Federação determina que Palmeiras e Corinthians façam testes de covid

Exames serão realizados antes do segundo jogo da decisão do estadual, no sábado, seguindo protocolos de segurança do Paulistão

Final do Paulistão será disputada na quarta e no sábado

Final do Paulistão será disputada na quarta e no sábado

Lance

A FPF (Federação Paulista de Futebol) determinou que Palmeiras e Corinthians realizarão exames de covid-19 antes do segundo jogo da final do Paulistão, que será realizado sábado, às 16h30, no Allianz Parque.

Em nota divulgada na tarde desta segunda-feira (3), a entidade confirmou que o Corinthians não tem obrigação de testar novamente seus jogadores antes do jogo de quarta-feira (5), já que "atuou contra o Mirassol com toda sua delegação testada. Após a partida, o clube continuou com seu grupo isolado, o que, de acordo com o protocolo, não obriga realização de novo teste para o próximo jogo".

Cosme Rímoli: Inacreditável. Corinthians se recusa a fazer exames da covid-19...

O órgão confirmou, ainda, que o Palmeiras não manteve seus jogadores isolados, conforme explica o protocolo de segurança, assinado pelos médicos dos 16 clubes participantes da competição, por isso, "antes da concentração para a partida seguinte, a delegação deve ser testada".

(Leia a íntegra da nota no final do texto)

Mais tarde, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez escreveu, em sua conta no Twitter, que irá realizar os exames em seus jogadores na manhã da próxima quinta-feira, horas depois do jogo de ida.

Entenda o caso

A polêmica começou nesta segunda-feira, quando o Corinthians afirmou que não realizaria novos testes de Covid-19 em seu elenco antes do jogo de ida. Segundo alega o Timão, o clube cumpriu todos os protocolos de segurança e manteve seus jogadores confinados, diferentemente do Palmeiras, que não confinou os jogadores e terá que fazer novos exames.

O Corinthians chegou a soltar um comunicado explicando que a decisão de não realizar novos testes antes do jogo de ida cumpria as determinações do protocolo de segurança da Federação.

Veja a nota da Federação Paulista de Futebol

"A Comissão Médica da Federação Paulista de Futebol vem a público esclarecer questionamentos sobre o protocolo do Campeonato Paulista – Série A1:

1) O protocolo da competição foi elaborado e aprovado por unanimidade pelos médicos dos 16 clubes participantes do campeonato;

2) O documento prevê que as delegações deveriam ser testadas e, após os resultados, se concentrariam para as partidas em locais previamente preparados e higienizados;

3) O Sport Club Corinthians Paulista atuou contra o Mirassol com toda sua delegação testada. Após a partida, o clube continuou com seu grupo isolado, o que, de acordo com o protocolo, não obriga realização de novo teste para o próximo jogo;

4) A Sociedade Esportiva Palmeiras optou por não manter os atletas confinados e concentrados após a partida contra a Ponte Preta. Assim, seguindo o mesmo conceito do protocolo, antes da concentração para a partida seguinte, a delegação deve ser testada;

5) A FPF informa ainda que, em comum acordo com os dois clubes, serão realizados testes de PCR-RT em ambas delegações, estando concentradas ou não, antes da partida decisiva, marcada para sábado, às 16h30. Os testes serão realizados pelo Albert Einstein, por meio de convênio que a FPF possui com o hospital."


Veja a nota do Timão

"O Sport Club Corinthians Paulista vem a público esclarecer as informações equivocadas veiculadas na imprensa sobre a realização dos testes de Covid-19 em seus atletas.

Conforme o protocolo elaborado pela Federação Paulista de Futebol e seu comitê médico, aprovado e exigido pelo Governo do Estado de São Paulo, Prefeitura de São Paulo e prefeituras de todas as cidades dos clube participantes, o Corinthians cumpriu o confinamento de seus atletas e comissão técnica, seguindo à risca o acordo, diferentemente da Sociedade Esportiva Palmeiras que descumpriu e liberou seus atletas depois de cada partida, o que nunca foi permitido.

No SCCP, além dos atletas e da comissão, também seguem o mesmo protocolo de confinamento na concentração todos os funcionários envolvidos nas atividades diárias do Centro de Treinamento. Além disso, o Clube realizou duas baterias de exames durante esse período.

Prezando a saúde desde o início da pandemia, o Corinthians zela pelos cuidados de seus atletas e colaboradores e, por isso, mantém sua delegação em confinamento há 14 dias, período este em que todos estão privados do convívio de suas famílias. Não aceitamos que o ônus da irresponsabilidade seja transferido para quem cumpriu todos esses requisitos.

A diretoria do Timão ressalta ainda que nenhuma tentativa de tumultuar o ambiente será admitida e repudia a prática que se repete há três anos, quando a equipe chegou às finais do Estadual consecutivamente."

Veja também: Peças de Neymar, Zico e outros vão a leilão para ajudar vítimas da covid