Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Dinastia Chiefs, retorno de QBs e jogo no Brasil: 7 histórias para acompanhar na NFL em 2024

A cem dias do kickoff, protagonistas e roteiros começam a ser escritos para mais um ano de batalhas dentro de campo

Jarda por Jarda|Lucas FerreiraOpens in new window

Com a aposentadoria de Tom Brady, Patrick Mahomes (foto) se tornou o rosto da liga (Reprodução Site/NFL/Ben Liebenberg)

A partir desta terça-feira (28), começamos a contagem regressiva para a temporada 2024 da NFL. Kansas City Chiefs e Baltimore Ravens se enfrentarão em exatos cem dias, reeditando a final da AFC, mas desta vez na Semana 1.

Mesmo com mais de três meses pela frente até a bola oval voar, começam a se desenhar algumas das histórias que podem se tornar os principais roteiros da temporada 2024. Neste texto, o Jarda por Jarda traz sete histórias que valem a pena acompanhar a partir de setembro.

Dinastia Chiefs

Quatro Super Bowls e três títulos nos últimos cinco anos. Os Chiefs são o time a ser batido nesta temporada da NFL, sem dúvidas. Comandados por Patrick Mahomes — principal rosto da liga —, os atuais campeões têm caminho aberto para assumir a classificação que por muito tempo pertenceu a Tom Brady, Bill Belichick e New England Patriots: a de dinastia.

Por algum tempo, pareceu impossível repetir os feitos dos Pats. Entretanto, o início de carreira avassalador de Mahomes, sob a batuta de Andy Reid, nos faz lembrar o duo Brady - Belichick. Quem pode parar os Chiefs?

Publicidade

Retorno de Burrow e Rodgers

Joe Burrow, quarterback do Cincinnati Bengals, é o jogador mais bem pago da liga (Reprodução Site/NFL/Ryan Kang)

Se Mahomes precisa de antagonistas para desafiar seu reinado, o quarterback dos Chiefs vê em Joe Burrow, do Cincinnati Bengals, talvez seu maior desafio. Em quatro encontros, Burrow derrotou Mahomes três vezes. O QB dos Bengals, que sofreu uma lesão no punho em meados da última temporada, volta em 2024 batalhando para ficar saudável. Em seus quatro anos de carreira, quando conseguiu este feito, Burrow foi capaz de levar a franquia de Cincinnati pelo menos à final da AFC (temporadas 2021 e 2022).

Outro nome famoso na liga, Aaron Rodgers finalmente deve “estrear” pelo New York Jets. No ano passado, apesar de toda animação da torcida nova-iorquina, o quatro vezes MVP (sigla para Jogador Mais Valioso, em tradução livre) sofreu um rompimento do aquiles em uma das primeiras jogadas da Semana 1, acabando com sua temporada. Desta vez, será interessante ver se Rodgers ainda tem lenha para queimar e ajudar um jovem e promissor plantel dos Jets.

Publicidade

Quarterbacks calouros

Seis quarterbacks foram selecionados na primeira rodada do Draft da NFL deste ano — repetindo o feito da Classe de 1983. Dentre os talentos escolhidos, sem dúvidas os holofotes ficarão em cima da primeira escolha geral, Caleb Williams. O novo franchise QB do Chicago Bears representa “um novo ciclo”, segundo palavras do kicker da equipe, Cairo Santos.

As expectativas sobre Williams são gigantescas desde os seus primeiros anos na universidade, visto como um talento geracional. Também será interessante acompanhar os passos de Jayden Daniels, do Washington Commanders, e Drake Maye, dos Patriots. Enquanto Daniels deve ser titular desde o dia 1, pouco se sabe sobre os planos da franquia de New England acerca de Maye. Vale acompanhar a novela!

Publicidade

Jogo no Brasil

Não importa a franquia que você torce, não importa o seu jogador favorito. Todo fã brasileiro da NFL está extremamente ansioso para a primeira partida da liga no país. Além dos 60 minutos do confronto entre Philadelphia Eagles e Green Bay Packers dentro de campo, a NFL certamente trará ativações que proporcionarão a experiência de ver um jogo da liga, assim como é nos estádios norte-americanos. Imperdível!

Regras de kickoff

Cairo Santos em treinamento pelo Chicago Bears (Reprodução Instagram/Cairo Santos)

Após anos de reclamação dos torcedores sobre o momento protocolar que se tornou o kickoff, a NFL decidiu aderir ao formato da XFL e levará mudanças para a reposição de bola feita pelo kicker. A partir desta temporada, os jogadores do time de ataque e defesa devem ficar parados esperando que o retornador encoste na bola ou ela toque no chão.

Certamente, o novo formato vai permitir um maior número de retornos e posições de campo melhores para o ataque. Tenha certeza: todos as 32 franquias da NFL já estão pensando em como ganhar vantagem com a nova regra.

Justin Herbert

O quarterback Justin Herbert chegou fazendo barulho na liga. Em seus primeiros anos, alguns analistas colocavam seu talento à frente de outros QBs da mesma classe, como Burrow e Jalen Hurts. Entretanto, dos três citados neste parágrafo, apenas Herbert não conseguiu chegar ao Super Bowl.

Nesta temporada, o quarterback contará com um grande reforço: Jim Harbaugh. O treinador, atual campeão universitário dos Estados Unidos, vem para uma nova passagem na NFL — anteriormente levou o San Francisco 49ers ao Super Bowl. Pessoalmente, estou ansioso para ver o que esta dupla pode fazer. Potencial, Herbert tem de sobra.

Fim das correntes

As correntes podem ter os dias contados para a marcação de descidas (Reproduçao X/Around the League)

Finalmente a bilionária NFL deve acabar com as correntes. Segundo o The Washington Post, A liga pode implementar já nesta temporada um sistema digital de medição de primeiras descidas, aposentando as correntes.

A meu ver, sempre foi impossível saber onde estava a ponta da bola quando o ataque fazia formações similares as do rúgbi. Era completamente arbitrário o posicionamento da bola, muitas vezes influenciando diretamente no resultado das partidas. Espero que a implementação desta tecnologia venha para ontem.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.