Copa das Confederações 2013

26/6/2013 às 18h01 (Atualizado em 26/6/2013 às 19h58)

Narrador ‘envelhece’ Forlán e transforma Fred em carioca durante transmissão

Galvão Bueno, sempre ele, errou mais do que de costume na partida entre Brasil e Uruguai

Do R7

Já virou folclore. Os bordões tradicionais e os equívocos de Galvão Bueno nas transmissões esportivas das partidas da seleção brasileira na Copa das Confederações divertem e, ao mesmo tempo, irritam os telespectadores. Nesta quarta-feira (26), durante o duelo entre Brasil e Uruguai, a situação não foi diferente.

Galvão Bueno, em um momento de total cultura inútil, tentou informar que Diego Forlán, craque da seleção uruguaia, tinha que ser bem marcado, pois havia sido eleito o melhor jogador da última Copa do Mundo.

O problema é que confundiu o país que sediou o evento, tirando a Copa da África do Sul e mandando para o México.
A última vez em que o México sediou uma Copa foi em 1986 e, para Forlán ter sido o craque da Copa do Mundo do México, teria que ter disputado a competição com sete anos de idade, pois nasceu em 1979.

Brasil vence Uruguai no sufoco e vai à final

Nervoso com a dificuldade do Brasil para pular à frente do marcador depois de o Uruguai conseguir o empate no início do segundo tempo, Galvão engatilhou uma sequência jamais vista de jargões.

O narrador começou com o famoso “é teste para cardíaco, amigo”, e finalizou com uma convocação à dupla de comentaristas, Casagrande e Ronaldo Fenômeno.

— É muito sofrimento ver jogo com eles. Eles chutam, tentam cabecear. É um sofrimento muito grande.

A julgar pelos comentários no Twitter, mais uma vez detonando o global, pode ter certeza que o povo brasileiro, ou pelo menos parte dele, também pensa assim.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!