Silvio Lancellotti Tóquio, Dia 10 - Uma medalha? Nem Zanetti e nem Rebeca...

Tóquio, Dia 10 - Uma medalha? Nem Zanetti e nem Rebeca...

Nas Argolas e no Salto os dois brasileiros não repetiram as ótimas performances com que sonhavam. E a ausência de ventos impediu a regata em que Martine Grael e Kahena Kunze tentariam o ouro.

Arthur Zanetti

Arthur Zanetti

Wander Roberto/COB

Quase pertenceu à Ginástica Artística, neste 2 de Agosto, o Dia 10 dos Jogos de Tóquio/2020. Até que Rebeca Andrade abiscoitasse, nesta XXXII Olimpíada, a prata no Solo e o ouro no Salto sobre a Mesa, o Time Brasil detinha quatro medalhas desde Moscou/1980, quando a carioca Cláudia Costa Magalhães representou o País pela primeira vez no evento. Em Londres/2012, então aos 21 de idade, Arhur Zanetti impactou ao arrebatar o ouro nas Argolas. Então, no Rio/2016, enquanto Zanetti ficava com a prata na sua especialidade, Diego Hypolito levantava a prata e Arthur Nory arrebatava o bronze, ambos nos exercícios do Solo. Pertenceu pela expectativa. Pena. Nem um único pódio.

Zanetti, em Londres 2012, medalha de ouro

Zanetti, em Londres 2012, medalha de ouro

COB

Diego se aposentou. Agora, em Tóquio, um tombo tirou Nory da contenda do Solo. Zanetti e Rebeca, no entanto, voltaram a lutar por uma posição no pódio. Ele, sempre nas Argolas, depois de avançar até a decisão com 14,900, a quinta melhor nota dentre 42 competidores. O líder das eliminatórias foi o grego Eleftherios Petrounias, seu rival de ouro no Rio. Ela, agora no Solo, depois de obter a nota 14,066 na fase de qualificação. Seria a quarta nota. Mas, com a triste desistência da norte-americana Simone Biles, que obtivera 14,133, se tornou a terceira, atrás da italiana Vanessa Ferrari, 14,166, e de Jade Carey, outra dos EUA, 14,100. Também lutou por medalha Caio Souza, no Salto  sobre o Cavalo, sétima nota, 14,700, perto dos 14,866 do sul-coreano Shin Jeahwan, o líder dos oito classificados.

Caio Souza

Caio Souza

Ricardo Bufolin/CBG

Desafortunadamente, a Ginástica não desfrutou a jornada que seria sua. Zanetti realizou uma exibição belíssima até o seu desfecho, quando tentou sair das Argolas com um triplo mortal e desabou com o seu rosto no acolchoado de proteção. Ficou na oitava posição, com 14,133, distante dos 14,900 da fase de classificação. Repetisse a sua nota, seria o quinto. Petrounias foi apenas o terceiro colocado. Caio realizou um bom primeiro Salto mas obteve apenas, de novo, a sétima nota, 14,666, menos do que os 14,700 das eliminatórias. Então, no segundo, arriscou e, também na saída, comprometeu a sua performance ao desabar sentado. Resignou-se à média de 13,683, a pior das oito, E, infelizmente, nem Rebeca conseguiu repetir a bela exibição original da sua qualificação, no Solo, com o “Funk da Favela”. Mesmo a penúltima a subir ao tablado, já sabedora das notas das suas adversárias, tirou uma bem inferior 14,033, quinto lugar. Nada a reclamar, todavia, de quem já havia encantado com um ouro e uma prata e com o ineditismo das duas medalhas num evento.

Rebeca Andrade

Rebeca Andrade

Ricardo Bufolin/CBG

Como, ausentes os ventos cruciais, a regata da Vela, a Medal Race da classe 49er de Martine Grael e Kahena Kunze foi adiada para a terça-feira, 3 de Agosto, a única chance de medalha do País no Dia 10 sobrou para o Atletismo, na prova feminina do Lançamento do Disco. O Time Brasil inscreveu três mulheres nessa competição. Andressa de Morais, melhor marca de 65m34. Fernanda Martins, 64m66. E Izabela da Silva, 62m18. Fernanda e Andressa, desafetas, compartilharam a tristeza de não se qualificarem à decisão. Nas eliminatórias, dentre 31 atletas, ambas ficaram longe dos seus primados pessoais. Andressa, meros 58m90. Fernanda, pior, 57,90. Valarie Allmann, dos EUA, liderou as contendoras, 66m42. 

Izabela da Silva

Izabela da Silva

FPAt

No caso de ao menos reprisarem as suas performances, Fernanda e Andressa teriam se classificado na terceira e na segunda posição. Izabela, melhor marca de 62m18, com 61m52 conseguiu passar à final no 12ª e último lugar. Na final, Iza fantasiava uma boa execução: nasceu em 2 de Agosto de 1995. Um chuvaréu interrompeu a prova quando as atletas tentavam a sua segunda chance de arremesso. Apenas as oito melhores prosseguiriam com mais três em busca da medalha. Com 60m39, Iza ocupava a 11ª posição, a 1m18 da possibilidade da vaga, Quando  a disputa recomeçou, Iza imediatamente queimou uma chance ao pisar fora da área regulamentar para o lançamento. Despediu-se com 59m56.


Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o abraço virtual do Sílvio Lancellotti! Obrigadíssimo!

Últimas