R7 Só Esportes Torrent precisará ser firme com craques do Fla de vez em quando

Torrent precisará ser firme com craques do Fla de vez em quando

Técnico tem fama de contido, mas as reclamações de que BH e Gabigol foram 'fominhas' contra Galo mostram que técnico terá, às vezes, que 'chegar junto'

Torrent é polido e quieto, mas isso não poderá impedir cobranças e ajustes se for necessário

Torrent é polido e quieto, mas isso não poderá impedir cobranças e ajustes se for necessário

Alexandre Vidal/CRF

Um detalhe curioso chamou atenção na vitória do Atlético-MG sobre o Flamengo por um a zero, no Maracanã, no domingo (9), na abertura do Brasileirão 2020: as decisões de Bruno Henrique e Gabigol de concluir para o gol – e não conseguir marcar – nos momentos em que o companheiro de ataque estava bem melhor posicionado.

No mais emblemático desses lances, Bruno Henrique chutou na trave, sem ângulo, enquanto o colega esperava o passe, sem goleiro, quase na linha do gol. Em outros menos destacados, foi a vez de Gabigol preferir a conclusão ao passe para o colega em posição privilegiada.  

A atitude supostamente “fominha” da dupla viralizou nas redes sociais, com críticas duras de rubro-negros indignados.

“Bruno Henrique e Gabigol devem ter saído na mão (brigado) nos treinamentos. Não é possível”, tascou um deles no Twitter, entre centenas de outras reclamações. “O Flamengo perde uma oportunidade atrás da outra porque Bruno Henrique e Gabigol estão muito fominhas: um não passa a bola para o outro quando o parceiro está melhor colocado”, lamentou outro.

Os protestos foram tão enfáticos, inclusive nas contas do Bruno Henrique, que o atacante sentiu necessidade de se justificar, “assumir o erro” e pedir desculpas a Gabigol e ao elenco pela “escolha errada”, logo após o jogo, pelo Instagram.

“Só deixar um recado para aqueles que estão me enviando mensagens e achando que tenho algo contra o Gabriel. Não tenho nada contra ele. Só tive uma escolha errada no lance dentro do jogo. Poderia ter tocado e escolhi finalizar. Assumo meu erro. Peço desculpa ao Gabriel e ao grupo se fiz a escolha errada”, postou BH, com correção.

BH chuta na trave com Gabigol livre contra o Galo. Atacante se retratou com correção

BH chuta na trave com Gabigol livre contra o Galo. Atacante se retratou com correção

Alexandre Vidal/CRF

Em 2019, a movimentação constante, a troca de posições e o elogiável desprendimento para acionar o parceiro melhor colocado em lances de gol formaram o tripé das excelentes temporadas de BH e Gabigol. A ponto de ser difícil definir qual deles foi mais importante para a coleção de títulos feita pelo Flamengo no período.

Até agora não há motivo, ao menos aparente, para desconfiar da versão de BH e acreditar ter havido algum arranhão na amizade entre os dois.

Mas são grandes jogadores, estrelas e, com tanto sucesso, esse tipo de comportamento “fominha” pode surgir até mesmo por dispersão e sobra de confiança, independentemente de ter havido rusga, ciúme ou algo do tipo.

A questão é que, nos tempos de Jorge Jesus, o técnico português, sempre elétrico e atento à beira do campo, chegava junto e corrigia a situação na primeira situação desse tipo – e BH, Gabigol ou quem desse de “fominha” acertava logo o passo.

JJ é extremamente carinhoso com os atletas, e as declarações unânimes dos jogadores rubro-negros à sua saída confirmam a característica do português. Mas isso não o impede, como muitas vezes se viu, de “chamar a turma na responsa” com dureza quando necessário.

Pelo que se diz dele e o que demonstrou na sua estreia no Brasil, o novo técnico do Flamengo, o catalão Domènec Torrent, é claramente mais contido dentro e fora de campo do que JJ, menos midiático e com carga de vaidade aparentemente bem menor.

Torrent precisará se convencer do seguinte: em alguns momentos, será obrigado a superar seu comportamento polido para enquadrar, no bom sentido, BH, Gabigol e as outras feras do elenco rubro-negro.

Jogadores brasileiros, mesmo os melhores, mais experientes e informados, com experiência na Europa ou em outros países, precisam muito disso em determinadas situações.

A descoberta de quando e, sobretudo, da maneira de fazer isso parece se anunciar desde já, para Torrent, como um dos pontos fundamentais de divisão entre o sucesso e uma passagem apenas comum pelo clube mais querido do país.

Últimas