Palmeiras

Cosme Rímoli Palmeiras fez o que quis contra o débil Corinthians de Tiago Nunes

Palmeiras fez o que quis contra o débil Corinthians de Tiago Nunes

Em plena arena corintiana, vitória por 2 a 0. O time de Luxemburgo aproveitou expulsão de Fagner. Com um a mais o Corinthians foi presa fácil

  • Cosme Rímoli | Do R7

Palmeiras se impôs em plena arena corintiana. Se forçasse, teria goleado

Palmeiras se impôs em plena arena corintiana. Se forçasse, teria goleado

Palmeiras

São Paulo, Brasil

O Palmeiras quebrou o jejum de dois anos sem vencer o Corinthians, em plena arena do adversário.

O jogo foi definido aos 40 minutos do primeiro tempo.

Quando Luiz Adriano descobriu Wesley livre, nas costas de Fagner. 

O garoto chegou cara a cara com Cássio. Chutou em cima do goleiro, que conseguiu defender, mas a bola procurou Lucas Lima. A batida foi forte.

A bola dava a impressão que iria para fora, mas Fagner esticou o braço direito.

Pênalti e cartão vermelho.

Corinthians com um a menos.

Presente para o Palmeiras de Vanderlei Luxemburgo.

Luiz Adriano não deixou Patrick de Paula cobrar. 

Bateu firme, deslocando Cássio.

Palmeiras 1 a 0.

Tiago Nunes outra vez errou.

No intervalo, ele tirou o versátil Ramiro e colocou o forte volante Ederson. E também o meia e ágil Mosquito e escolheu o pesado lateral Michel.

Com um a menos, sem velocidade, forçando pelo meio, esperando um chute milagroso de Otero, foi presa fácil para os contragolpes palmeirenses.

Era questão de tempo que um fosse certeiro.

E ele veio, aos 19 minutos.

Lucas Lima, que jogou muito bem, como há tempos não fazia, ganhou a dividida no meio de campo e, de pé direito, descobriu Willian na esquerda. O veloz atacante chutou cruzado, onde estava esperando a bola o mais que promissor Gabriel Verón. Ele só empurrou para as redes. 2 a 0.

Luiz Adriano não deixou Patrick de Paula cobrar o pênalti. Bateu com convicção

Luiz Adriano não deixou Patrick de Paula cobrar o pênalti. Bateu com convicção

@Palmeiras

O Palmeiras seguiu tranquilo, marcando forte, travando as débeis iniciativas corintianas.

Não é por acaso que tantos conselheiros da oposição e até da situação, muito ligados a Andrés Sanchez, querem a demissão de Tiago Nunes.

O Corinthians segue um arremedo tático.

Desde o início do ano, o treinador não conseguiu definir a maneira de o time atuar.

Quando é obrigado a atacar, como no clássico com o maior rival em casa, escancara a falta de opções táticas. O fraco elenco não serve como desculpa. A movimentação dos seus jogadores transpira insegurança. 

Tiago é dependente demais de Fagner.

E hoje, o experiente lateral estava muito bem marcado até ser expulso.

Luxemburgo foi esperto.

Sabia da pressão sobre Tiago Nunes.

Até pela perda do título paulista para o Palmeiras.

Sabia que o Corinthians iria atacar.

O espaço seria aberto para o que mais gosta de fazer aos 68 anos, contragolpear.

Com exceção de um chute de Otero, aos 12 minutos do primeiro tempo no travessão, foi uma vitória tranquila palmeirense.

Gabriel Veron dança depois do segundo gol. Humilhação na arena corintiana

Gabriel Veron dança depois do segundo gol. Humilhação na arena corintiana

Bruno Escolástico/Estadão Conteúdo - 10.9.2020

Aos 40 minutos, descontrolado, raivoso, Danilo Avelar deu uma entrada desleal em Patrick de Paula e foi expulso.

O Palmeiras não aproveitou ter dois jogadores a mais.

Luxemburgo já tinha o que queria: a vitória.

Seu time é o único invicto no Brasileiro.

São 13 partidas sem perder.

E já chega à quarta colocação.

Jogadores comemoram a vitória na arena corintiana. Rival está fraco demais

Jogadores comemoram a vitória na arena corintiana. Rival está fraco demais

Palmeiras

O Corinthians, de Tiago Nunes, está estagnado.

Em 13º lugar.

Algo precisa ser mudado.

O mais rápido possível.

O time é mal treinado.

Com jogadores fracos.

Principalmente na articulação.

Essa mistura é assustadora...

Fagner jogando vôlei? Palmeirenses zoam o Corinthians após vitória

Últimas