Silvio Lancellotti Oitavas da Champions, data 3: bem a Juventus e muito bem o Chelsea.

Oitavas da Champions, data 3: bem a Juventus e muito bem o Chelsea.

Com um gol de Vlahovic, logo na sua estreia na Europa, aos 33", a "Senhora" sai de Villarreal com um resultado confortável, 1 X 1. E os londrinos batem o Lille, 2 X 0, e agora só necessitam de um empate.

A virada, de direita, do canhoto Vlahovic, gol da Juventus em Villarreal

A virada, de direita, do canhoto Vlahovic, gol da Juventus em Villarreal

@ChampionsLeague

Com as quatro partidas desta semana se completam as oito da jornada de ida das oitavas de final da Champions League da Europa na temporada de 2021/2022. Houve duas porfias nesta terça-feira, 22 de Fevereiro. E haverá mais duas na quarta, dia 23. Numa decisão fundamental, a UEFA, a entidade que administra o Futebol no Velho Continente, aboliu uma regra datada de 1995: nos mata-matas, em caso de uma igualdade em pontos e de mesma diferença de gols, já não contam mais em dobro aqueles anotados no campo do adversário. Agora, todos os impasses, ao se encerrarem as porfias de volta, se solucionarão com uma prorrogação e com uma eventual loteria de penais. Eis as sínteses dos jogos desta terça:

Havertz e Pulisic, os autores dos tentos do Chelsea

Havertz e Pulisic, os autores dos tentos do Chelsea

@ChampionsLeague

CHELSEA (Ing) 2 X 0 LILLE (Fra)
Londres, Stamford Bridge, 41.837 lugares
Público: 38.832
Árbitro: Jesús Gil Manzano (Espanha)
Gols: Havertz, Pulisic
Retorno em 16 de Março

Favoritíssimos os “Blues”, invictos nas únicas duas vezes em que desafiaram os “Mastins”, duas vitórias, 4 X 2 nos gols. E a realidade principiou a se atestar logo aos 8’, em um corner levantado por Ziyech. Impressionante a forma com que Havertz invadiu a grande área, se desviou de um batalhão de beques e testou, pouquinho adiante da marca do pênalti, uma bola que raspou o travessão, sem chance alguma para o arqueiro Leo Jardim. Livres-atiradores, os visitantes fizeram além do que poderiam para acossar os hospedeiros. Fulgurou, então, o brasileiro Thiago Silva, o solidérrimo pilar da proteção do Chelsea à frente da meta de Mendy. A vitória dos londrinos, todavia, se consolidaria aos 63’, num passe delicioso de Kanté a Pulisic, que ignorou três inimigos, invadiu a área do Lille e mansamente tocou à saída de Leo Jardim. Placar injusto, mas natural e lógico. E o Chelsea vai à França em busca de um mero empate. Bem viável que siga às quartas de final.

Os abraços a Parejo, o responsável pelo empate do Villarreal

Os abraços a Parejo, o responsável pelo empate do Villarreal

@ChampionsLeague

VILLARREAL (Esp) 1 X 1 JUVENTUS (Ita)
Villarreal, Estádio de la Cerámica, 23.500 lugares
Público: 17.686
Árbitro: Daniel Siebert (Alemanha)
Gols: Parejo X Vlahovic
Retorno em 16 de Março

Um duelo inédito na história das duas agremiações, e a estreia do sérvio Dusan Vlahovic, o DV7 da “Senhora” visitante, numa Champions League. Pois em 33 segundos o DV7 demonstrou a sua potência e a sua habilidade. Um passe longo de Danilo, a matada no peito e a linda virada de destra, ele que é canhoto, pouco além da entrada da área, pelota no canto oposto do atônito Rulli. Claro que sobraria tempo para o Villarreal se recuperar. Até em honra da sua torcida, que não cessou de estimular os seus rapazes. No miolo da retaguarda da Juve, porém, brilhou o neerlandês Matthijs De Ligt, um verdadeiro baluarte.

Um outro ângulo da virada de Vlahovic

Um outro ângulo da virada de Vlahovic

@JuventusFC

O travessão e o reflexo do arqueiro Szczesny também se destacaram na preservação do 1 X 0 até o intervalo. Fez bastante falta, à “Senhora”, a competência do lesionado Paulo Dybala na transição da intermediária à ofensiva. E, por via das dúvidas, o treinador Max Allegri fortaleceu a sua retaguarda com a entrada de Leo Bonucci no lugar de Alex Sandro, improvisado como central. Do outro lado, carente de talentos individuais, o adversário Unal Emery precisou exagerar nos toques laterais. De todo modo, aos 66’ ocorreria o empate num vacilo de Rabiot, que deixou Parejo despontar às suas costas e se infiltrar na área após uma enfiada de Capoue, 1 X 1. A desfalcada Juve pode se qualificar com o 1 X 0 em casa.


