Suspenso, também, o Torneio dos Candidatos ao Mundial de Xadrez

Em Ekaterinburgo, na Rússia, o certame de turno e returno já havia atingido a sua metade quando o governo de Putin fechou as suas fronteiras aéreas

MVL e Nepo, os líderes da tabela depois da suspensão

MVL e Nepo, os líderes da tabela depois da suspensão

FIDE

São mesmo insondáveis as ironias do destino. O francês Maxime Vachier-Lagrave meramente conseguiu uma vaga no Torneio de Candidatos da FIDE, a Federação Internacional de Xadrez, programado para a Rússia, na cidade de Ekaterinburgo, depois que Telmour Radjabov, do Azerbaidjão, com medo da Covid-19, decidiu não participar. Capaz de uma platéia de mais de 500 pessoas na sua abertura, esse Torneio, com oito Grandes Mestres do jogo das 64 casas, permitiria que o campeão pudesse desafiar, pelo título mundial, ainda em 2020, o norueguês Magnus Carlsen, o detentor desde 2013. É, permitiria.

A saudação com os cotovelos de Nepo e Grischuk

A saudação com os cotovelos de Nepo e Grischuk

FIDE

Os adversários, diversas vezes, inclusive brincaram com os riscos da pandemia. Num prélio, os russos Alexander Grischuk e Ian Nepomniachtchi até se cumprimentaram às cotoveladinhas. O humor acabou, porém, nesta sexta, 27 de Março, quando o certame, partidas de todos contra todos, em turno e returno, atingia a sua metade e Vachier-Lagrave, o MVL, era o líder na tabela. Então, porque o governo de Vladimir Putin, também em função da Covid, decidiu fechar as fronteiras da Rússia por tempo não determinado, a FIDE considerou conveniente despachar os Candidatos de volta às suas casas.

Os oito Candidatos

Os oito Candidatos

FIDE

Dentro os oito GMs, há três nativos da Rússia: Grischuk, Nepomniachtchi e Kirill Alekseenko. E, além de Vachier-Lagrave, quatro forasteiros: os chineses, Ding Liren e Wang Hao, o norte-americano Fabiano Caruana, e Anish Giri, dos Países Baixos. Meu amigo e GM Rafael Leitão, gentilmente, aqui comenta o desenrolar do certame, até a FIDE decretar a sua interrupção: “O torneio teve um enredo digno de cinema. E o MVL conquistou um ponto importantíssimo ao suplantar o Nepo na sétima rodada, a última antes da suspensão. Agora, no entanto, temos mais perguntas do que respostas. Por exemplo: que fazer com o Radjabov, que teve suas suspeitas confirmadas? Ainda bem que todos conseguiram retornar sãos e salvos. Mas a a FIDE ficou com um problemão para resolver. Insistiu em realizar um Torneio que não deveria ter começado”.

Rafael Leitão

Rafael Leitão

Reprodução

Um maranhense de 40 de idade, GM desde os 18, Rafael também analisa, tecnicamente, a situação atual da tabela: “Meu favorito era o Caruana, que começou bem e depois decepcionou. E cedeu essa condição ao MVL e ao Nepo. Duas ótimas surpresas. O Vachier-Lagrave, aliás, era uma incógnita, pois não havia se preparado especificamente. E o Nepo é um jogador de altos e baixos, que pode ganhar e perder várias vezes, em sequência. Também se esperava muito do Ding Liren, que já sofreu três derrotas. Talvez a preocupação com a pandemia tenha atrapalhado seu jogo. O Grischuk, que já falou do seu incômodo com a Covid, não venceu e nem perdeu, embora seja o Anish Giri o rei dos empates. Do Alekseenko, bem, não se esperava mais do que já apresentou. Na minha opinião a briga fica entre o MVL, o Nepo e o Caruana. Mas quem pode dizer de que modo o Torneio recomeçará?”

Na platéia da abertura, na fila de baixo, uma máscara solitária

Na platéia da abertura, na fila de baixo, uma máscara solitária

FIDE

Claro que mesmo num Torneio de Candidatos de Xadrez existem os compromissos comerciais e mercadológicos - embora, obviamente, super-longe dos volumes aplicados no Futebol, no Basquete etcetera e tal. Por um momento, inclusive, a FIDE chegou a se orgulhar do fato inusitado de seu certame ser o único em andamento no planeta. Daí nada mais lógico que Arkady Dvorkovich, da Rússia, seu presidente, estivesse constrangidíssimo quando anunciou a interrupção. Não se trata, afinal, apenas, de devolver os enxadristas às suas famílias. Também existem os árbitros, os fiscais das pugnas, os cartolas, os jornalistas, cerca de duzentos estrangeiros envolvidos direta ou indiretamente na competição. Era crucial repatriá-los, integralmente. A FIDE, menos mal, informou que bancaria todas as suas despesas.

Dvorkovich, o presidente da FIDE

Dvorkovich, o presidente da FIDE

chess.com

Frase textual de Dvorkovich: “Claro que teremos algum prejuízo. Mas, isso não importa. Os nossos apoiadores e patrocinadores concordaram que a prioridade foi garantir a segurança de todos.” O presidente não soube informar sobre a duração da suspensão: “Há quem pense em dois ou três meses. Talvez seis. E certamente encontraremos um mundo diferente quando esta crise terminar. Eu creio, um mundo que nos verá muito mais fortes.” Dvorkovich, aliás, compensou o seu embaraço com a esperança: “Não tenho dúvidas. A luta pelo título ocorrerá, com certeza. em 2020”.

Detalhe do cenário do Torneio

Detalhe do cenário do Torneio

FIDE

Eis a classificação do Torneio, depois de sete rodadas (no Xadrez, a vitória vale um ponto e o empate concede 1/2 a cada adversário de tabuleiro):

1) Vachier-Lagrave e Nepomniachtchi com 4 1/2 (o francês, contudo, tem a vantagem do triunfo no cotejo direto entre ambos)

3) Caruana, Giri, Wang Hao e Grischuk com 3 1/2

7) Ding Liren e  Alekseenko com 2 1/2

Eis os prélios da rodada de número 8 (em primeiro lugar, aparece o nome de quem vai usar as peças brancas e, por isso, tem a vantagem de escolher o lance de Abertura):

Fabiano Caruana X Maxime Vachier-Lagrave
Wang Hao X Ding Liren
Ian Nepomniachtchi X Anish Giri
Kirill Alekseenko X Alexander Grischuk

Links úteis:

www.rafaelleitao.com
www.fide.com


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Obrigado. E continue a cumprimentar com os cotovelos!