Silvio Lancellotti Impacto, os visitantes Atlético de Madrid e Benfica vencem na ChL

Impacto, os visitantes Atlético de Madrid e Benfica vencem na ChL

Os "Colchoneros" eliminaram o Manchester United, num jogo em que Cristiano Ronaldo só reclamou e não viu a bola. E a "Águia" bateu o Ajax, do goleador Haller, outro que mal pegou na pelota.

A testada decisiva de Renan Lodi, do Atlético de Madrid

A testada decisiva de Renan Lodi, do Atlético de Madrid

@ChampionsLeague

Da Alemanha, o Bayern. Da Espanha, o Real Madrid. Da Inglaterra, o Liverpool e o Manchester City. Com os seus sucessos desta terça-feira, 15 de Março, os dois visitantes, o Benfica de Portugal e o Atlético de Madrid da Espanha, surpreendentemente, nas quartas de final da Champions League, ou Liga dos Campeões, a ChL da Europa, versão 2021/2022, capturaram as vagas que pareciam bem asseguradas aos anfitriões da ocasião, o Ajax da Neerlândia, ex-Holanda, e o Manchester United da Inglaterra. Já não estava nas quartas um dos dois super-astros da Champions nas últimas décadas, Lionel Messi, do PSG eliminado pelo Real Madrid. Nesta terça se despediu Cristiano Ronaldo, o CR7 do Manchester United.

A festa dos "Encarnados" do Benfica, de preto total

A festa dos "Encarnados" do Benfica, de preto total

@ChampionsLeague

Aliás, também o brasileiro Neymar, do PSG, continuará distante do sonho de vencer uma ChL e automaticamente se credenciar ao prêmio de Melhor Jogador do Mundo. Até aqui, dentre os recém-laureados, segue ativo Robert Lewandowski, o eficientíssimo avante do Bayern. Importante: em Junho de 2021, a UEFA, entidade que administra o Futebol no Velho Continente, aboliu o polêmico critério do gol qualificado, aquele feito em viagem e que, num caso de igualdade em pontos e no saldo de tentos, valia o dobro. Agora, quando isso ocorre, se disputa uma prorrogação de 30’ e, caso ainda necessário, a loteria dos penais.

Não sucedeu nos jogos desta terça, dia 15.

A euforia dos atletas da "Águia", depois de classificados em Amsterdam

A euforia dos atletas da "Águia", depois de classificados em Amsterdam

@ChampionsLeague

AJAX (Nee, ex-Hol) 0 X 1 BENFICA (Por)
Amsterdam, Johan Cruijff Arena, 55.000 lugares
Público: 54.066
Árbitro: Carlos del Cerro Grande (Espanha)
Gol: Darwin Nuñez
Na ida: 2 X 2
No agregado: Benfica 3 X 2

Em cada uma das partidas desta terça um artilheiro prometia se tornar seu destaque primordial. Na peleja de Amsterdam, Sébastien Haller, um francês de nascimento mas marfinense de passaporte que apenas agora, aos 27 de idade, em sua temporada de estreia pelo Ajax, ganhou um selo de astro internacional, Antes dele, nenhum outro jogador havia anotado tentos em todos os seus primeiros sete combates de Champions League. Mais: nunca, antes, qualquer atleta havia atingido tão rapidamente a cota dos onze tentos – Haller precisou de somente 578 minutos. Ironia: queimaria mais 90, só que inutilmente.

O momento do gol de Darwin Nuñez, do Benfica

O momento do gol de Darwin Nuñez, do Benfica

@ChampionsLeague

Nelson Veríssimo, o treinador da “Águia” de Lisboa, se retrancou na retaguarda e, consequentemente, enervou os “Filhos dos Deuses” de Erik ten Haag. Frustrante, e até mesmo irritante, a atuação de Haller. Quem não faz, é um fato, costuma tomar. E aos 77’ o Benfica decretou o resultado, num lance de bola parada e na saída horrível do arqueiro Onana. Infração de Álvarez em Gonçalo Ramos, na linha lateral da área do Ajax e a cobrança de Grimaldo bem no cocoruto de Darwin Nuñez, 1 X 0, o triunfo da aplicação para a alegria dos cerca de 4.000 fãs da “Águia”, em delírio nas arquibancadas da Cruijff.

Outro ângulo do gol de Renan Lodi, para os "Colchoneros"

Outro ângulo do gol de Renan Lodi, para os "Colchoneros"

@ChampionsLeague

MANCHESTER UNITED (Ing) 0 X 1 ATLÉTICO MADRID
Manchester, Old Trafford, 74.170 lugares
Público: 73.009
Árbitro: Slavko Vincic (Eslovênia)
Gol: Renan Lodi
Na ida: 1 X 1
No agregado: Atlético 2 X 1

Na pugna de Old Trafford, uma expectativa diversa provinha da presença de Cristiano Ronaldo. Sábado, dia 12, em porfia da Premier League, o CR7 havia anotado o 59º “hat trick” da sua carreira, todos os tentos dos 3 X 2 dos “Red Devils” contra o Tottenham, maravilha com que atingiu os 807 gols oficiais na carreira e sobrepujou o primado do austro-tcheco Josef Bican. Pelé marcou 1.282 – a FIFA, todavia, apenas reconhece 757 como oficiais.

