Silvio Lancellotti Já na abertura da Euro2020, uma aula de proteção contra a Covid-19

Já na abertura da Euro2020, uma aula de proteção contra a Covid-19

Sucesso tranquilo da Itália sobre a Turquia, 3 X 0, na primeira partida da competição, com público no Olímpico de Roma e uma impressionante demonstração de como cuidar da segurança

A Itália, de branco, um triunfo sossegado na abertura da Euro2020

A Itália, de branco, um triunfo sossegado na abertura da Euro2020

@EURO2020

Oficialmente, no Olímpico de Roma, cabem 73.261 espectadores. Porém, para o jogo da “Squadra Azzurra” da Itália contra os “Bizim Çocuklar”, os “Nossos Rapazes” da Turquia, nesta sexta-feira, dia 11 de Junho, as razões de segurança exigiram que se oferecessem apenas 15.948 ingressos. O jogo valeu como abertura da 60ª edição da grande competição de seleções do  continente, originalmente programada para 20 de Julho do ano passado e adiada pela Covid-19. E não foi fácil entrar no Foro Olímpico, o endereço do estádio.

O exterior do Olímpico de Roma, na abertura da Euro2020

O exterior do Olímpico de Roma, na abertura da Euro2020

@Euro2020

De acordo com o projeto “Stadio Sicuro”, formalizado pelo Governo da Bota, pela Federcalcio, a Liga de Clubes e a UEFA, a entidade que organiza o Futebol na Europa, quem quis ver o jogo no Olímpico necessitou atestar que ou já havia se curado da Covid-19 até seis meses atrás, ou que já tinha completado o seu ciclo de vacinação quinze dias antes, ou que fôra negativado num teste de infecção com 48 horas de prazo. E, ainda assim, precisou superar uma batelada de obstáculos: medição de temperatura nos 48 portões de acesso; distribuição estratégica do público em blocos diferentes das arquibancadas; fiscalização por câmeras capazes de captar calor e também de calcular o crucial distanciamento físico.

Apesar da pandemia, uma festa compacta mas digna no Olímpico de Roma

Apesar da pandemia, uma festa compacta mas digna no Olímpico de Roma

@Euro2020

Não bastassem tantos dispositivos tecnológicos, através das arquibancadas do Olímpico a administração da Euro distribuiu 3.000 super-treinados “stewards”, inclusive capazes de algum atendimento de primeiros socorros. E o CONI, o Comitê Olímpico Nacional da Itália, responsável pelo estádio, ainda se preocupou em estruturar um espaço reservado ao imediato isolamento de potenciais positivos de contaminação. Peço vênia para, aqui, abrir parênteses e lançar uma pergunta fundamental: terão a Conmebol e a CBF pensado em prover a Copa América de ao menos umporcentozinho dessas determinações de proteção? Enquanto, claro, a resposta não vem, retorno à Euro e ao combate Itália X Turquia.

A "Squadra Azzurra" da Itália

A "Squadra Azzurra" da Itália

Reprodução

Grupo A – Sedes: Azerbaidjão e Itália
GALES, ITÁLIA, SUÍÇA, TURQUIA

Classificação:
ITÁ – 1jog = 1v/0e/0d – 3gp X 0gc
GAL – 0jog = 0v/0e/0d – 0gp X 0gc
SUÍ – 0jog = 0v/0e/0d – 0gp X 0gc
TUR – 1jog = 0v/0e/1d – 0gp X 3gc

ITÁLIA 3 X 0 TURQUIA
Roma, Itália, Stadio Olìmpico
Público: 12.916
Árbitro: Danny Makkelie (Neerlândia)

Gols: Demiral/con, Immobile, Insigne

A formação da Itália que iniciou a peleja com a Turquia

A formação da Itália que iniciou a peleja com a Turquia

@EURO2020

Depois de uma compacta porém digna festa de abertura, com Andrea Bocelli a homenagear a Itália e Bono Vox a celebrar a Turquia, a “Squadra Azzurra” correu atrás da sua peleja de número 28 sem perder, 24 vitórias e só três empates sob Roberto Mancini desde a Copa da Rússia em 2018. O ex-craque da seleção, um “trequartista” de estilo clássico e elegante, soube combinar, à melhor defesa da Europa nos últimos cinco anos, um ataque eficiente, com três atletas municiados por armadores sempre ofensivos.

O momento do autogol de Demiral, número 3, de frente

O momento do autogol de Demiral, número 3, de frente

@EURO2020

Na etapa inicial, dominou integralmente as ações. Pediu quatro penais, um que houve e mais três que Makkelie ignorou porque não existiram. E ainda provocou duas acrobacias do elástico arqueiro Ugurcan Çakur. O tento, contudo, não surgiu. No intervalo, Mancini colocou Di Lorenzo, ex-armador que, no Napoli, se transformou em ala, no lugar do zagueiro Florenzi. No elenco otomano, Senol Gunez trocou Yazici por Under, um atacante por outro – Under, todavia, pertencente à Roma, equipe que atua no Olímpico. E o gol da Itália, ironia, sairia de um infortúnio de outro atleta da Serie A. Aos 53’, pela direita, Berardi cruzou na pequena área. De peito, Demiral, da Juventus, enviou à sua própria meta.

