Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Caso Daniel: Vídeo mostra suspeitos em loja de celulares após o crime

Imagens revelam o casal Edison e Cristiana Brittes em uma assistência técnica para celulares dias depois do assassinato em São José dos Pinhais (PR)

Futebol|Cesar Sacheto, do R7, com informações da RecordTV

Edison, Allana e Cristiana Brittes estão presos em penitenciária de Curitiba
Edison, Allana e Cristiana Brittes estão presos em penitenciária de Curitiba Edison, Allana e Cristiana Brittes estão presos em penitenciária de Curitiba

Um vídeo divulgado na edição desta sexta-feira (9) do programa Cidade Alerta, da RecordTV, mostra o casal Edison e Cristiana Brittes em uma assistência técnica para aparelhos celulares na cidade de São José dos Pinhais (PR) dias depois da morte do jogador Daniel Corrêa, de 24 anos, jogador do São Paulo que estava emprestado ao São Bento.

Sexo, traição e vingança: por que o jogador Daniel foi assassinado

A polícia suspeita que o casal teria levado o celular de Cristiana até o local para ser modificado e apagar vestígios do crime, ocorrido no mês passado durante a comemoração do aniversário de 18 anos da filha do casal, Allana, na residência da família.

Leia também

Daniel foi espancado dentro da casa depois de ser flagrado na cama dentro do quarto do casal. Depois, a vítima foi transportada de carro até um matagal e morta a facadas. Os assassinos tentaram decepar o pescoço e cortaram a genitália de Daniel.

Publicidade

Veja mais: Lesões do futebol ajudaram família a identificar corpo de Daniel Corrêa

Versões 

Publicidade

O empresário Edison Brittes assumiu a culpa pelo homicídio. Em depoimento à polícia, ele tm isentado os demais participantes da festa. Versão semelhante foi apresentada nesta sexta por dois suspeitos que estão presos. O terceiro deverá depor na próxima segunda-feira.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Publicidade

Já a mulher de Brittes, Cristiana, abandonou o marido e negou participação no assassinato ao ser ouvida pelos investigadores e o delegado que trabalham no inquérito instaurado na Delegacia Regional da Polícia Civil de São José dos Pinhais. A mulher contou em depoimento que pediu para que o marido parasse de bater na vítma

Transferências

A família Brittes, que está presa temporariamente por 30 dias, foi transferida nesta sexta da carceragem da Delegacia da Polícia Civil de São José dos Pinhais para um complexo penitenciário em Piraquara, na região metropolitana de curitiba.

Edison foi levado para o Centro de Triagem 1, onde deverá permanecer por alguns dias. Cristiana e Allana foram transferidas para a penitenciária feminina. Ambas estão separadas e isoladas das demais presas.

Tortura, assassinato e briga de bar: Veja casos traumáticos do esporte

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.