Cosme Rímoli Revoltado, Palmeiras quer parar o Brasileiro, se não houver jogo

Revoltado, Palmeiras quer parar o Brasileiro, se não houver jogo

Galiotte não aceita que o Flamengo tenha a proteção da Justiça Comum, para suspender o jogo de hoje. CBF ainda busca liminar para liberar a partida

  • Cosme Rímoli | Do R7

Galiotte defende que o Brasileiro não siga acontecendo, se não houver jogo hojePalm

Galiotte defende que o Brasileiro não siga acontecendo, se não houver jogo hojePalm

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

A mais profunda revolta.

Esse é o sentimento que dominou o presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, assim que soube que o Flamengo conseguiu a suspensão do jogo de hoje, junto ao Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro.

Leia mais: Cade instaura inquérito sobre a Globo. Quer investigar monopólio

A ação exigindo a suspensão do jogo deu entrada no TRT na sexta-feira. Foi impetrada pelo Sindeclubes, sindicato dos funcionários de clubes do Rio, presidido por um funcionário da segurança do Flamengo

O dirigente imediatamente entrou em contato com a direção da CBF.

Contra a interferência da Justiça Comum no Campeonato Brasileiro.

Galiotte foi claro.

Ele defende a paralisação do campeonato.

Pelo desprezo do Flamengo, em relação ao protocolo contra o coronavírus imposto pela CBF, que acabou com a contaminação de 19 jogadores.

Não aceita que a Justiça Comum deixe de levar em consideração a determinação da CBF, que segue o que fez a UEFA. Se um clube tem ao menos 13 jogadores saudáves, ele tem de atuar. O clube carioca contabiliza 19 atletas em condição de entrar em campo.

Palmeiras treinou e está concentrado. Pronto para uma reviravolta e o jogo acontecer

Palmeiras treinou e está concentrado. Pronto para uma reviravolta e o jogo acontecer

Palmeiras

O Palmeiras insiste no princípio da isonomia. Goiás, Fluminense, Atlético Goianiense foram clubes que perderam mais de dez atletas por covid e seguiram jogando.

Há a possibilidade de o Palmeiras entrar em campo, às 16 horas, mesmo com a Justiça Comum suspendendo a partida.

A CBF havia negado o pedido do Flamengo de adiamento. O STJD também. O clube carioca insistiu na revisão da decisão do STJD. Ela saiu ontem, confirmando o jogo.

Mas a proibição do TRT do Rio prevalecia ontem.

Só que pode haver ainda uma reviravolta.

A CBF tenta ainda hoje uma ação para cassar a decisão do TRT e confirmar o jogo.

O Palmeiras manteve seus atletas concentrados.

E a direção do Flamengo manteve a programação.

A delegação está aqui em São Paulo.

Por precaução.

Caso a CBF consiga manter o jogo.

Mas em outra ação coordenada pela diretoria do Flamengo, um documento com assinatura de 20 jogadores foi entregue ao Sindicato dos Atletas do Rio de Janeiro. Nele, o pedido para não acontecer o jogo.

O sindicato entrou também, na sexta-feira, com um pedido de suspensão do jogo.

Leia mais: Golpe de mestre do Flamengo. Apelou à Justiça Comum e adiou o jogo

Galiotte ficou ainda mais revoltado com tanta articulação do clube carioca.

O mesmo que foi o que mais forçou a volta do futebol, em plena pandemia.

E o que está lutando, com todas as forças, para o retorno do público nos estádios.

Mesmo com mais de 141 mil brasileiros mortos com a covid.

Flamengo, por precaução, viajou. Está em São Paulo. Para, se precisar, jogar

Flamengo, por precaução, viajou. Está em São Paulo. Para, se precisar, jogar

Flamengo

Com seus 19 jogadores infectados, mais o treinador Domènec Torrent.

Por isso tudo, se não houver o jogo, o Palmeiras defenderá até na justiça, se for preciso, a paralisação do Brasileiro.

Não aceita privilégio ao Flamengo...

Veja quem são os brasileiros entre as 50 grandes promessas de 2020

Últimas