Silvio Lancellotti Para 2021/2022, uma revolução de verdade nas competições da UEFA

Para 2021/2022, uma revolução de verdade nas competições da UEFA

Com a criação de uma terceira divisão, a "Conference League", a UEFA compacta a Liga Europa e ainda acaba com o consolo da repescagem dos oito terceiros da fase de grupos da "Champions"

A taça da "Champions"

A taça da "Champions"

@ChampionsLeague

O triunfo do Chelsea sobre o Manchester City, 1 X 0 no sábado, dia 29 de Maio de 2021, marcou o desfecho de mais uma etapa na história das competições interclubes da Europa. Pode-se dizer que foi a edição de número 66 desde que a UEFA, em 1955, inventou a sua Copa dos Campeões. Ou que foi a edição de número 29 desde que, em 1992, a ampliou e a transformou em Liga dos Campeões, ou “Champions League”. Agora, a partir de 2021/2022, a entidade que organiza o Futebol no Velho Mundo promoverá uma revolução de fato.

O Chelsea, recém-ganhador da "Champions"

O Chelsea, recém-ganhador da "Champions"

@ChampionsLeague

Com a exceção de Liechtenstein, cujas sete agremiações formalmente atuam em certames da Suíça, todas as 54 outras afliadas à UEFA exibirão times na “Champions”, inclusive as Ilhas Far Oer e Gibraltar, que não passam de dependências da Dinamarca e da Inglaterra. Mas, além de ostentar 80 e não 79 clubes na sua relação de inscritos, a competição sofrerá uma transformação radical nos seus processos de qualificação, com a super-valorização dos melhores da fase de grupos. Mais: um comitê de análises da entidade recomendou que, nos mata-matas, em caso de igualdade de pontos, não mais prevaleça o conceito do gol qualificado, que sobrevive desde 1956. Aleksandar Ceferin, o presidente da entidade, já encaminhou a proposta ao Executivo que, provavelmente, referendará a sugestão.

A taça da Liga Europa

A taça da Liga Europa

@europaleague

Dos grupos aos mata-matas dos “playoffs”, prosseguirão os mesmos 16 times das copas anteriores. No entanto, aos terceiros de cada chave não restará nem mesmo o consolo de uma repescagem diretamente à fase de grupos da Liga Europa, espécie de Série B da UEFA. Os oito precisarão batalhar por suas vagas nas eliminatórias de qualificação da LE. Sem dizer que a LE sofrerá um enxugamento: ao invés dos 205 clubes de 2020/2021, se limitará ao máximo de 56 no seu global. E, ao invés dos doze grupos de quatro, terá só oito.

Ceferin e a taça da nova "Conference League"

Ceferin e a taça da nova "Conference League"

UEFA

E que fará a UEFA com a imensidão de relegados? Serão espezinhados, condenados a um desterro maior do que o provocado pela impiedade da Covid-19? Não, nada disso. Pela primeira vez desde que, em 1999, extinguiu a Copa dos Ganhadores de Copas, haverá uma terceira contenda interclubes no Velho Mundo. No caso, uma “Conference League”, ou Liga Conferência, com até 181 agremiações, inclusive uma de Liechtenstein. Depois de 284 prélios de mata-matas eliminatórios, promoverá 48 clubes à sua fase de doze grupos. Daí, desfecho de tão exaustiva maratona, ao vencedor, como galardão, além de um prêmio em dinheiro e do óbvio troféu, a UEFA garantirá a presença na Liga Europa subseqüente.

O distintivo da Federação do Liechtenstein

O distintivo da Federação do Liechtenstein

@LFV_Fussball

E existe mais uma peculiaridade capaz de tornar diferente do tradicional a “Champions” de 2021/2022. Em relação aos campeonatos de 2019/2020, nove, dentre as primeiras quinze nações do seu ranking, mostraram novos líderes em 2020/2021. Não acontecia no Futebol da Europa uma renovação tão alentada, tão auspiciosa, apesar da pandemia, desde 2011. Eis a lista dos ganhadores de cada certame e os outros classificados de cada federação:

1-INGLATERRA (100,140 pontos e quatro clubes) = O Manchester City, que não vencia a sua "Premier League" desde 2018, desbancou o Liverpool. Também estarão na CL, por ordem de posição, o Chelsea, o Manchester United e o Liverpool.

2-ESPANHA (97,712 pontos e quatro clubes) = Atlético de Madrid, que não vencia a sua "La Liga" desde 2014, desbancou o Real Madrid. Também na CL o Real Madrid, o Barcelona, o Sevilla e o Villarreal, este como o recém-campeão da Liga Europa.

Do Twitter da Internazionale

Do Twitter da Internazionale

@Inter

3-ITÁLIA (75,438 pontos e quatro clubes) = A Internazionale, que não vencia desde 2009, desbancou a eneacampeã Juventus. Também na CL o Milan, a Atalanta e a Juventus.

4-ALEMANHA (73,540 pontos e quatro clubes) = O Bayern de Munique somou o seu 11º título em sequência. Também na CL o RB Leipzig, o Borussia Dortmund e o Wolsfburg.

5-FRANÇA (56,081 pontos e três clubes) = O Lille, que não vencia desde 2011, desbancou o tricampeão PSG. Também na CL o PSG e o Monaco.

6-PORTUGAL (48,549 pontos e três clubes) = O Sporting de Lisboa, que não vencia desde 2000, desbancou o Porto. Também na CL o Porto e o Benfica.

7-NEERLÂNDIA (39,200 pontos e dois clubes) = O Ajax 2019, repetiu a façanha de 2019. Em 2000, por causa da Covid-19, o certame não acabou. Também na CL o PSV Eindhoven.

8-RÚSSIA (38,382 pontos e dois clubes) = Zenit bi. Também na CL o Spartak Moscow.

9-BÉLGICA (36,500 pontos e dois clubes) = Brugge bi. Também na CL o Genk.

10-ÁUSTRIA (33,375 pontos e dois clubes) = Salzburg hepta. Também na CL o Rapid Wien.

Rangers, o campeão da Escócia

Rangers, o campeão da Escócia

rangers.co.uk

11-ESCÓCIA (33,375 pontos e dois clubes) = O Rangers Glasgow, que não vencia desde 2011, desbancou o Celtic eneacampeão. Também na CL o Celtic.

12-UCRÂNIA (33,100 pontos e dois clubes) = O Dinamo de Kiev, que não vencia desde 2016, desbancou o tetra Shakhtar Donetsk. Também na CL o Shakhtar Donetsk.

13-TURQUIA 13 (30,100 pontos e dois clubes) = O Besiktas, que não vencia desde 2017, desbancou o Basaksehir, que ficou fora da próxima CL. Em seu lugar, o Galatasaray.

14-DINAMARCA (27,875 pontos e dois clubes) = O Brondby, que não vencia desde 2005, desbancou o Midtjylland. Que, vice, de todo modo, conseguiu manter a sua vaga.

15-REPÚBLICA TCHECA (26,600 pontos e dois clubes) = Slavia de Praga tri. Também na CL o  seu rivalérrimo Sparta de Praga.


Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião sobre este meu texto no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o meu abraço virtual! Obrigadíssimo!

Últimas