbitro: Danny Makkelie (Neerlândia)

Gols: Dzeko, Vidal, De Vrij X Thill

Para os “Tifosi” da Inter, demorou uma infinidade, 34’, até que Edin Dzeko acertasse um sem-pulo esplêndido de canhota no desfrute de uma pelota que Vidal desviou de cocuruto depois de um escanteio levantado por DiMarco. O arisco Sheriff ainda igualou aos 51’, Thill. Porém, não teve munição para conter a impetuosidade da “Biscione”, a serpente mitológica de Milão. Vidal colocou a Inter na frente aos 56’, depois de um passe mágico de Dzeko em profundidade. E aos 67, consequência de um escanteio, o eficiente Dumfries encostou ao becão De Vrij que, numa virada de voleio, muito bonita, digna de um artilheiro, propiciou a primeira vitória da Inter, que também se alegrou com o tombaço do Milan, eterno rival.

Jogos já realizados:
SHERIFF 2 x 0 SHAKHTAR DONETSK
INTERNAZIONALE 0 x 1 REAL MADRID
SHAKHTAR DONETSK 0 x 0 INTERNAZIONALE
REAL MADRID 1 x 2 SHERIFF

A tabela do Grupo E

A tabela do Grupo E

@ChampionsLeague

GRUPO E
Bayern (Alemanha)
Benfica (Portugal)
Dinamo Kiev (Ucrânia)
Barcelona (Espanha)

Dia 20 de outubro:
BARCELONA x DYNAMO KIEV
Barcelona, Camp Nou, 99.354 lugares
Árbitro: Clément Turpin (França)

BENFICA x BAYERN
Lisboa, Estádio da Luz, 64.642 lugares
Árbitro: Ovidiu Hategan (Romênia)

Jogos já realizados:
BARCELONA 0 x 3 BAYERN
DYNAMO KIEV 0 x 0 BENFICA
BENFICA 3 x 0 BARCELONA
BAYERN 5 x 0 DYNAMO KIEV

A tabela do Grupo F

A tabela do Grupo F

@ChampionsLeague

GRUPO F
Young Boys (Suíça)
Atalanta (Itália)
Villarreal (Espanha)
Manchester United (Inglaterra)

Dia 20 de outubro:
MANCHESTER UNITED x ATALANTA
Manchester, Old Trafford, 74.140
Árbitro: Szymon Marciniak (Polônia)

YOUNG BOYS x VILLARREAL
Berna, Stadion Wankdorf, 32.000 lugares
Árbitro: Sergei Karasev (Rússia)

Jogos já realizados:
YOUNG BOYS 2 x 1 MANCHESTER UNITED
VILLARREAL 2 x 2 ATALANTA
ATALANTA 1 x 0 YOUNG BOYS
MANCHESTER UNITED 2 x 1 VILLARREAL

A tabela do Grupo G

A tabela do Grupo G

@ChampionsLeague

GRUPO G
RB Salzburg (Áustria)
Sevilla (Espanha)
Lille (França)
Wolfsburg (Alemanha)

Dia 20 de outubro:
LILLE x SEVILLA
Villeneuve-d’Ascq, Stade Pierre-Mauroy, 50.186 lugares
Árbitro: Michael Oliver (Inglaterra)

RB SALZBURG x WOLFSBURG
Salzburgo, Stadion Wals-Siezenheim, 31.895 lugares
Árbitro: Daniele Orsato (Itália)

Jogos já realizados:
SEVILLA 1 x 1 RB SALZBURG
LILLE 0 x 0 WOLFSBURG
RB SALZBURG 2 x 1 LILLE
WOLFSBURG 1 x 1 SEVILLA

A tabela do Grupo H

A tabela do Grupo H

@ChampionsLeague

GRUPO H
Juventus (Itália)
Chelsea (Inglaterra)
Zenit (Rússia)
Malmoe (Suécia)

Dia 20 de outubro:
ZENIT x JUVENTUS
São Petersburgo, Krestovsky Stadium, 64.468 lugares
Árbitro: Sandro Schaerer (Suíça)

CHELSEA x MALMOE
Londres, Stamford Bridge, 41.837 lugares
Árbitro: François Letexier (França)

Jogos já realizados:
CHELSEA 1 x 0 ZENIT
MALMOE 0 x 3 JUVENTUS
ZENIT 4 x 0 MALMOE
JUVENTUS 1 x 0 CHELSEA


Criada em 1955 pela Uefa, a entidade que administra o futebol no Velho Continente, a Champions então levava outra nomenclatura, Copa dos Campeões, e somente abrigava ganhadores dos campeonatos nacionais. Para os efeitos enciclopédicos, esta é a sua edição de número 67. Em 1993, porém, a Uefa a reformulou. De acordo com um ranking razoavelmente complicado, que considera os cotejos dos interclubes da Europa nas cinco temporadas anteriores, passou a admitir também outros times e a denominou Liga dos Campeões, ou Champions, ou ChL, agora já no seu 30º aniversário.

Uma lona, com o logo da Champions, de proteção contra a chuva

Uma lona, com o logo da Champions, de proteção contra a chuva

Uefa

Esta edição principiou com 80 agremiações, advindas de 54 das 55 afiliadas da Uefa. A única exceção, Liechtenstein, de sete clubes que participam dos campeonatos da Suíça.
Desde o seu começo, no dia 22 de junho, aliás, esta é uma competição absurda. Por exemplo, preservou 26 times de ranking superior e depositou os restantes 54 num moedor de eliminatórias de modo que sobrevivessem apenas seis. Nas eliminatórias, houve 93 duelos em que se registraram 245 tentos, a média de 2,63. Até aqui, nas chaves, em 40 duelos se registraram 121 gols, a média de 3,03. No global acumulado, em 133 combates, 366 tentos, média de 2,75. Público desta fase, até aqui: 1.220.229 espectadores, média de 30.507. Decisão em 25/5/2022, um sábado, no Krestovsky de São Petersburgo, Rússia.

Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o abraço virtual do Sílvio Lancellotti! Obrigadíssimo!

Últimas