Acredite, mas a Covid-19 afetou até os esportes do gelo cá no Brasil

A CBDG, entidade que organiza as modalidades no País, mal havia inaugurado, em São Paulo, a Ice Arena, destinada a descobrir as promessas do futuro

Emílio Strapasson, astro do Skeleton

Emílio Strapasson, astro do Skeleton

Arquivo pessoal Emílio Strapasson

Claro, evidentemente, as intensidades e as conseqüências são, todas, muito diferentes. Em determinados casos, no entanto, os problemas e até os dramas provocados pela Covid-19 se disseminaram tão despercebidamente que nem chegaram a merecer uma devida atenção. Ora, quem imaginaria que uma pandemia afetaria, por exemplo, as atividades de quem pratica esportes no gelo cá no Brasil? Pois é, para quem não sabe, existem esportes no gelo por aqui. E há quem cuide do setor com destacável paixão.

Matheus Figueiredo

Matheus Figueiredo

CBDG

Caso do gaúcho Matheus Figueiredo, um especialista em gestão que, em 2017 e com mandato até 2021, assumiu a presidência da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo, CBDG, sete modalidades sob a sua administração: Bobsled, Curling, Hóquei, Luge, Patinação Artística, de Velocidade e Skeleton. Parece incrível mas, mesmo num País absolutamente tropical, quente, como o Brasil, desde a sua fundação, em 1996, a CBDG já enviou seus atletas a quatro edições dos Jogos Olímpicos de Inverno. E, sob a liderança de Figueiredo, audaciosamente inaugurou, em 25 de Janeiro de 2020, a Arena Ice Brasil.

O espaço da Patinação Artística

O espaço da Patinação Artística

FolhaPress/Lucas Seixas

Com 1.400m2, num terreno que funcionava como a doca de desembarque de mercadorias de um supermercado da rede Extra no bairro do Morumbi, cidade de São Paulo, a Arena abriga uma quadra de 500m2 para a Patinação e o Hóquei, três pistas de Curling com equipamentos trazidos do Canadá, um bar-lanchonete, uma loja e um mezzanino para encontros, reuniões, palestras e correlatos. A quadra e as três pistas trabalham como uma câmara frigorífica na qual apenas o piso permanece nos entornos do grau zero. A temperatura ambiente se mantém fria mas confortavelmente agradável.

As pistas de Curling

As pistas de Curling

CBDG

O lazer e o encontro das famílias e dos amigos à parte, a CBDG pretendia que a Arena funcionasse como a base da descoberta e da preparação de competidores do futuro, o seu centro de treinamento e de aperfeiçoamento, com um objetivo bem ambicioso: construir seleções permanentes em cada modalidade, de modo a obter resultados entre os dez melhores do planeta, na Patinação, até 2022. Investiu cerca de R$ 2,5 milhões. O complicador, porém, está nos custos de manutenção. Marcelo Unti, gerente da CDBG, estima que tal valor possa atingir, perigosamente, os R$ 120.000 ao mês.

Visão geral da Ice Arena Brasil

Visão geral da Ice Arena Brasil

CBDG

Em circunstâncias normais, o funcionamento da Arena já bastaria para pagar as contas e até sobrar dinheiro. Só em Fevereiro o espaço recebeu mais de 1.300 visitantes. Daí, no correr dos meses, alcançaria tranquilamente a média de 5.000. Sem falar no aluguel de horários para eventos e na cobrança de taxas de participação em cursos, oficinas e correlatos. Logicamente, o presente período, do Outono ao Inverno, tenderia a favorecer um aumento automático na freqüência. Pena que, no meio do caminho, aparecesse a pedra maléfica, insidiosa e implacável desse tal de Novo Coronavírus.

ARENA ICE BRASIL
icebrasil.esp.br
Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 16.741
Jardim Fonte do Morumbi
São Paulo/SP


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Obrigado. Fique em casa, que eu fico a dever um abração!