Silvio Lancellotti Basta um fácil segundo tempo para a Juventus cravar 4 X 0 no Lecce

Basta um fácil segundo tempo para a Juventus cravar 4 X 0 no Lecce

No Allianz Stadium de Turim absolutamente vazio, o time visitante perde um zagueiro, expulso, aos 32', e não mais consegue conter o assédio da líder

O CR7 e Dybala, desta vez a dupla funcionou muito bem

O CR7 e Dybala, desta vez a dupla funcionou muito bem

@juventusfc

Nem o mais raivoso antijuventino,  nem o mais fanático torcedor dos “Lobos do Salento” francamente sonhava com um sucesso do seu Lecce, nesta sexta-feira, dia 26 de Junho, diante da Juventus, no Allianz Stadium de Turim. Na tradição, nas estatísticas, na qualidade intrínseca e no presente momento, tudo indicava um favoritismo quase que absoluto, integral, da “Velha Senhora” do Piemonte, no primeiro duelo da rodada 28 do Campeonato Italiano de 2019/20, jornada que se estenderá até o próximo domingo, dia 27.

O Allianz Stadium de Turim

O Allianz Stadium de Turim

juventus.com

Não importava a ausência de platéia, uma circunstância protocolar causada pela Covid-19. Mesmo sem os “tifosi” de plantão, a “Zebra”, outro apelido da Juve, dispunha de uma infinidade de razões para que se apostasse num seu triunfo. Quatro degraus acima da vice, a Lazio de Roma, a “Senhora” era a líder do certame, com 66 pontos em 81 possíveis, 52 tentos a favor e 24 contra. Enquanto isso, na 18ª colocação, na zona de queda à Série B, o Lecce tinha 25 pontos, 35 tentos a 60. Convenhamos, uma diferença descomunal.

Uma "rovesciata" do CR7

Uma "rovesciata" do CR7

@JuventusFC

Seria o confronto de número 40 na sua antologia desde o primeiro duelo, 1 X 1, em Lecce, 15 de Junho de 1977. E a Juve carregava uma vantagem absurda de 25 vitórias a 4, com 78 tentos a 31. Aliás, nos 39 duelos do passado só havia perdido uma única vez em casa, 3 X 4, lá atrás, no dia 25 de Abril de 2004, estertores de um torneio em que a porfia já não valia nada: o Milan levantaria o “scudetto” com uma folga de 13 pontos. Agora, temporariamente, ao menos, valia a ampliação da sua boa vantagem dos quatro para os ótimos sete.

Outro ângulo da "rovesciata"

Outro ângulo da "rovesciata"

@JuventusFC

Não transcorreu sossegadamente, de todo modo, a peleja da “Zebra”, empacada nos toques laterais, inúteis, diante da área do brasileiro Gabriel. O Lecce incomodou muito com os seus contra-ataques em velocidade, até que, aos 31, o zagueiro Lucioni ousou fazer uma firula à frente de Bentancur e perdeu a bola. O uruguaio, esperto, disparou na direção do arco mas acabou derrubado por Lucioni, a infração do último homem, vermelho automático. Lecce com dez. Daí, por milímetros a Juve desperdiçou três oportunidades de abrir o marcador. E desceu aos vestiários com um azedo 0 X 0 no placar. Precisaria melhorar bastante ao retornar para a etapa derradeira.

Dybala, o arremate do 1 X 0

Dybala, o arremate do 1 X 0

@JuventusFC

Pois melhorou, aos 52’, quando Maurizio Sarri decidiu trocar Rabiot por Douglas Costa e tornar mais esperta a ofensiva da “Senhora”. Acuada por outro “bianconero” de frente, mesmo, na sua pressão, a bequeira dos “Lobos” se atrapalhou, Cristiano Ronaldo dominou a pelota e daí cedeu a Dybala, quase na meia-lua, um petardo, alívio, 1 X 0, logo aos 53’. Domínio integral da Juve e, aos 62’, o apalermado Rossetini cometeu um penal claro no CR7, que converteu, 2 X 0, o seu gol de número 23 no atual campeonato.

De Ligt e Cristiano Ronaldo

De Ligt e Cristiano Ronaldo

@JuventusFC

Apesar de garantidos os três pontos e a escalada aos 69, e no aguardo de que a Lazio, 62, sofra diante da Fiorentina, neste sábado, 27, a “Senhora” não segurou o seu assédio. Sarri enfatizou a sua ofensiva com a entrada de Higuaín, recuperado de lesão, na sua reestréia em campo depois da suspensão provocada pela Covid-19. E ainda ousou em promover aos titulares o garoto Simone Muratore, 22 de idade, um meia vigoroso, de 1m86 de altura. Aos 83’, de calcanhar, o CR7 proporcionou os 3 X 0 a Higuaín. E aos 85’, numa testada fulminante, De Ligt aproveitou um levantamento de Douglas Costa, 4 X 0, o terceiro gol do holandês na temporada. Sucesso indebatível.


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Obrigado. Fique em casa, que eu fico a dever um abração!

Últimas