Especiais Menino da Vila Croácia refaz foto histórica e agora sonha com ídolo

Menino da Vila Croácia refaz foto histórica e agora sonha com ídolo

Lorran Moura, de 13 anos, repetiu gesto do lateral-direito Sime Vrsaljko na classificação à final da Copa 2018: 'Só penso em ajudar minha família'

Gesto de Vrsaljko atravessou mundo e foi repetido por Lorran na Vila Croácia

Gesto de Vrsaljko atravessou mundo e foi repetido por Lorran na Vila Croácia

Montagem/Reprodução/simevrsaljko2 e Arquivo Pessoal

Nada de Lionel Messi, Cristiano Ronaldo ou mesmo Neymar. O ídolo de Lorran Moura, um garoto de 13 anos, é Sime Vrsaljko. Os nem tão amantes assim do futebol podem até se perguntar quem é, mas a reprodução de uma foto ajuda a atender a preferência do menino pelo lateral-direito da Croácia na última Copa do Mundo.

Lorran mora na Vila Croácia, na zona oeste do Rio, bairro que foi fundado nos idos de 1960 justamente por um croata — o país naquela época ainda era território da Iugoslávia. Ao comemorar o terceiro lugar na Copa Desporto Carioeste Sub-13, o garoto se lembrou do gesto do ídolo e também se deitou sob a bandeira tricolor.

O time perdeu a semifinal para o Amigos Unidos (5 a 0) e jogaria a disputa do terceiro lugar contra o Madureira de Cosmo, mas a equipe teve um imprevisto e não compareceu ao Campo Centenário de Inhoaíba. O anúncio da vitória por W.O. foi o bastante para Lorran sair correndo em busca de uma bandeira da Croácia.

“Os meninos da minha idade se inspiram mais no Messi e no Cristiano Ronaldo. Eu nem do Neymar gosto. Prefiro o Vrsaljko”, disse o menino, surpreso com a repercussão que a foto ganhou também na Croácia. “Meu maior sonho é ser jogador de futebol. Só penso em  ajudar a minha família e, quem sabe um dia, conhecer ele [Vrsaljko].”

A jornais croatas, o jogador que acabou de desembarcar na Inter de Milão disse que se sentiu honrado com a história. Mais do que isso, garante que pensa em um dia retribuir tanto carinho e conhecer o menino.

Um time de dez Modric

As referências à Croácia não param no time de Senador Camará. Pelas ruas do bairro — que faz limite com Campo Grande, Bangu, Jacarepaguá, Realengo — é possível encontrar, por exemplo, a rua Zagreb e uma incomum relação com o país a quase 10 mil quilômetros de distância.

Time reuniu esforços para comprar jogo de camisas

Time reuniu esforços para comprar jogo de camisas

Arquivo Pessoal

Coordenador do projeto que conta com 110 crianças, da categoria sub-6 à sub-19, Diogo Costa conta que o comitê olímpico croata, durante a Rio 2016, ajudou com os atuais uniformes da equipe. Antes disso, na Copa 2014, os próprios garotos se juntaram para comprar um jogo de camisa: “o problema é que tinha 10 Modric porque era só essa que tinha na loja”, disse Costa, em referência ao camisa 10 da equipe vice-campeã na Rússia 2018.

“A gente aqui não se importa com o campo ruim, bola murcha, colete rasgado... Só espera que alguém olha para a gente com um pouco mais de atenção. O nosso trabalho é tirar um menino como o Lorran, por exemplo, da coisa errada. Isso já seria nossa vitória”, disse Costa.

A Croácia não conquistou a Copa do Mundo, mas saiu da Rússia 2018 com sua independência futebolística mais do que comprovada. Na semifinal, a seleção da icônica camisa xadrez bateu simplesmente a Inglaterra e ali já havia garantido a melhor participação na competição. Bem por isso, o lateral decidiu homenagear seu país.

Assim como Vrsaljko, Lorran também não esperou levantar o troféu para demonstrar os sinceros sentimentos de uma criança. Com o ídolo, o garoto aprendeu que é preciso valorizar cada conquista. 

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Croatas fizeram festa em Zagreb pela classificação da Croácia à final:

Últimas