Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Gol Delas
Publicidade

Jogadoras do Ceará descobrem fim do time profissional pela mídia: 'Vergonha'

Presidente alegou falta de recursos financeiros para manter as atividades do futebol feminino, porém, o investimento na modalidade representa apenas 1% do orçamento

Gol Delas|Camila Juliotti, do R7 e Camila Juliotti

Meninas do Vozão foram campeãs do Campeonato Cearense Feminino em 2023
Meninas do Vozão foram campeãs do Campeonato Cearense Feminino em 2023 Meninas do Vozão foram campeãs do Campeonato Cearense Feminino em 2023 (Reprodução/Instagram/@meninasdovozao/Felipe Santos/Ceará SC)

Um dia depois de anunciar o fim do time profissional feminino do Ceará — que também não disputa mais a série A2 do Campeonato Brasileiro —, o atual presidente do clube, João Paulo Silva, se manifestou por meio de uma carta oficial divulgada nas redes sociais e direcionada às jogadoras. Isso porque, as atletas não foram avisadas da não continuidade do time. "Ficamos sabendo através da mídia. Vergonha apenas", criticou Bianca Sousa no Instagram.

"Quem diz ser amante do futebol não distingue as modalidades. Até onde vai o seu apreço pelo futebol feminino quando o seu também está na reta?! Precisamos de gente que se disponibilize para dar continuidade a sonhos. Até quando seremos obrigação?", alfinetou Mariana Félix em parte do texto postado na web.

O dirigente, por sua vez, alegou falta de recursos financeiros para manter as atividades da modalidade, explicando que os gastos com o futebol profissional feminino poderiam interferir nas finanças do clube nesta temporada, e atrapalhar o objetivo principal: o acesso à série A do futebol masculino. Vale reforçar, porém, que segundo a estimativa orçamentária do clube para 2024, o investimento no futebol feminino representa apenas 1% — cerca de R$ 1,5 milhão, contra mais de R$ 142 milhões do gasto total do Ceará no ano.

"Como muitos já sabem, uma nova realidade financeira tem nos obrigado a tomar decisões difíceis, dentre as quais abrir mão da disputa do Campeonato Brasileiro Feminino deste ano. Entretanto, isso não significa que o clube está extinguindo essa modalidade. De jeito nenhum. Disputaremos ainda este ano o Campeonato Estadual e seguiremos com o sub-15 e sub-17. O futebol feminino é um ativo do clube que merece ser preservado e valorizado", escreveu João Paulo.

Publicidade
Jogadoras criticaram decisão do presidente nas redes sociais
Jogadoras criticaram decisão do presidente nas redes sociais Jogadoras criticaram decisão do presidente nas redes sociais (Fotos de Reprodução/Instagram)

O presidente também falou em "falta de suporte" e temeu não conseguir alcançar o mesmo feito de 2022, quando as Meninas do Vozão foram campeãs do Brasileirão A2: "Achamos que abrir mão da disputa nacional, em um país continental como o nosso, é o mais sensato neste momento".

Com a decisão, o Ceará está automaticamente rebaixado para a série A3 do Brasileirão e, para conquistar uma vaga no campeonato nacional no ano que vem, as Meninas do Vozão precisam conquistar a classificação no Campeonato Cearense 2024.

Publicidade

Ironicamente, nesta semana, o clube tem promovido uma ação especial pelo Dia das Mulheres, que é celebrado nesta sexta-feira (8). A promoção "Mês da Gloriosa" convida as torcedoras do Ceará a apoiarem o time masculino no jogo contra o Bahia nesta quarta-feira (6). Para ganhar um ingresso, basta levar dois pacotes de absorventes em um dos pontos de troca. Não à toa, a diretoria foi duramente criticada nos comentários do post de divulgação da ação, e muitos torcedores até sugeriram a troca do presidente, ao invés de ingressos. 

Leia a nota na íntegra

Publicidade

CARTA ABERTA ÀS NOSSAS JOGADORAS

O futebol feminino no Brasil como um todo e, em especial no Ceará Sporting Club, é motivo de orgulho para nós. Vocês foram guerreiras, enfrentaram os maiores clubes do país e se sagraram campeãs brasileiras em 2022, um feito inédito no Nordeste. Algo que muito nos orgulha e que jamais será esquecido, podem ter certeza.

Acontece que, como muitos já sabem, uma nova realidade financeira tem nos obrigado a tomar decisões difíceis, dentre as quais abrir mão da disputa do Campeonato Brasileiro Feminino deste ano. Entretanto, isso não significa que o clube está extinguindo essa modalidade. De jeito nenhum. Disputaremos ainda este ano o Campeonato Estadual e seguiremos com o sub-15 e sub-17. O futebol feminino é um ativo do clube que merece ser preservado e valorizado.

Abrir mão de uma disputa nacional não é algo confortável, pelo contrário. Sei que vocês sonhavam com o momento de entrar em campo vestindo a nossa camisa, de marcar gols, o que torna esse momento ainda mais delicado. Entretanto, achamos que abrir mão da disputa nacional, em um país continental como o nosso, é o mais sensato neste momento, já que não poderemos oferecer o mesmo suporte que nos levou ao título há dois anos.

No mais, reforço meu compromisso de que, tão logo a situação financeira se estabilize, a gente possa voltar a ter vocês vestindo a nossa camisa e levando o nome do Ceará Sporting Club cada vez mais longe. A volta do futebol feminino profissional é um motivo a mais, um grande incentivo para que a gente busque o acesso à elite do futebol, que vindo, trará consigo a montagem do nosso elenco profissional feminino outra vez. Não vamos medir esforços para que isso aconteça.

Aproveito ainda para reforçar e tranquilizá-las de que cumpriremos com todos os acordos financeiros pré-estabelecidos com as atletas que tiveram contrato encerrado ao fim de 2023.

Cordialmente,

João Paulo Silva

Presidente do Ceará Sporting Club

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.