Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Suspeito afirma que todos sabiam como Daniel seria torturado

De acordo com Edson Stabler, advogado do suspeito Eduardo Henrique da Silva, todos os envolvidos sabiam que jogador teria genitália cortada

Esportes|Giulianne Kuiaba, da RecordTV e Carla Canteras, do R7

Eduardo Henrique da Silva, suspeito de ter matado Daniel
Eduardo Henrique da Silva, suspeito de ter matado Daniel Eduardo Henrique da Silva, suspeito de ter matado Daniel

O suspeito de ter participado da morte do jogador Daniel, Eduardo Henrique da Silva, de 19 anos, prestou depoimento nesta segunda-feira (12), na Delegacia Regional de São José dos Pinhais (PR).

De acordo com seu advogado, Edson Stabler, todos os envolvidos na morte sabiam o que aconteceria com o jogador quando ele foi retirado da casa de Edison Brittes, réu confesso do crime.

Leia também

Ainda segundo o advogado, antes de sair da casa onde Daniel foi espancado, Edison Brittes amolou uma faca no chão e os três jovens, Eduardo Henrique da Silva, Ygor King e David Vellero Silva, sabiam que o órgão sexual do jogador seria cortado em outro local e aceitaram segurá-lo para que Edison tomasse a atitude.

Veja mais: Imagens em shopping flagram Brittes com testemunhas

Publicidade

Um dos jovens retirou a cueca de Daniel e ele foi colocado foi no porta-malas do carro. Edison Brittes dirigia o automóvel e em determinado momento, segundo Edson Stabler, ele teria visto alguma coisa no celular e ficado bravo. Com isso, parou o carro e todos desceram em seguida. De acordo com o advogado, nesta hora, Edison foi até o porta-malas, pegou Daniel pelo ombro, depois agarrou sua camiseta e em seguida cortou a garganta do jogador.

Veja mais: Suspeito de matar o jogador depõe nesta segunda

Publicidade

Depois disso, o corpo foi levado já desfalecido para o matagal e lá, Edison Brittes teria cortado o órgão sexual de Daniel na frente de todos os suspeitos. Segundo o advogado, o réu confesso disse que resolveria tudo e dito “quem matou fui eu”.

O depoimento de Eduardo Henrique da Silva contradiz o que foi dito por Ygor King, de 19 anos, e David Vellero Silva, de 18 anos, ao delegado do caso.

Publicidade

Veja mais: Vídeo mostra suspeitos em loja de celulares após o crime

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Do Cruzeiro ao São Bento: Relembre a trajetória do meia Daniel

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.