Cosme Rímoli Centralizador, Andrés é  internado. Corinthians travado

Centralizador, Andrés é  internado. Corinthians travado

Encefalite viral obriga Andrés a ser internado no hospital São Luiz. Presidente centralizador, sem ele, Corinthians fica travado. Decisões sem solução

Andrés Sanchez internado, Corinthians, encefalite viral

Centralizador, tudo importante no Corinthians depende de Andrés Sanchez

Centralizador, tudo importante no Corinthians depende de Andrés Sanchez

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

"O presidente do Sport Club Corinthians Paulista, Andrés Sanchez, está internado no Hospital São Luiz - Unidade Itaim Bibi, após sofrer um mal-estar no início da noite de quarta-feira (06).

Com a realização de exames foi diagnosticada uma encefalite viral que será tratada nos próximos dias.
Aos cuidados da equipe de infectologia e do Dr. Jorge Kalil, o presidente do Clube permanecerá internado para tratamento adequado. A infecção viral está controlada."

Leia mais: Neymar não foi até o chão na Bahia. Foi hoje, com a eliminação do PSG

Esta é a nota oficial que o Corinthians acaba de publicar.

A internação às pressas de Andrés causou comoção, forte preocupação no clube.

Ninguém queria divulgar informações precisas.

Ele é hipertenso e reclama há tempos de viver em permamente stress.

Desconta a tensão fumando.

Além de não esconder que adora noitadas.

Aos 55 anos também gosta de cerveja.

Além de ser sedentário.

Veja também: Os milhões do futebol implodem as escolas de samba tradicionais

As informações extraoficiais são de que tudo está 'sob controle'. 

Mas que ele passará 'alguns dias' internado.

Não há previsão de saída.

A doença é causada por vírus.

E precisa ser acompanhada com muita atenção.

Nos piores casos pode ocorrer inflamação do tecido cerebral, causando inchaço (edema cerebral).

Isso pode levar à destruição das células nervosas, sangramento (hemorragia intracerebral) e dano cerebral.

A internação acontece em um momento conturbardo do Corinthians.

O clube estava perto de fechar a contratação de Arana.

Andrés se mostrava disposto a investir R$ 34 milhões na volta do lateral, que fracassou no Sevilla.

Além disso, o dirigente estava acumulando cargos. 

Depois da saída de Luis Paulo Rosenberg, seguia encarregado do marketing e de tudo relacionado ao Itaquerão.

E negociava sem cessar a tentativa de um acordo para pagar o estádio.

Leia mais: Tite lamenta. Precisava ver Vinícius Júnior na Seleção. Sem Neymar

A dívida já chega a R$ 2 bilhões.

O clube não suporta mais ter a renda dos seus jogos desviada para amortizar o pagamento.

Andrés tenta desesperadamente mudar essa condição acertada por ele mesmo e que estrangula financeiramente o Corinthians.

Estava completamente estressado.

Sua internação escancara outro lado importante do Corinthians.

O quanto o presidente é centralizador.

Ele detém todo o poder.

Nenhuma decisão importante ocorrerá com ele no hospital.

O clube está paralisado.

As negociações com Arana e com o Itaquerão foram suspensas.

Tudo gira ao redor de Andrés.

Sua diretoria apavorada.

Desnorteada.

Membros de todas as áreas do clube não param de ligar para o diretor-adjunto Jorge Kalil, que é médico.

Querem informações sobre Andrés.

Kalil tem repetido que está 'tudo bem'.

E que é preciso esperar.

Mas a situação é clara.

O Corinthians não está preparado para seguir sem Andrés...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Nos 10 anos de carreira de Neymar, veja 10 grandes momentos do 10