Cosme Rímoli Palmeiras depende do Corinthians. Santos lutará contra rebaixamento

Palmeiras depende do Corinthians. Santos lutará contra rebaixamento

Palmeiras venceu o Santos no Allianz. Eliminou o rival do Paulista. Derrota da equipe santista contra o São Bento significará queda

  • Cosme Rímoli | Do R7

Viña comemora seu gol contra o Santos. Vitória que coloca o rival sob risco de rebaixamento

Viña comemora seu gol contra o Santos. Vitória que coloca o rival sob risco de rebaixamento

Cesar Greco/Agência Palmeiras 06/05/21

São Paulo, Brasil

Mesmo com o time inchado de reservas, o Palmeiras venceu o Santos, com seu time titular, por 3 a 2, no Allianz.

Beneficiado pelo inesperado empate entre Novorizontino e Botafogo de Ribeirão Preto, em 2 a 2, há chance de classificação para as quartas de final, na última rodada, no domingo.

Terá de vencer a Ponte Preta em Campinas.

E vai depender do Corinthians. O grande rival terá ao menos de empatar com a equipe de Novo Horizonte. Se perder, o Palmeiras estará eliminado.

Em compensação, a situação do Santos ficou inacreditavelmente ruim. O clube já está eliminado do Paulista. Mas, com apenas 10 pontos em 11 jogos. 

Se o clube que descobriu Pelé, Pepe, Coutinho e Neymar, perder para o São Bento, domingo, na Vila Belmiro, estará rebaixado para a segunda divisão no Paulista.

A luta é direta, já que o time de Sorocaba tem nove pontos. E precisa desesperadamente da vitória para ficar na divisão de elite de São Paulo.

Gustavo Scarpa participou dos dois primeiros gols do Palmeiras

Gustavo Scarpa participou dos dois primeiros gols do Palmeiras

Cesar Greco/Agência Palmeiras 06/05/21

Santos e Palmeiras pagam o preço por estarem disputando ao mesmo tempo a Libertadores e o Estadual mais difícil do país.

"Sobre a classificação, acredito que a gente vem fazendo nosso papel, vamos fazer nossa parte no próximo jogo."

"Sobre o Corinthians, eles têm que fazer a parte deles, acredito que não vão entregar. Sobre meu gol, só quem esteve comigo sabe como é. Fazer um gol em clássico, eliminar o rival, com a torcida pegando no pé, é algo incrível."

"Mas eu tenho o apoio de todos os companheiros para enfrentar as críticas", disse Esteves, o autor do gol da vitória do Palmeiras. Dividido entre ter de depender do Corinthians e a alegria por ter dedidido o clássico. Ele sabe o quanto é perseguido pela torcida palmeirense. Até porque tem jogado muito mal.

"A gente queria impôr nosso ritmo de jogo, mas pelo tempo de treinamento não conseguimos. O Palmeiras também vem, mas eles colocaram um time alternativo hoje."

"O cansaço bateu, sim, e infelizmente não conseguimos classificar. O foco agora é deixar o time na Série A, porque nunca caiu, e na Libertadores", avisou, irritado, Felipe Jonatan. O lateral chegou até a discutir com o banco de reservas santista, ao ser cobrado durante o jogo.

Abel Ferreira tratou de fazer o que prometeu. A prioridade do Palmeiras é a Libertadores. Tanto que quase o time inteiro foi poupado hoje. Se o time vencesse, ótimo. Se perdesse, não haveria choro, raiva. Caso houvesse a eliminação do Paulista, o alívio se misturaria com a tristeza. O desgaste tem sido enorme por conta das duas competições.

Camisa de Kaio Jorge puxada por Wesley. Pênalti desnecessário, tolo, infantil

Camisa de Kaio Jorge puxada por Wesley. Pênalti desnecessário, tolo, infantil

Reprodução/Premiere

O português apostou no 4-1-4-1 para conter o Santos, que sabia que viria muito ofensivo. E buscaria, com seu time 'alternativo', reserva mesmo, para os contragolpes em velocidade.