Insigne, Jorginho e Barella

Insigne, Jorginho e Barella

@EURO2020

Ironia dupla, aliás: até então, nos sessenta anos da Euro de seleções ainda não havia ocorrido um autogol na sua pugna de abertura. Lógico que os “Bizim Çocuklar” se desnortearam. E lógico que a “Azzurra” se locupletou e voltou a investir pelos flancos até que, aos 66’, o lateral Spinazzola bateu forte da linha da área grande e Çakur rebateu bem no rumo de Immobile que desferiu os 2 X 0. Muitíssimo melhor, aos 79’, agora graças a uma tabela deliciosa com Immobile, Insigne, o outro “cannoniere” da Itália, arrematou de bate-pronto, 3 X 0. Uma estréia belíssima da dona da casa. Euforia na capital da Bota.                      

Dia 12
GALES X SUÍÇA
Baku, Azerbaijdão, Olympic Stadium
Árbitro: Clément Turpin (França)

Bélgica

Bélgica

Reprodução

Grupo B – Sedes: Dinamarca e Rússia
BÉLGICA, DINAMARCA, FINLÂNDIA, RÚSSIA

Dia 12
DINAMARCA X FINLÂNDIA
Copenhague, Dinamarca, Parken Stadium
Árbitro: Anthony Taylor (Inglaterra)
RÚSSIA X BÉLGICA
São Petersburgo, Rússia, Krestovsky Stadium
Árbitro: Antonio Mateu Lahoz (Espanha)

Ucrânia

Ucrânia

Reprodução

Grupo C – Sedes: Neerlândia e Romênia
AÚSTRIA, NEERLÂNDIA, MACEDÔNIA DO NORTE, UCRÂNIA

Dia 13
ÀUSTRIA X MACEDÔNIA DO NORTE
Bucareste, Romênia, Arena Nationalà
NEERLÂNDIA X UCRÂNIA
Amsterdam, Neerlândia, Johan Cruijff

Inglaterra

Inglaterra

Reprodução

Grupo D – Sedes: Escócia e Inglaterra
CROÁCIA, ESCÓCIA, INGLATERRA, REPÚBLICA TCHECA

Dia 14
INGLATERRA X CROÁCIA
Londres, Inglaterra, Wembley Stadium
ESCÓCIA X REPÚBLICA TCHECA
Glasgow, Escócia, Hampdem Park

Espanha

Espanha

Reprodução

Grupo E – Sedes: Espanha e Rússia
ESLOVÁQUIA, ESPANHA, POLÔNIA, SUÉCIA

Dia 14
POLÔNIA X ESLOVÁQUIA
São Petersburgo, Rússia, Krestovsky Stadium
ESPANHA X SUÉCIA
Sevilha, Espanha, Estadio La Cartuja

Alemanha

Alemanha

Reprodução

Grupo F – Sedes: Alemanha e Hungria
ALEMANHA, FRANÇA, HUNGRIA, PORTUGAL

Dia 15
HUNGRIA X PORTUGAL
Budapeste, Hungria, Puskàs Arena
ALEMANHA X FRANÇA
Munique, Alemanha, Allianz Arena


O regulamento permite que, nos grupos, as seleções das onze cidades escolhidas como sedes atuem, pelo menos,  duas vezes nos seus domínios. A Itália, a Neerlândia e a Espanha caíram em chaves em que não há representantes de outras sedes. Assim, mesmo sem a eventual presença de torcedores, levam a vantagem de mandar três cotejos.  No caso do Grupo B, em que a Dinamarca e a Rússia são anfitriãs, caberá aos daneses, pelo ranking, abrigar o seu desafio contra os ex-soviéticos. No Grupo D, a Inglaterra receberá o combate com a Escócia. E, no Grupo F, será a Alemanha a hospedeira da partida diante da Hungria.

A Taça da Euro de Seleções

A Taça da Euro de Seleções

UEFA

Definidas, nos grupos, as campeãs e as vices, também se resgatarão as quatro melhores terceiras colocadas. E daí as 16 remanescentes se digladiarão, de 27 a 30 de Junho, nos emparceiramentos das oitavas-de-final, que viajarão por Londres, Dublin, Glasgow, Amsterdam, Copenhague, Bilbao, Budapeste e Bucareste. As quartas-de-final, 3 e 4 de Julho, ocorrerão em Roma, Munique, São Petersburgo e Baku. Daí, nos dias 7, 8 e 12 haverá as semis e a briga pelo título no magnífico templo de Wembley, Londres, Inglaterra.


Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião sobre este meu texto no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o meu abraço virtual! Obrigadíssimo!

Últimas