Silvio Lancellotti Começou medíocre a decisão do Paulistão, só 0 X 0 em Itaquera

Começou medíocre a decisão do Paulistão, só 0 X 0 em Itaquera

Agora, a definição ocorrerá, sábado, no Allianz. Em 2018, o "Timão" perdeu o primeiro duelo em casa e daí bateu o "Verdão", na volta, no jogo e nos penais.

Nenhum gol no primeiro duelo da decisão de 2020

Nenhum gol no primeiro duelo da decisão de 2020

@Corinthians

Proveniente de quatro vitórias em que não tinha cedido um gol sequer e em que havia produzido seis tentos, o primeiro da lista exatamente contra o Palmeiras, em 22 de Julho, o Corinthians começou titubeante, nesta quarta-feira, dia 5 de Agosto, na sua Arena ainda-sem-nome de Itaquera, a sua caminhada rumo a um autêntico tetra no Paulistão de Futebol, edição 2020. Manteve a sua meta inviolada. Mas, com o ataque também zerado.

Momento de tensão, raro, num combate monótono

Momento de tensão, raro, num combate monótono

@Corinthians

Foi o “Derby” de número 365 entre os dois adversários de antologia, rivais desde 6 de Maio de 1917, quando o então Palestra Itália venceu por 3 X 1. Agora, à espera da segunda pugna do mata-mata, programada para sábado, dia 8, no Allianz Parque, a contagem permanece com 128 vitórias do “Timão” e 127 do “Verdão”, 484 tentos a 518. O Corinthians já arrebatou 30 títulos do “Paulistão”. O Palmeiras, que tem 22, não levanta a taça desde 2008.

A fumaceira desnecessária, antes da partida

A fumaceira desnecessária, antes da partida

@Corinthians

Compensação para a ausência de torcida, a diretoria do “Timão” criou uma animação artificiosa, antes de o jogo principiar, fantasia que apenas encheu a Arena de fumaça e meramente serviu para atrasar o apito inicial de Raphael Claus. Predominou o Corinthians, quase toda a primeira etapa, tanto que Weverton o arqueiro do “Verdão”, atuou em duas situações importantíssimas, enquanto Cássio, no “Timão”, se limitou a aparar algumas pelotas atrasadas.

Disputa no meio do campo, o trivial no cotejo da quarta

Disputa no meio do campo, o trivial no cotejo da quarta

@Corinthians

Tiago Nunes, treinador do Corinthians, então se mantinha invicto diante de Vanderlei Luxemburgo. Em confrontos anteriores, um empate e um triunfo. Pois retornou melhor o elenco de Luxemburgo, que adiantou a sua marcação e complicou bastante a saída de bola do “Timão”. Só após os 53’ os pupilos de Tiago atravessariam a linha divisória do gramado. Aos 77’, porém, depois de uma barbeiragem de Danilo Avelar, toque de braço logo além da meia-lua, Bruno Henrique cobrou a infração e Cássio rebateu de punhos cerrados.

Fim de festa, a festa que não houve, aliás...

Fim de festa, a festa que não houve, aliás...

@Paulistão Alexandre Battibugli

Melhor o “Verdão” quando o prélio desembarcou nos 15 minutos derradeiros. E muito melhor nos últimos cinco, o Corinthians a se desvencilhar da bola graças a chutões de peladas varzeanas. Sorte alvinegra que os atletas do Luxa desperdiçavam passes de três metros de distância. Placar de 0 X 0, ruim para o hospedeiro? Não necessariamente. Na decisão de 2018, com a Arena repleta, deu Palmeiras, 1 X 0. O “Timão” precisou reverter o resultado no Parque e daí abiscoitar o seu então bi numa disputa de penais, 4 X 3.


Gostou? Clique num dos ícones para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião sobre este meu texto no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, use máscara. E fique com o meu abração virtual! Obrigadíssimo!

Últimas