Renan Lodi agradece aos aplausos dos torcedores do Atlético

Renan Lodi agradece aos aplausos dos torcedores do Atlético

@ChampionsLeague

Diego Simeone, o treinador dos “Colchoneros”, ousado, não se limitou a apostar em um novo empate e a carregar o prélio ao tudo-ou-nada dos suplementares. No United de Ralf Rangnick, a ansiedade do CR7, fominha demais, só prejudicou os seus parceiros de frente, Sancho e Elanga. E aos 41’, enquanto ele xingava o planeta para reclamar de uma suposta infração não apontada por Slavko Vincic, o Atlético investiu num contra-ataque, calcanhar de João Felix a Griezmann e daí ao cruzamento que caiu na testa de Renan Lodi, 1 X 0.

O CR7 e Vincic, muita reclamação e zero futebol

O CR7 e Vincic, muita reclamação e zero futebol

@ChampionsLeague

Na etapa derradeira, muito mais insidioso do que o CR7 se atestou João Felix, colega de ataque na seleção das “Cinco Quinas” que, entre 24 e 29 de Março, brigará com a Turquia, depois com Itália ou Macedônia do Norte, pela qualificação à Copa do Catar. Por enquanto, eternizado o triunfo da dedicação dos “Colchoneros” contra a soberba dos “Red Devils”, justa e devidamente festejada por perto dos 5.000 ibéricos que atravessaram o Canal da Mancha e vibraram ao registrar que Cristiano Ronaldo não deu um chute sequer à meta de Oblak. Para eles, viva Griezmann, disparadamente o craque do Atlético em Old Trafford.


Os jogos do dia 16, quarta-feira:
JUVENTUS (Ita) X VILLARREAL (Esp)
Turim, Allianz Stadium, 41.507 lugares
Árbitro: Szymon Marciniak (Polônia)
Na ida: 1 X 1

 

Na ida, Chelsea 2 X 0 LOSC/Lille

Na ida, Chelsea 2 X 0 LOSC/Lille

Reprodução

LILLE (Fra) X CHELSEA (Ing)
Villeneuve-d’Asc, Stade Pierre-Mauroy, 50.186 lugares
Árbitro: Dàvide Massa (Itália)
Na ida: Chelsea 2 X 0


Duelos anteriores:

BAYERN (Ale) X RB SALZBURG (Aus)
Na ida, em Salzburgo: 1 X 1
Na volta, em Munique, Bayern 7 X 1
No agregado: Bayern 8 X 2

LIVERPOOL (Ing) 0 X 1 INTER (Ita)
Na ida, em Milão: Liverpool 2 X 0
Na volta, em Liverpool: Inter 1 X 0
No agregado: Liverpool 2 X 1

Na ida, Sporting 0 X 5 Manchester City

Na ida, Sporting 0 X 5 Manchester City

Reprodução

MANCHESTER CITY (Ing) X SPORTING (Por)
Na ida, em Lisboa: Manchester City 5 X 0
Na volta, em Manchester: 0 X 0
No agregado: Manchester City 5 X 0

REAL MADRID (Esp) X PSG (Fra)
Na ida, em Paris: PSG 1 X 0
Na volta, em Madrid: Real Madrid 3 X 1
No agregado: Real Madrid 3 X 2


Agora na 67ª edição desde sua instalação em 1955 como Champions Cup, na 30ª desde sua ampliação e sua troca de nome em 1993, esta Champions League começou, no dia 22 de Junho de 2021, com 80 agremiações de 54 das 55 federações da UEFA. Curiosa exceção, Liechtenstein, de sete equipes que participam, a convite, de certames da Suíça. Na atual formatação, a ChL preservou os 26 clubes de ranking superior e lançou os outros 54 em um moedor de eliminatórias, de modo que, em mata-matas, restassem seis. Um sorteio dividiu os 32 em oito chaves de quatro. Sobreviveram, e seguiram adiante, os campeões e os vices de cada Grupo. Um novo sorteio, em 11 de Dezembro, determinou os desafios das oitavas.

A taça da Champions, agora rumo a Paris

A taça da Champions, agora rumo a Paris

UEFA

Na soma de todas as suas fases, desde as eliminatórias até os dois combates desta terça, nesta ChL aconteceram 203 cotejos e se anotaram 577 tentos, a média de 2,84. Aliás, num continente que, aos solavancos, escapa da impiedade da Covid-19, se revelou excelente a afluência de público. Da fase das chaves em diante, 3.640.085 espectadores em 108 jogos, média de 33.092. A UEFA marcou as quartas  para 5/6 e 12/13 de Abril, as semis para 26/27 de Abril e 3/4 de Maio, e a grande decisão para o próximo 28 de Maio, um sábado. Antes designada a São Petersburgo, Rússia, no rastro das punições causadas pela intempestiva agressão militar à Ucrânia a sede acabou transferida ao Stade de France, em Paris.


Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o abraço virtual do Sílvio Lancellotti! Obrigadíssimo!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas