Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Gol Delas
Publicidade

Brasil tem sonho interrompido pelos Estados Unidos, mas leva lição para Jogos Olímpicos

Seleção chegou à final da Copa Ouro com uma campanha invicta e perdeu a decisão por 1 a 0; evolução ao longo do torneio traz confiança para Paris

Gol Delas|Camila Juliotti, do R7 e Camila Juliotti

Brasil ficou com o segundo lugar da Copa Ouro Feminina da Concacaf
Brasil ficou com o segundo lugar da Copa Ouro Feminina da Concacaf Brasil ficou com o segundo lugar da Copa Ouro Feminina da Concacaf (Leandro Lopes/CBF)

Apesar da ótima campanha e da evolução ao longo da Copa Ouro Feminina, a seleção brasileira ficou com o segundo lugar da competição após perder por 1 a 0 para os Estados Unidos na grande final, neste domingo (10). A equipe comandada por Arthur Elias se mostrou superior às adversárias - que eram favoritas e jogavam "em casa" - nos primeiros 20 minutos de jogo, quando surgiram as melhores chances e muita pressão do Brasil. Em um desses momentos, Duda Santos fez o treinador comemorar o que seria um belo gol de falta depois que a bola passou pertinho da trave e chegou a balançar a rede pelo lado de fora.

O gol dos Estados Unidos saiu no finalzinho do primeiro tempo, em um cruzamento de bola na área e falha da zaga brasileira, deixando Lindsay Horan subir sozinha para cabecear, sem chances de defesa para a goleira Luciana.

No segundo tempo, em busca do empate para pelo menos levar a disputa à prorrogação, o rendimento da seleção caiu, com uma equipe ansiosa e desorganizada. As substituições do treinador também não surtiram efeito. 

Leia também

Com cinco vitórias e apenas 1 derrota, 15 gols marcados e só 2 sofridos, a seleção brasileira sonhava com esse título, que seria o primeiro de Arthur Elias no comando do time e traria confiança para um trabalho ainda em construção. O técnico chegou a dizer sobre a importância de se criar "uma mentalidade vencedora" e, apesar do vice, essa mudança de postura do grupo foi nítida ao longo do torneio, uma das lições a se levar para os Jogos Olímpicos de Paris. 

Publicidade

"Vi uma equipe muito competitiva, enfrentamos um grande adversário, tivemos mais chances que elas no jogo, volume, uma marcação eficiente em boa parte do jogo. Foi um grande ganho para a preparação da seleção", afirmou o técnico após a final. Vale reforçar que, visando a Olimpíada e formar o melhor time com 18 atletas, Arthur conseguiu testar o elenco e praticamente todas as jogadoras tiveram chance em campo.

Gabi Portilho, um dos destaques da seleção e nome de confiança do treinador, engrossou o coro: "O Brasil está com uma nova cara e vamos em busca dessa Olimpíada com muita motivação. Vamos gigantes para Paris".

O próximo compromisso do Brasil, antes dos Jogos Olímpicos, é o SheBelieves Cup, que também acontece nos Estados Unidos. A estreia das brasileiras será contra o Canadá, no dia 6 de abril, em Atlanta.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.