Silvio Lancellotti O Corinthians joga bem mas, pelo VAR, cede o empate ao Flamengo

O Corinthians joga bem mas, pelo VAR, cede o empate ao Flamengo

Depois de 7' de consulta, Leandro Vuaden confirma o 1 X 1, tento de Gabigol, que havia invalidado ao apontar, equivocadamente, o seu impedimento

Detalhe da presença da "Fiel" na Arena do Corinthians

Detalhe da presença da "Fiel" na Arena do Corinthians

@MeuTimao

Na sua Arena ainda-sem-nome de Itaquera, diante de 34.747 espectadores, neste domingo, dia 21 de Julho de 2019, pelo Brasileirão, o Corinthians hospedou o Flamengo com três propósitos na sua relação de metas. Claro, vencer, subir aos 18 pontos com um jogo atrasado a se realizar, e se aproximar um pouco mais do Palmeiras, o líder do certame nos 26. Consolidar a sua posição entre os quatro melhores, na chamada Zona de Classificação à próxima Libertadores. E perpetrar a  sua vingança contra o responsável pelo seu fracasso na Copa do Brasil, de quem perdeu os três últimos duelos sem anotar um único gol. Ficou no placar de 1 X 1 e frustrou a sua torcida ao sofrer a igualdade num lance em que o VAR foi adequadamente determinante.

Santos 1 X 0 Botafogo, a euforia de Marinho, o autor do tento

Santos 1 X 0 Botafogo, a euforia de Marinho, o autor do tento

@SantosFC

Quando o combate da Arena se iniciou uma revolução já tinha remexido na tabela do certame. No sábado, o Ceará havia batido o Palmeiras por 2 X 0. Mais cedo, o Santos havia suplantado o Botafogo por 1 X 0 e assumido o topo da tabela ao lado do “Verdão”, nos 26 pontos. O “Timão” e o “Urubu”, de fato, principiaram fogosamente o prélio de Itaquera. Apenas principiaram. Pois, ao se encerrarem os 45’ do primeiro tempo, além de uma bela intervenção de Diego Alves, o arqueiro do Flamengo, e de uma tolice de Cássio, o seu rival na meta do Corinthians, numa bola mal atrasada, o 0 X 0 permanecia inabalável.

Júnior Urso, Clayson e Pedrinho, na comemoração do gol do "Timão"

Júnior Urso, Clayson e Pedrinho, na comemoração do gol do "Timão"

@MeuTimao

Aos 57’, todavia, num lance fulminante, Pedrinho lançou Fagner que lançou Vagner Love, derrubado por Berrío, um pênalti evidente que o mediador Leandro Vuaden não hesitou em marcar. Apenas esperou uma confirmação protocolar do VAR. Diego Alves saltou no rumo destro e Clayson acertou o lado oposto, “Timão” 1 X 0. Claro, compelido à reação, Jorge Jesus, o treinador do “Urubu”, mandou o seu elenco à frente. E o “Mosqueteiro” de Fábio Carille passou a desfrutar os contra-ataques. Coube ao VAR, de todo modo, a decisão mais demorada e mais tensa da pugna, quase 7’, para aprovar, aos 90, o empate de Gabigol, acontecido aos 83. Uma dúvida a respeito da legalidade da posição do avante depois de um corner. Era legítima tal posição.

Incrível mas verdadeiro: na Arena, um torcedor igualzinho ao Gabigol

Incrível mas verdadeiro: na Arena, um torcedor igualzinho ao Gabigol

@Flamengo

A ironia 1: o gol de Clayson nasceu do primeiro pênalti em favor do “Timão” em todo o ano de 2019. A ironia 2: no fim das contas, apesar do resultado final de 1 X 1, o elenco de Carille realizou a sua melhor exibição no Brasileiro. Desde o prélio inaugural, Corinthians 2 X 1 (um amistoso no campo da Rua Paissandu, Rio, em 1º de Dezembro de 1918), até o mais recente, Flamengo 1 X 0 (no Maracanã, o jogo da eliminação do “Timão” na Copa do Brasil, dia 4 de Junho último), o cotejo deste domingo foi o de número 137 na longa antologia do “Encontro das Nações”, que ganhou tal batismo por envolver as maiores torcidas do País. Na classificação do Campeonato, agora o “Urubu” acumula 21 pontos em 33 disponíveis. Em 30 possíveis o “Mosqueteiro” tem 16. Poderá, contudo, subir ao degrau dos 19 caso, em sua partida recuperada, supere o Goiás. A peleja está programada para dia 7 de Agosto.


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Muito obrigado. E um grande abraço.