Marcelo Fernandes tratou de colocar sua equipe principal. Para tentar ganhar o jogo para seguir no Paulista e na Libertadores. Por conta das premiações das competições.

E ele optou pelo 4-3-3 mesmo jogando nos domínios palmeirenses.

Só que foi vítima dos contragolpes e logo saiu perdendo a partida por 1 a 0, aos sete minutos. Scarpa cruzou e Viña marcou de cabeça. Aos 13 minutos, o Santos empatou em um gol belíssimo. Marinho, com a 'matada' no peito, já tirou Viña da marcação e ajeitou para Kaio Jorge dominar e chutar forte, sem chance de defesa para Weverton, 1 a 1.

A partida seguiu muito disputada, com os times querendo vencer para sobreviver no Paulista.

Aos 22 minutos, o gol mais fácil possível. Gustavo Scarpa cobrou escanteio e Willian se antecipou a Kaiky e marcou de cabeça, 2 a 1.

O Santos forçava, sabia de sua péssima campanha no Paulista. Lutava ao menos para empatar o jogo. Mas seu elenco é limitado. E com vários jogadores jovens, que ainda precisam amadurecer. O time corria muito, mas se precipitava, chutando de qualquer maneira.

Weverton teve de mostrar, outra vez, porque é o melhor goleiro brasileiro da atualidade

Weverton teve de mostrar, outra vez, porque é o melhor goleiro brasileiro da atualidade

Cesar Greco/Palmeiras

Só aos 37 minutos houve precisão. Gabriel Pirani teve espaço para ajeitar o corpo e bater, da entrada da grande área, a bola foi no ângulo esquerdo. Weverton fez uma defesa cinematográfica.

Aos 38 minutos, a cena que fez Marcelo Fernandes ficar angustiado. Marinho tentou o chute a gol e sentiu uma contusão muscular e pediu para ser substituído. O Santos perdia seu melhor jogador.

Mal começou o segundo tempo e houve um pênalti infantil, desnecessário, inacreditável de Wesley em Kaio Jorge. Na cobrança de escanteio, aos cinco minutos, o palmeirense agarrou pela camisa, sem a menor necessidade, o santista.

Luiz Flávio de Oliveira marcou com correção.

Kaio Jorge bateu muito forte, no canto direito de Weverton. Sem chance de defesa. 2 a 2.

Marcelo Fernandes sabia da necessidade de vitória. E adiantou a marcação e colocou mais correria. O que resultou em uma perigosa pressão. Não só para o Palmeiras, mas para o próprio Santos, desgastado também com os jogos pela Libertadores.

O Santos criou e despediçou chances.

Marcos Leonardo acertou a trave direita de Weverton. Angelo obrigou o goleiro palmeirense a trabalhar muito. Cruzando, chutando a gol.

Mas o cansaço chegou ao time santista.

O que foi ótimo para o Palmeiras encaixar contragolpes.

E aos 32 minutos veio o mais mortal deles.

Zé Rafael fez ótimo lançamento para Viña, que invadiu pela esquerda e cruzou rasteiro. Rafael Elias não alcança, a bola chega até o coringa Lucas Esteves, livre, estufar as redes santistas. 3 a 2, Palmeiras.

Willian marcou gol primário. Cabeceou escanteio na primeira trave, sem marcação

Willian marcou gol primário. Cabeceou escanteio na primeira trave, sem marcação

Cesar Greco/Palmeiras

O Santos partiu para o desespero.

Porque além da eliminação sabia que lutaria contra o rebaixamento.

O Palmeiras recuou ainda mais e conseguiu travar o adversário.

Vitória que conserva a equipe de Abel Braga no Paulista.

Mas que o obriga a vencer a Ponte Preta e torcer para o Corinthians não perder para o Novorizontino, para continuar no Estadual.

E fez com que os santistas, já eliminados do Paulista, tenham de lutar para não passarem a vergonha do rebaixamento.

Contra o franco atirador São Bento...

Caras e bocas no salto ornamental chamam atenção em evento-teste

Últimas