Cosme Rímoli Assassino confessa morte de Daniel. Foto com a esposa seria o motivo

Assassino confessa morte de Daniel. Foto com a esposa seria o motivo

As mensagens e a foto da esposa na cama, divulgados por Daniel a amigos, por whatsapp, teriam transtornado Edson Brittes. Daí o assassinato

assassinato de daniel

A foto provocou a "condenação" de Daniel

A foto provocou a "condenação" de Daniel

Daniel/Celular

São Paulo, Brasil

"Sob forte emoção".

Essa é uma expressão que os advogados costumam usar no Brasil.

Geralmente envolvendo assassinatos violentos.

Veja mais: Suspeito diz que assassinou meia Daniel para defender a esposa

Seria como se a raiva, o ódio dominasse uma pessoa normal.

E a levasse a fazer o que nem se considerasse capaz.

Será essa a linha de defesa de Edison Brittes Junior, comerciante, que confessou ter matado Daniel.

Ele foi preso pela Polícia do Paraná.

Seu advogado, Claudio Dalledone, sustentará a tese de sob forte emoção.

A sua versão foi que se transtornou ao ouvir os gritos de 'socorro' da esposa Cris.

Edson teria arrombado a porta do seu próprio quarto.

Veja mais: Advogado nega veracidade de vídeos íntimos de Daniel em redes sociais

E encontrou Daniel em cima da esposa, tentando forçar a relação sexual.

Cris estaria dormindo, quando o jogador entrou no quarto.

A relação não teria se consumado.

Ele tirou o jogador perto da mulher.

Mas teria ficado fora de controle ao ver as mensagens do celular do atleta. Nelas, ele não só garantia a amigos ter tido relações sexuais com Cris.

E principalmente uma foto dele com sua mulher, que estaria dormindo.

Revoltado,Edison teria chamado três amigos ao quarto.

E começado a espancar e torturar Daniel.

Fez questão de tirar o pênis do jogador, antes de matá-lo.

Edison mostra onde deixou o corpo do jogador Daniel. Ele está preso

Edison mostra onde deixou o corpo do jogador Daniel. Ele está preso

Reprodução/Defesa

E levado o corpo para uma plantação de pinheiros, em São José dos Pinhais.

CASO DANIEL: Ex-técnico sobre jogador morto: 'Tinha boa índole e era tranquilo'

A história será checada pela polícia.

Enquanto isso, Edison Brittes continuará preso, aguardando julgamento.

Seu advogado seguirá pela conhecida linha de defesa.

O cliente agiu 'sob forte emoção'.

Uma maneira para tentar atenuar a futura pena.

Só que haverá contestações. De acordo com a Polícia do Paraná, uma testemunha garantiu que Edison praticamente teria obrigado amigos a participarem do crime.

A porta do quarto arrombada

A porta do quarto arrombada

Divulgação/Defesa

MAIS: Daniel era um dos mais tímidos do futebol, diz jogador do São Bento

E depois ainda os teria ameaçado, não queria que confessassem a morte. De maneira alguma. 

Depois de coagir essa testemunha, ele estaria aliviado.

Não haveria como a polícia descobrir quem matou Daniel.

Só que o depoimento dessa testemunha levou à prisão de Edison.

Veja mais: Polícia Civil do Paraná prende suspeito de assassinar o meia Daniel

Além disso há muitas dúvidas se houve ou não permissão de Daniel se deitar com Cris.

A defesa de Edison mostra fotos do quarto arrombado.

As acusações serão de homicídio, sequestro e tortura...

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Tortura, assassinato e briga de bar: Veja casos traumáticos do esporte