Cosme Rímoli Apesar de condenação por suposto estupro, Santos quer Robinho 

Apesar de condenação por suposto estupro, Santos quer Robinho 

O presidente Peres acredita que não haverá protestos, como em 2017. E o jogador poderá retornar à Vila Belmiro. Como o  veterano Diego

  • Cosme Rímoli | Do R7

Presidente do Santos despreza condenação. E tenta contratar Robinho para 2019

Presidente do Santos despreza condenação. E tenta contratar Robinho para 2019

Atlético Mineiro

São Paulo, Brasil

Bastou o presidente José Carlos Peres reverter dois processos de impeachment, por conta dos sócios, que levaram em consideração a recuperação do time com Cuca.

Caso a equipe continuasse a caminho rebaixamento, como estava com Jair Ventura, a votação seria outra.

Veja mais: Peres insiste em Gabigol para 2019 e vê contratação de Dodô como urgente

Certo de que ficará no cargo até 2020, o dirigente já busca reforços para 2019.

Já garantiu a Cuca que ele terá um elenco muito mais forte na próxima temporada. Principalmente se o time conseguir chegar até a Libertadores da América.

E nos seus planos está a ideia de reeditar a dupla que fez muito sucesso em 2002.

Sim, Diego e Robinho.

O mesmo dirigente que garantiu que não contrataria o atacante Robinho pela condenação de nove anos por estupro na Itália, mudou seu discurso. Está bem diferente do final do ano passado, quando havia sérias cobranças de grupos feministas no Atlético Mineiro, para que o  jogador não seguisse em Belo Horizonte. Por conta da condenação. 

O complicado caso aconteceu na madrugada do dia 23 de fevereiro de 2013. De acordo com a acusação, Robinho, seu amigo pessoal Ricardo Falco e mais quatro homens teriam abusado de uma jovem albanesa. A teriam embriagado e tido relações sexuais com ela no balcão de guarda-volumes da boate Sio Café, em Milão.

De acordo com a agência ANSA, a jovem teria ido à danceteria com duas amigas. Robinho com Ricardo Falco e mais quatro amigos. Por conhecer o jogador, a garota albanesa decidiu ficar na boate, enquanto as duas amigas acabaram indo embora. Foi quando o suposto estupro coletivo teria acontecido.

Veja mais: Os técnicos que já deixaram seus clubes no Brasileirão

Apesar de condenado a nove anos de prisão, os advogados de Robinho entraram com recurso. Como no Brasil, a justiça italiana é muito lenta. A previsão é que a situação leve anos. Não é permitido que a pena seja executada até que o réu não tenha direito até o último recurso.

O jogador nega o estupro.

Mas a condenação na Itália deixou a situação muito ruim no Brasil. Inúmeras faixas e protestos nas redes sociais obrigaram a diretoria do Atlético Mineiro a não renovar com o atacante.

A direção do Atlético Mineiro foi pressionada para não seguir com Robinho

A direção do Atlético Mineiro foi pressionada para não seguir com Robinho

Atlético Mineiro

Peres, que sempre teve essa fixação por resgatar antigos ídolos, se viu isolado. Conselheiros exigiam que o Santos não tivesse um jogador com acusação de estupro no seu elenco. E o presidente desistiu. Foi quando Robinho foi atuar no Sivasspor, clube fraco da Turquia. Atual 12° no campeonato nacional.

Veja mais: Santos quer retorno de Diego e Robinho, mas teme salário

Agora, o dirigente santista demonstra acreditar que a situação em relação a Robinho está mais calma. E que as pessoas esqueceram a gravíssima acusação. E que também está mais forte para enfrentar conselheiros, depois de ter sido salvo pelos sócios.

Só que Peres está menosprezando a inteligência alheia.

Caso ele confirme a terceira volta de Robinho, o elenco será pressionado. 

Veja mais: Aposentadoria de Renato intensifica busca do Santos por volante

Ainda há muitos membros da diretoria e do conselho que não aceitam o retorno.

Por conta da condenação.

E também pela postura do jogador.

Quando decidiu voltar para o Brasil da China, Robinho preferiu receber mais dinheiro no Atlético Mineiro. Não quis saber do clube que o lançou ao futebol, já que a proposta era menor.

Veja mais: Veja a classificação do returno do Brasileirão com Palmeiras líder

A mesma acusação pesa contra Diego.

O meia foi seduzido pelo Flamengo.

E por R$ 850 mil mensais, de acordo com a imprensa carioca.

E sequer pensou no Santos.

Veja mais: Após vitória em clássico, Santos inicia semana com indefinição sobre Bambu

Robinho fará 35 anos em janeiro.

Diego, 34, em fevereiro de 2019.

Os dois têm contrato com seus clubes até julho do próximo ano.

Tanto o Sivasspor e o Flamengo não se mostram empolgados.

Se ambos quiserem, conseguem a antecipação da rescisão.

Veja mais: Confira a disputa pela liderança do Brasileirão rodada a rodada

Peres aposta que a dupla seria carregada nos ombros dos santistas.

Mas ele está enganado.

Há muitos conselheiros que não desejam a volta dos dois.

Principalmente a de Robinho, pela condenação por estupro.

Cuca já sabe dessa complicada situação.

As torcedores do Atlético Mineiro tiraram o jogador de Belo Horizonte

As torcedores do Atlético Mineiro tiraram o jogador de Belo Horizonte

Reprodução/Twitter

E também de que a saída de Gabigol é muito possível.

Já mandou os dirigentes entrarem em contato com Vagner Love.

O jogador quer atuar no Santos.

Veja mais: Com proposta do Atlético-PR, Bambu recusa renovação do Santos

Ele esteve quase para jogar na Vila Belmiro no meio deste ano.

O Besiktas impediu.

Seu contrato termina também no meio de 2019.

Veja mais: Santos aguarda aprovação de novos gestores por avanço em reforços

Mas seu estafe já deu sinais que ele pode voltar em janeiro.

Ou seja, Cuca quer trabalhar em paz no próximo ano.

E ter um jogador condenado por estupro será difícil.

Apesar da determinação de José Carlos Peres...

Veja quem são os queridinhos das 12 principais equipes do Brasileirão

Últimas