Os jogos de 23 de Fevereiro, quarta-feira

BENFICA (Por) X AJAX (Nee, ex-Hol)
Lisboa, Estádio da Luz, 64.642 lugares
Árbitro: Slavko Vincic (Eslovênia)
Retorno em 15 de Março

ATLÉTICO (Esp) X MANCHESTER UTD (Ing)
Madrid, Estádio Wanda Metropolitano, 68.456 lugares
Árbitro: Ovidiu Hategan (Romênia)
Retorno em 15 de Março


Jogos efetuados em 15 de Fevereiro:

SPORTING (Por) 0 X 5 MANCHESTER CITY (Ing)
Lisboa, Estádio José Alvalade, 50.095 lugares
Público: 48.129
Árbitro: Srdjan Jovanovic (Sérvia)
Gols: Mahrez, Bernardo Silva/2, Foden, Sterling
Retorno em 9 de Março

O momento do gol de Mbappé, do PSG

O momento do gol de Mbappé, do PSG

@ChampionsLeague

PSG (Fra) 1 X 0 REAL MADRID (Esp)
Paris, Parc des Princes, 47.929 lugares
Público: 47.443
Àrbitro: Daniele Orsato (Itália)
Gol: Mbappé
Retorno em 9 de Março


Jogos efetuados em 16 de Fevereiro:

RB SALZBURG (Aus) 1 X 1 BAYERN (Alemanha)
Salzburgo, Stadion Salzburg, 31.895 lugares
Público: 25.520
Árbitro: Michael Oliver (Inglaterra)
Gols: Adamu X Coman
Retorno em 8 de Março

O momento do gol de Roberto Firmino, do Liverpool

O momento do gol de Roberto Firmino, do Liverpool

@ChampionsLeague

INTERNAZIONALE (Ita) 0 X 2 LIVERPOOL (Ing)
Milão, Stadio Giuseppe Meazza, 75.923 lugares
Público: 37.918
Árbitro: Szymon Marciniak (Polônia)
Gols: Firmino, Salah
Retorno em 8 de Março


Esta Champions League agora desembarca na 67ª edição desde a sua criação, em 1955, como Champions Cup, a 30ª desde sua ampliação em 1993. Começou, no dia 22 de Junho de 2021, com 80 agremiações de 54 das 55 federações da UEFA. Única e curiosa exceção, Liechtenstein, de sete equipes que participam, a convite, de campeonatos da Suíça. Na atual formatação, preservou os 26 clubes de ranking superior e colocou os outros 54 num moedor de eliminatórias, de modo que, em mata-matas, sobrassem só seis. Esses resistentes, mais os 26 privilegiados, ou 32, acabaram divididos por sorteio em oito chaves de quatro. Sobreviveram os campeões e os vices de cada Grupo. Os terceiros colocados, consolo, mereceram a oportunidade de uma repescagem nos playoffs da Europa League.

Um cartaz da final, em São Petersburgo

Um cartaz da final, em São Petersburgo

Reprodução

No dia 11 de Dezembro, com os times divididos em dois  potes, um para os campeões, outro para os vices, ocorreu um novo bingo e se estabeleceram os desafios de ida e de retorno das oitavas de final, os  campeões com a primazia de mandar as pugnas de volta. Evitaram-se os confrontos de clubes de mesmo país e de mesmo Grupo. Na soma de todas as fases desta CL, desde o moedor das eliminatórias até os desafios desta quarta-feira, aconteceram 195 jogos e se anotaram 556 tentos, a média de 2,85. E ainda, num continente que, aos solavancos, escapa da impiedade que a Covid-19 perpetrou, se revelou excelente a afluência de público aos estádios da competição. Da fase das chaves em diante, 3.207.123 espectadores presenciaram 102 porfias, média de 31.442. A UEFA, entidade que organiza o Futebol no Continente, projetou as quartas de final para 5/6 e 12/13 de Abril, as semis para 26/27 de Abril e 3/4 de Maio, e a grande decisão para um sábado, dia 28 de Maio de 2022, na belíssima Krestovsky Arena de São Petersburgo, no Noroeste da Rússia.


Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o abraço virtual do Sílvio Lancellotti! Obrigadíssimo!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas