Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

MP do Paraná entrega denúncia do caso Daniel à Justiça nesta terça

Relatório com parecer do promotor João Milton Salles sobre a morte do jogador será avaliado pelo juiz da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais

Futebol|Cesar Sacheto, do R7

Edison, Allana e Cristiana Brittes deverão ser denunciados pela morte de Daniel
Edison, Allana e Cristiana Brittes deverão ser denunciados pela morte de Daniel Edison, Allana e Cristiana Brittes deverão ser denunciados pela morte de Daniel

O promotor João Milton Salles, que acompanhou o inquérito policial sobre o assassinato do jogador Daniel Corrêa pelo Ministério Público do Paraná, deverá entregar à Justiça na tarde desta terça-feira (27) a denúncia contra os sete acusados pelo crime, ocorrido no mês passado em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. A informação foi confirmada pelo TJ (Tribunal de Justiça) paranaense.

Sexo, traição e vingança: por que o jogador Daniel foi assassinado

O relatório será recebido pelo juiz substituto do município, Siberlei Ostrufka Cordeiro, que deverá avaliar a peça e decidir se aceita ou não a denúncia. Não foi informado se há um prazo para que o juiz se pronuncie sobre o documento.

Leia também

Família Brittes

Publicidade

O empresário Edison Brittes Junior, conhecido como Juninho Riqueza, que confessou ter matado o jogador, foi indiciado pela Polícia Civil e deverá ser denunciado por homicídio qualificado, ocultação de cadáver, coação de testemunhas e fraude processual.

A esposa dele, Cristiana Brittes, também deve ser incluída pelo MP na imputação de homicídio qualificado, além de responder criminalmente por fraude processual e coação de testemunhas. A princípio, a mulher seria denunciada apenas pelas duas últimas acusações.

Publicidade

No entanto, o promotor afirmou, em matéria veiculada no programa Balanço Geral, da RecordTV, que Cristiana teria aderido à cena do crime após o início das agressões e dito a frase: "Continuem isso, mas fora daqui. Fora da minha casa". Dessa forma, ela teria instigado a violência contra Daniel, em vez de evitá-la. 

Já a filha do casal, Allana Brittes, de 18 anos, será responsabilizada pelos crimes de coação de testemunhas e fraude processual.

Publicidade

Outros acusações

Entre os demais acusados por envolvimento no crime, todos participantes da festa de aniversário na casa dos Brittes, David Willian Vellero da Silva, Ygor King e Eduardo da Silva deverão ser denunciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Eduardo Purkote será acusado de lesão corporal grave.

Julgamento

Em caso de aceitação da denúncia do MP pela Justiça, o prazo para que os réus sejam julgados é de aproximadamente 180 dias. Entretanto, o cálculo é aproximado e incerto, pois existem circunstâncias que podem alterar o tempo do processo judicial

Causa da morte

Os laudos periciais da polícia técnica e do IML (Instituto Médico Legal) no corpo do atleta e nos locais onde o crime foi praticado revelaram que a causa da morte de Daniel foi uma facada no pescoço. Os exames apontaram também que a vítima foi arrastada por pelo menos duas pessoas do carro de Edison Brittes até o ponto onde foi abandonada.

Tortura, assassinato e briga de bar: Veja casos traumáticos do esporte

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.