Renúncia do pior presidente do Cruzeiro. Seu legado? Vergonha

Vagner Pires finalmente deixa o Cruzeiro. Resultado de sua administração time na Segunda Divisão, dívidas de R$ 700 milhões, investigações da polícia

Itair e Vagner Pires. Os piores dirigentes que passaram pela história do Cruzeiro

Itair e Vagner Pires. Os piores dirigentes que passaram pela história do Cruzeiro

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

"Ser campeão mundial de futebol

Ganhar pelo menos uma vez a Libertadores no triênio

Conquistar títulos nacionais

Ter a quarta maior torcida do país

Atingir a receita de R$ 500 milhões anuais."

Veja mais: Após protestos, Cruzeiro confirma renúncia de presidente e vice

Essas eram as metas que o presidente Vagner Pires de Sá anunciou ao ser eleito presidente do Cruzeiro, no dia 2 de outubro de 2017.

Ele seria o comandante do clube de 2018 até 2020.

Seria.

Porque a incompetência, a falta de rumo, transações suspeitas, a ponto de serem investigadas pela Polícia Federal, a irresponsabilidade, a falta de visão de Pires e de seus principais dirigentes, como Itair Machado, se juntaram.

Além de não conseguirem atingir nenhuma das metas prometidas, fizeram o Cruzeiro passar pelo maior vexame de sua história.

Disputará em 2020 a Segunda Divisão.

Sua cota de transmissão diminuirá de R$ 30 milhões para R$ 6 milhões.

Atormentado por ameças de morte de vândalos nas torcidas organizadas e para não passar pela vergonha de ser banido em um fácil processo de impeachment, Vagner Pires terá sua renúncia oficializada hoje.

Com ele, saem o primeiro vice, Hermínio Lemos, e o segundo vice, Ronaldo Granata.

Dois anos de mandato caótico já foram suficentes para que os três sejam banidos do clube.

O clube completa hoje três meses de atrasos de salários de jogadores e funcionários. Se não forem pagos nesta sexta-feira, dia 20, os atletas têm direito de irem embora sem o clube receber um centavo.

As receitas de televisão já foram adiantadas.

Assim como dinheiro de patrocinadores.

A dívida do Cruzeiro já bate nos R$ 700 milhões.

Veja mais: Recuo de Milena na justiça. E carreira de Jean pode ser salva

Vagner Pires de Sá conseguiu levar o clube à bancarrota.

E na sua administração vários negócios foram suspeitos.

Seguem sendo investigados pela Polícia Federal.

Itair Machado, homem forte do futebol, conseguiu levar um clima de insegurança, tensão ao clube. Sobre ele já havia várias denúncias de ameças de morte a jornalistas, desde que trabalhava no Ipatinga.

Vagner desmentiu jornalista que publicou que o salário de Itair era de R$ 354 mil. E disse que era apenas R$ 180 mil. Mas confirmava multa de R$ 2 milhões, em caso de o Cruzeiro o demitir.

Ele tinha direito a premiações a cada conquista do time.

A gestão de Itair foi danosa.

Ele contratou jogadores caros, veteranos. Sem força física. Não consultando ninguém. Tinha absoluta liberdade para fazer o que quisesse no futebol.

Não percebeu que Mano Menezes perdera o comando do grupo. Contratou Rogério Ceni. Mas o mandou embora após apenas oito jogos. O pecado de Ceni foi antecipar que haveria uma profunda reformulação no elenco em 2020. O treinador percebeu que o veterano grupo era muito fraco.

Itair ficou ao lado dos veteranos jogadores.

Rogério Ceni. Vítima dos jogadores veteranos e da incompetência dos dirigentes

Rogério Ceni. Vítima dos jogadores veteranos e da incompetência dos dirigentes

Reprodução/Twitter

Ceni foi embora e com multa de R$ 2 milhões para receber.

Foi quando o dirigente contratou Abel Braga. O clube pagou comissão pela contratação para o filho do técnico. Situação absurda.

O fracasso dentro de campo continuou.

E Itair Machado, finalmente, foi demitido.

Vagner Pires para tentar se manter no poder, entregou o futebol ao ex-senador da República e ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella. Abel foi demitido depois de 14 jogos. Assumiu Adilson Batista, que havis sido mandado embora do Ceará.

De nove pontos, a missão de Batista era conseguir pelo menos seis.

Não conseguiu nenhum.

Foram três derrotas.

O time foi rebaixado.

Mesmo assim, ele acaba de ser confirmado como técnico em 2020.

As denúncias adminstrativas foram assustadoras.

Como transações ilegais de jogadores com empresários não cadastrados pela CBF, cessão de direitos econômicos de jogadores de base, abaixo da idade mínima, o que é proibido pela lei brasileira e esquema de pagamentos para torcidas organizadas.

Vagner comprometeu 20% de 'Messinho', de dez anos, com empresário

Vagner comprometeu 20% de 'Messinho', de dez anos, com empresário

Reprodução/Twitter

Há a acusação do repasse de jogadores para Cristiano Richard dos Santos, como dos atacantes Raniel e David, do profissional.

Outra situação absurda é do meia Estevão William , de 10 anos, também repassado para Cristiano Richard, que não é credenciado pela CBF.

O clube cedeu 20% dos direitos do menino, o que é proibido.

Os direitos de outros dez jogadores foram repassados ao mesmo empresário, gerando suspeita da Polícia Civil de Minas Gerais.

A omissão dos conselheiros do clube é algo que também deve ser levada em consideração.

Eles tinham de ter barrado, denunciado todos os absurdos que aconteciam na Toca da Raposa.

Mas, finalmente, o pesadelo acabou

Depois de muito sofrimento, hoje o dia é de alegria.

Vagner Pires não é mais presidente do Cruzeiro.

Um conselho gestor assumirá.

E marcará novas eleições.

Reflexo dos desmandos. Cruzeiro rebaixado pela primeira vez na história

Reflexo dos desmandos. Cruzeiro rebaixado pela primeira vez na história

Reprodução/Instagram

Que as pessoas que têm direito a voto tenham consciência. 

Escolham com critério o novo presidente.

Investiguem as pessoas que o cercam.

E, se errarem, de novo, que o afastem o mais rápido possível.

Os estragos de Vagner Pires ficarão para a história.

Seu legado no Cruzeiro é vergonhoso...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Jean é mais um na lista de jogadores acusados de agredir mulheres