Flamengo X Corinthians, um duelo crucial, mesmo, para os dois rivais

O "Urubu" vai batalhar para manter a sua folga de pontos sobre o Palmeiras. O "Mosqueteiro", para não se afastar da classificação à Copa Libertadores.

Gol de Gabigol, em 21 de Julho, Fla 1 X 1 Corinthians em Itaquera

Gol de Gabigol, em 21 de Julho, Fla 1 X 1 Corinthians em Itaquera

FolhaPress

No dia 21 de Julho, pela rodada de número 11 do atual Campeonato Brasileiro da Série A, na sua Arena ainda-sem-nome de Itaquera, diante de 34.747 espectadores, o Corinthians apenas empatou com o Flamengo, por 1 X 1, mas realizou a sua melhor exibição até agora no certame. Subiu aos 16 pontos em 30 disponíveis enquanto o rival foi aos 21, porém dentro de 33 possíveis. Ainda faltava ao “Mosqueteiro” realizar uma partida adiada, diante do Goiás, que acabaria por vencer, 2 X 0. Na prática, o elenco de Fábio Carille podia se considerar nos 19, e no G-4 que assegura vaga direta na Libertadores.

Carille, no apogeu

Carille, no apogeu

TimãoWeb

Estava bem diferente aquele Brasileiro, que retornava de um intervalo de três semanas destinadas à Copa América. Lideravam a tabela, por exemplo, na cota dos 26 pontos, o Palmeiras e o Santos. Hoje, nas vésperas da jornada de número 30, o Flamengo disparou no topo da classificação com 68, o Palmeiras tem 63, o Santos tem 55, e bem atrás se localiza o Corinthians, empacado nos 45. Pior, fora do G-4 e, na sétima posição, fora, inclusive, da Libertadores. À sua frente se imiscuíram o São Paulo/52, o Grêmio/47 e o Internacional/46. Na última quarta-feira, dia 30, numa visita a Maceió, por 1 X 2 o “Timão” sucumbiu ao CSA, crônico freqüentador da zona de rebaixamento à Série B, e a pressão da sua torcida já ameaça o cargo de um Carille ostensivamente nervoso.

Em 1954, no Pacaembu, Corinthians 6 X 0 Flamengo

Em 1954, no Pacaembu, Corinthians 6 X 0 Flamengo

Reprodução

Apelidado de “Encontro de Nações”, por abrigar os dois clubes mais populares do País, o duelo entre o Flamengo e o Corinthians chega, neste domingo, no Maracanã com certeza repletíssimo, à sua edição de número 138. Desde o prélio inaugural, Corinthians 2 X 1 (em um amistoso no campo da Rua Paissandu, Rio, 1º de Dezembro de 1918), até o recente empate de 21 de Julho, o “Urubu” coletou 54 sucessos a 53, nos gols 209 a 207. Estatisticamente, a chamada igualdade técnica. No Brasileiro, porém, já são imensuráveis as distâncias. Além dos 23 pontos, folga do Flamengo nos tentos a favor, 60 a 31. O Gabigol, Bruno Henrique e DeArrascaeta, só eles, 20, 12 e 11, marcaram muito mais do que o “Timão” inteirinho. Retranqueiro, o Corinthians cedeu 22. O “Urubu”, todavia, também sabe se proteger muito bem. Aceitou meros 24.

Carille, na descendente

Carille, na descendente

MeuTimão

Um detalhe incômodo, para o Flamengo: neste sábado, no Allianz Parque, o “Verdão” sobrepujou o Ceará por 1 X 0 e assim escalou o patamar dos 63 pontos. Claro que, no caso de uma derrota eventual e mesmo de um empate, o rubro-negro entrará em uma fase de cuidados especiais e de preocupação inusitada. Dramática, todavia, pode se tornar a situação do alvi-negro. A sua última vitória data de 2 de Outubro, em viagem, 1 X 0 na Chapecoense. Daí, em 7 combates, perdeu 3 e se igualou em 4, anotou 6 gols e levou 9. Por mais que o presidente Andrés Sanchez jure que manterá o contrato de Carille até o encerramento, em Dezembro, no caso de mais um fracasso, o oitavo em série, dificilmente o treinador, de prestígio esgarçado, preservará o seu emprego.


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Muito obrigado. E um grande abraço.