Silvio Lancellotti As inflamadas rivalidades das duas semifinais da Copa Itália 2021/2022

As inflamadas rivalidades das duas semifinais da Copa Itália 2021/2022

Pelejas de volta. Nesta terça, dia 19, Inter X Milan. Na quarta, dia 20, Juventus X Fiorentina. No campeonato, nesta segunda, empate Napoli X Roma, 1 X 1, e a derrota da Atalanta para o Verona, 1 X 2.

A magnífica taça da Copa Itália

A magnífica taça da Copa Itália

FIGC

Na Velha Bota se diz, ironicamente, que as coincidências não existem, são os fatos que eventualmente colidem. E duas trombadas de antologia efetivamente marcam a história das semifinais da Copa Itália de 2021/2022. Costumam se provar terríveis as rivalidades que antepõem os clubes mais importantes do Calcio. E nesta temporada, depois de uma sucessão de eliminatórias e de mata-matas, um total de 40 pelejas, a tabela da competição encaminhou, para a fase atual, Milan X Inter, dois inimigos íntimos da capital da Lombardia, e Fiorentina X. Juventus, que vêm de regiões diferentes mas cujas torcidas se abominam.

O prélio de ida, com o mando do Milan

O prélio de ida, com o mando do Milan

@Serie A Calcio

Mandante, na ida o “Diavolo” se igualou à “Biscione”, serpente mitológica que simboliza a Inter, 0 X 0, no dia 1º de Março. Por 1 X 0, graças a um auto-gol de Venuti,  nos acréscimos, no dia 2, em Florença a “Senhora” bateu a esquadra “Viola”. Na Coppa Italia (assim mesmo, dois pp e sem o acento no á, conforme exige a grafia original), caso os dois adversários empatem nos pontos e no saldo de tentos, ainda subsiste o critério da “rete in trasferta” e se conta em o dobro o gol anotado em viagem. O Milan, portanto, vai à decisão com o resultado de 1 X 1. À Juve, basta preservar o 0 X 0 inicial, ou não perder o seu combate.

O prélio de ida, com o mando da Fiorentina

O prélio de ida, com o mando da Fiorentina

@JuventusFC

Desnecessário detalhar os motivos do antagonismo entre o “Diavolo” e a “Biscione” – nascida em 1908, a Inter de certa maneira surgiu como dissidência do Milan, fundado em 1899 e, na época, contrário à presença de estrangeiros no seu elenco. A “Viola” e a “Senhora”, todavia, de sedes separadas por 420 quilômetros de rodovia, travam as suas guerrilhas particulares desde o dia 7 de Outubro de 1928. Então, no seu primeiro confronto, a Juve, de 1897, sovou a Fiorentina, de 1926, por 11 X 0. Impiedosa, a mídia de Turim se locupletou em ironias que o pessoal de Florença considerou imperdoáveis. Pior, para a “Viola”, no evoluir dos tempos, mais e mais as diferenças se exacerbaram.

Protesto da torcida "Viola" contra a cessão de Vlahovic à Juventus

Protesto da torcida "Viola" contra a cessão de Vlahovic à Juventus

Reprodução

Na “stagione” de 1981/1982, por exemplo, a Juventus e a Fiorentina desembarcaram na jornada derradeira com os mesmos pontos. Mas, equívocos de arbitragem ajudariam a “Senhora” e então coube à mídia da Toscana provocar: “Melhor sermos os segundos do que sermos os ladrões”. Posteriormente, aliás, haveria diatribes parecidas. Logo após a Copa do Mundo de 1990 a “Viola” cedeu Roberto Baggio à Juve, contra a vontade pública do “Codino”, e os seus “tifosi” se enfureceram contra o roubo do ídolo. E agora, no final de Janeiro, se revoltaram contra a venda do contrato do seu craque sérvio Dusan Vlahovic, o DV7. No prélio de "andata", o recém-estreado Vlahovic mal conseguiu tocar na bola.


Eis as fichas dos dois cotejos de retorno:

Terça-feira, dia 19 de Abril
INTER X MILAN
Milão, Stadio Giuseppe Meazza
Árbitro: Maurizio Mariani
Na ida: 0 X 0

Quarta-feira, dia 20 de Abril
JUVENTUS X FIORENTINA
Turim, Allianz Stadium
Árbitro: Daniele Doveri
Na ida: Juventus 1 X 0

O Vado, primeiro campeão da Copa Itália, em 1922

O Vado, primeiro campeão da Copa Itália, em 1922

Reprodução

Agora em seu Jubileu de Diamante, ou na sua edição 75, a Copa Itália, na realidade, já atinge um século de vida. Fez a sua estreia como competição oficial em 1922, vitória do Vado, um clube que, hoje amador, se esconde na Série D, a quarta divisão. Então, ostentou apenas 38 representantes das sete regiões ao norte da Bota. Com o tempo, passou a abrigar times das repartições inferiores e de todas as vinte regiões. E, nos cem anos, várias vezes se interrompeu até se firmar, constante, em 1957/1958, com o triunfo da Lazio.

A Juventus, detentora do troféu da Copa Itália

A Juventus, detentora do troféu da Copa Itália

@JuventusFC

Agora, por causa da Covid-19, ostentou 44 times, os 20 da Série A, os 20 da B e os quatro primeiros da C. Patrocinada pela Frecciarossa, a empresa de trens de alta velocidade que cruza a Bota, começou em 7 de Agosto de 2021 e até esta data teve 40 partidas e 143 gols, a média excelente de 3,40. Decisão programada para Roma, 11 de Maio. A Juve, detentora do troféu, já acumula 14 títulos. A Inter, sete. A Fiorentina ganhou seis e o Milan, cinco.

Napoli X Roma, um empate ruim para os dois clubes

Napoli X Roma, um empate ruim para os dois clubes

@SSCNapoli

Detalhe: nesta segunda, dia 18, aconteceram as pelejas derradeiras da rodada 33 do Campeonato da Bota. No seu Maradona, o Napoli empacou diante da Roma, 1 X 1, e se limitou aos 68 pontos, atrás da Inter, a vice-líder do Milan. Só que a Inter ainda tem uma partida atrasada a recuperar. Em busca da quarta posição e de uma vaga nas  próximas Copas da UEFA, a Atalanta seguiu na sua curva descendente e desabou diante do Verona, 1 X 2. A Roma ainda conseguiu crescer um tico, 58 pontos, mas a Atalanta ficou nos 52, dois jogos a resgatar. Entre ambas, nos 56, estão a Lazio e com um jogo menos a Fiorentina.


Gostou? Clique num dos ícones do topo para “Compartilhar”, ou “Twittar”, ou deixe a sua opinião sobre este meu texto no meu “FaceBook”. Caso saia de casa, seja cauteloso e seja solidário, use máscara, por favor. E fique com o meu abraço virtual! Obrigadíssimo!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas