Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Caso Daniel: Polícia deve concluir inquérito e definir crimes 

Edison Brittes, suspeito que confessou ter matado jogador, deverá ser indiciado por homicídio e ocultação de cadáver

Futebol|André Avelar e Cesar Sacheto, do R7

Daniel foi assassinado no Paraná
Daniel foi assassinado no Paraná Daniel foi assassinado no Paraná

A Polícia Civil de São José dos Pinhais (PR) deverá concluir nesta quarta-feira (21) o inquérito que apura o assassinato do jogador de futebol Daniel Corrêa, ocorrido no mês passado. De acordo com o entendimento da autoridade policial, os sete suspeitos presos devem ser acusados pela morte do atleta, mas por crimes diferentes.

Segundo apurou o R7, o empresário Edison Brittes Junior, suspeito que confessou ter matado a vítima, deverá ser indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Com ele, deverão responder pelos mesmos crimes David Willian Vellero da Silva, Igor King e Eduardo Henrique da Silva. Os três são acusados de ajudar no espancamento de Daniel dentro da casa dos Brittes e no transporte do corpo até o matagal onde a vítima foi localizada. 

Leia também: Reportagem mostra detalhes sobre a morte do jogador

Já Cristiana e Allana Brittes, esposa e filha de Edison, deverão ser enquadradas por coação de testemunhas e fraude processual. Eduardo Purkote deverá responder por lesões graves — foi apontado em depoimento como sendo a pessoa que teria arrombado a porta do quarto, destruído o celular da vítima e entregado a faca do crime; a defesa nega e garante que Purkote estava em outro ambiente da casa durante as agressões.

Publicidade

Denúncia do Ministério Público, processo e julgamento

Após ser concluído, o inquérito policial que é presidido pelo delegado Amadeu Trevisan será entregue ao Ministério Público paranaense. A expectativa é de que o Ministério Público acompanhe o trabalho policial e ofereça a denúncia contra os acusados à Justiça pelos mesmos crimes.

Publicidade

Veja mais: Polícia investiga propriedade do carro usado na morte de Daniel

Caso a denúncia oferecida pelo promotor João Milton Salles seja aceita pela Justiça, terá início o processo judicial. Com isso todos passarão a ser classificados como réus e poderão enfrentar um júri popular.

Publicidade

Leia também

O crime

Daniel, de 24 anos, atleta do São Paulo que estava emprestado ao São Bento, havia sido convidado para a festa de aniversário da jovem Allana Brittes, no último dia 27 de outubro. A comemoração teve início na boate Shed, em Curitiba, mas se estendeu para a residência da aniversariante.

Cosme Rímoli: Assassino confessa morte de Daniel. Foto com a esposa seria o motivo

Após ser flagrado no quarto de Cristiana, mãe de Allana, Daniel foi espancado por Edison e outros rapazes que particpavam da festa. Em seguida, o jogador foi retirado da casa, torturado e morto a facadas em uma área rural de São José dos Pinhais.

Áudio indica ameaça de morte a testemunha que denunciou Brittes

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.