Para o alívio da Juve, a sua vice Atalanta só empata com o Milan

Em visita ao San Siro, a "Deusa" esbarrou numa atuação preciosa do arqueiro Donnarumma, que inclusive brilhou ao salvar uma cobrança de penal

Donnarumma, o super-herói do Milan

Donnarumma, o super-herói do Milan

@ACMilan

Quinta-feira, dia 23 de Julho de 2020, cerca de 22h na Itália, cinco menos no Brasil. Em Ùdine, ao suplantar a Juventus por 2 X 1, a Udinese impede que a “Velha Senhora” de Turim arrebate, por antecipação, o título do “Calcio” nesta temporada, o seu 36º e, insolitamente, ineditamente, o nono consecutivo.

A festa da Udinese sobre a líder Juventus

A festa da Udinese sobre a líder Juventus

@Udinese_1906

Sexta-feira, dia 24 de Julho de 2020, cerca de 21h45 na Itália. Os torcedores da Juventus subitamente se tornam fanáticos pelo Milan, um dos seus rivais de antologia. O “Diavolo” da Lombardia, afinal, no cotejo de abertura da rodada 36 do Campeonato Nacional, vai receber a visita da Atalanta de Bérgamo. A “Senhora” tem 80 pontos. A “Dea” de Bérgamo, 74. Uma sua derrota permitirá que a Juve já abiscoite o “scudetto” no domingo 26, em casa, a Allianz Arena, diante da apenas esforçada Sampdoria. A Atalanta, acuadíssima, saiu atrás do Milan, 0 X 1. Conseguiu estabelecer o 1 X 1 e ainda passar aos 75 pontos. Mas, pouco, ou quase nada, no entanto para amedrontar a “Velha Senhora”.

O San Siro, vazio, à espera do cotejo

O San Siro, vazio, à espera do cotejo

@ACMilan

Meros 52,2 quilômetros de estrada excelente separam as cidades de Milão e Bérgamo. Em circunstâncias normais, a Atalanta colocaria ao menos 3.000 tifosi no San Siro, o estádio utilizado pelo “Diavolo”, de 80.018 lugares. Por causa da Covid-19, obviamente, se sabe, todos os prélios do “Calcio” se desenrolam sem platéia. Menos pressão e menos tensão. A “Dea”, porém, além de preservar as suas escassas esperanças de brigar pelo título, queria preservar a sua performance magnífica, uma invencibilidade de 17 partidas, 14 vitórias e três empates, graças a um ataque de fato avassalador, com 95 tentos, a média de 2,7. Ao menos a invencibilidade pôde resguardar.

Donnarumma, no momento da defesa do penal

Donnarumma, no momento da defesa do penal

@ACMilan

A disposição da Atalanta acabaria testada já nos começos do combate, o elenco do Milan estimulado pelo sucesso político da manutenção do seu treinador Stefano Pioli, a quem o dirigente Ivan Gazidis, um cartola insuportável, ameaçava de demissão. Saiu naturalmente o gol do 1 X 0, aos 14’, ainda que na cobrança de uma infração, um tiro delicioso do turco Hakan Calhanoglu, bem no ângulo da meta de Gollini. Pior para a “Dea”, aos 24’, Malinovskiy desperdiçaria um penal que ele mesmo sofrera, uma falta de Biglia. O arqueiro Donnarumma acertou o canto e neutralizou.

O resultado final do combate do San Siro

O resultado final do combate do San Siro

@Serie A Calcio

Ainda dentro da etapa inicial, uma distração da defesa do “Diavolo”, aos 34’, favoreceu a Atalanta. Um disparo de Freuler que Gabbia, na tentativa de rebater, meramente espanou, e que Duván Zapata desfrutou, na sobra, 1 X 1. A “Deusa”, porém, necessitava de um triunfo. E voltou do intervalo com um empenho multiplicado. Azar. Num par de situações Donnarumma fulgurou, elástico. Gian Piero Gasperini, o treinador da visitante, tentou de tudo para amealhar os três pontos. Inutilmente. Além de não acossar a líder, a Atalanta corre o risco de entregar a sua colocação à Internazionale, que tem 73 pontos e, neste sábado, pega um Genoa no limite da zona de rebaixamento.


Gostou? Clique num dos ícones para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião sobre este meu texto no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, use máscara. E fique com o meu abração virtual! Obrigadíssimo!