Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Promotor diz que inquérito do caso Daniel deve acabar nesta semana

João Milton Salles diz que a investigação esteja na reta final e que relatório policial será finalizado logo. Denúncia do MP à Justiça será próximo passo

Futebol|Cesar Sacheto, do R7

Daniel, de 24 anos, foi morto em festa de aniversário no Paraná
Daniel, de 24 anos, foi morto em festa de aniversário no Paraná Daniel, de 24 anos, foi morto em festa de aniversário no Paraná

O promotor João Milton Salles, responsável por acompanhar as investigações sobre a morte do jogador Daniel Corrêa pelo Ministério Público do Paraná, disse na última segunda-feira (19) que o inquérito policial deverá ser concluído até o fim desta semana. Após receber o relatório com o indiciamento dos acusados, o promotor irá formular a denúncia deles à Justiça.

Sexo, traição e vingança: por que o jogador Daniel foi assassinado

Salles ressaltou que a conclusão da perícia na casa da família Brittes e no terreno onde o corpo da vítima foi encontrado, ambos os locais em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, será determinante para a individualização das condutas dos criminosos. Daniel foi morto a facadas, teve o pescoço quase decepado e a genitália cortada pelos assassinos. Ele foi flagrado dentro do quarto da mulher do empresário Edison Brittes Junior durante a festa de aniversário da filha do casal.

Veja mais: Família Brittes é transferida para penitenciária

Publicidade

"O inquérito está em fase final. Acredito que, dentro da normalidade, vai terminar nessa semana. Precisamos agora esperar pelos laudos periciais. E o laudo é um trabalho que não se deve apressar, porque é muito técnico. Até porque são [laudos de] criminalística e IML, que dependem de provas laboratoriais", analisou Salles.

Leia também

O promotor destacou que os vários fatos surgidos no curso do inquérito — novas prisões e suspeita de relações entre Edison Brittes Junior e o crime organizado — são considerados normais em uma investigação e precisam ser apurados pelas autoridades policiais.

Publicidade

Veja mais: Promotor fala em barbárie e diz que perícia vai esclarecer caso Daniel

"Esse trabalho de filtragem de informações é necessário ao inquérito policial. A investigação vai montar um quebra-cabeças que tem cerca de mil peças, mas tem que trabalhar com 300 ou até 500 peças novas que jogam lá no meio e não são deste quebra-cabeças", ponderou.

Publicidade

Surpresas

João Milton Salles disse acreditar que o crime está desvendado, mas não descarta a possibilidade do surgimento de novos detalhes relativos à vida dos suspeitos que possam pesar no curso do processo, especialmente na fase judicial.

"Este caso, apesar da gravidade do homicídio e que seria relativamente simples na sua apuração, vem trazendo surpresas para gente todos os dias com aquilo que está em torno do crime. Se afirmasse que não teremos mais surpresas, estaria sendo contrário ao que tem acontecido na semana. Mas, pela dinâmica da investigação, acredito que não", diz.

Veja mais: Imagens em shopping flagram Brittes com testemunhas

Presos

O empresário que confessou ter matado Daniel, a filha Allana, a esposa Cristiana e outros quatro jovens que participaram do after na casa dos Brittes estão presos temporariamente sob suspeita. Os outro quatro acusados são David Willian da Silva, Igor King, Eduardo Henrique da Silva e Eduardo Purkote. Todos os jovens têm idades entre 18 e 20 anos.

Tortura, assassinato e briga de bar: Veja casos traumáticos do esporte

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.