Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Para salvar Corinthians do rebaixamento. Ramón Díaz chega com reforços. Santana e Charles contratados. Fausto Vera e Garro não saem

Perfil e economia de R$ 2,4 milhões de multa por Carille, argentino fecha até o fim de 2025. E promete mudar totalmente o time corintiano. Já exige que Vera e Garro não sejam negociados. Augusto Melo contratou dois reforços e negocia mais dois

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window


Ramon Díaz salvou o Vasco do rebaixamento. Essa é a sua missão no Corinthians Leandro Amorin/Vasco

“Mensagem para todo mundo.

“E para a torcida do Vasco...”

Três socos na mesa.

“O Vasco não vai cair.

Publicidade

“Não vai cair.

Mais três socos na mesa.

Publicidade

“Aconteça o que aconteçer...”

Outros três socos na mesa.

Publicidade

“O Vasco não vai cair.”

“Absolutamente, não vai cair.

“Vamos lutar até o fim.

“Não vai cair.

“Aconteça o que acontecer.”

O vídeo dessa promessa, feita por Ramón Díaz, no dia 23 de setembro do ano passado, logo após o empate entre Vasco e Bahia, em Salvador, encantou Augusto Melo.

Esse é o lado vibrante, firme, corajoso que o presidente mostrou para os chefes das organizadas corintianas para convencê-los da contratação do argentino como novo treinador do Corinthians, com contrato até 2025.

O objetivo é salvar o clube do rebaixamento, como fez com o Vasco no ano passado.

O outro motivo, só deixado claro para seus companheiros de diretoria, é a economia de R$ 2,4 milhões.

Esse é o dinheiro que o Corinthians pagaria de multa para o Santos, para ter Fabio Carille.

Díaz foi mais fácil.

Estava desempregado.

Ele já havia dito ‘sim’ para o clube paulista há uma semana.

Só que Melo estava indeciso entre ele e Carille.

Mas o dinheiro e a resistência que o técnico do Santos tem entre os apoiadores de Melo fizeram que optasse por Díaz.

Ele e sua Comissão Técnica receberão R$ 1,6 milhão por mês, 20% a menos que ganhavam no Vasco.

Melo não tocará nesses assuntos.

O dirigente vai destacar o currículo de Díaz.

Que formou um River Plate histórico, vencedor da Libertadores de 1996, ganhador de oito campeonatos argentinos e de campeonatos sauditas.

Foi ex-jogador importante do River, Inter de Milão, Fiorentina, Mônaco.

Aos 64 anos, ele tem o perfil muito diferente de António Oliveira, 23 anos mais novo que ele.

Diáz é personalista, vibrante, de personalidade forte.

Um treinador que gosta de montar times que se impõe fisicamente.

E com muita qualidade na saída de bola, com movimentação constante no ataque.

Seu DNA é ao contrário de Carille: muito ofensivo.

Ele divide seu trabalho com o filho Emiliano, que é participativo, mais próximo dos jogadores.

Responsável pela cobrança dos esquemas táticos organizados pelo pai.

A dupla só saiu do Vasco porque se desentendeu com a cúpula da multinacional 777, que geria o futebol do clube.

O presidente Pedrinho tentou contratá-la de novo, mas Díaz não quis.

Díaz teve várias conversas com Augusto Melo.

E disse imediatamente que era contra a saída de Fausto Vera para o Atlético Mineiro.

E de Garro para o River Plate.

Conta com os dois e como titulares do Corinthians vibrante que deseja formar.

E ouviu de Melo ser possível, sim, segurar a dupla, já que Díaz a considera fundamental.

Recebeu de Melo a notícia das contratações dos volantes Alex Santana, do Athletico Paranaense e de Charles, do Midtjylland, da Dinamarca.

E ainda estão muito avançadas as negociações com o meio campista João Schmidt, do Santos, e do lateral esquerdo Borja, do Braga, de Portugal.

Além disso, a direção negocia com um atacante de velocidade.

Díaz prometeu para Melo ‘incendiar’ o Corinthians, com a força de sua torcida.

Tornar o time dominante, empolgante, bem ao contrário do que acontece agora, com a equipe na zona do rebaixamento.

O argentino só não assumirá amanhã, contra o Vasco, por respeito ao clube que estava trabalhando.

Sentará pela primeira vez no banco de reservas, como treinador, na próxima terça-feira, contra o Criciúma, em Itaquera.

Díaz estava finalizando essa manhã a sua confusa saída do clube carioca.

Na CBF, ele ainda está registrado como treinador vascaíno.

Porque há o impasse.

Díaz diz que foi demitido e enquanto a equipe garante que ele se demitiu.

Por trás, há a briga por uma multa de 4 milhões de euros, R$ 22 milhões.

O argentino busca o acordo para que o Corinthians possa anunciá-lo oficialmente hoje.

Augusto Melo disse a aliados, nesta manhã, que tudo está ‘mais que resolvido’.

E que o técnico do Corinthians já está ‘contratado’...

Veja também




Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.