Cosme Rímoli Medo. E Sylvinho usa Renato Augusto e Giuliano como escudos

Medo. E Sylvinho usa Renato Augusto e Giuliano como escudos

Treinador faz com que os dois participem de coletivo hoje no Corinthians. Para acabar com a pressão pela fraca campanha, Sylvinho os quer contra o Santos no domingo. Mesmo sem ritmo de jogo. Serão seus escudos

  • Cosme Rímoli | Do R7

Renato Augusto e Giuliano. Mesmo sem ritmo. Técnico os quer contra o Santos no domingo

Renato Augusto e Giuliano. Mesmo sem ritmo. Técnico os quer contra o Santos no domingo

Rodrigo Coca/Corinthians

São Paulo, Brasil

Ter escapado da goleada contra o Flamengo não teve o efeito que Sylvinho esperava.

Muito pelo contrário.

A revolta pela maneira medrosa que o Corinthians, jogando, em casa, se posicionou diante do rival carioca, foi enorme.

Perder 'só' por 3 a 1 não serviu para amenizar as profundas críticas ao seu trabalho.

Grupos de conselheiros e chefes das organizadas, que sustentam Duilio Monteiro Alves no poder, estão insatisfeitos. Cobram o presidente.

A queixa foi a mesma, apesar de o elenco corintiano ser limitado, não aceitam o Corinthinas tão escalado e postado para perder 'de pouco'.

E a insatisfação com o trabalho do treinador já é grande. Nas suas 16 partidas já acumula seis derrotas, quatro empates e só quatro vitórias.

Com o time jogando sem padrão, instável, sem a definição tática.

O presidente Duilio Monteiro Alves e o diretor Roberto de Andrade combinaram com Sylvinho, que o restante de 2021 seria apenas para acertar a equipe. Buscar a base de um time para 2022, quando o clube, que deve mais de R$ 1 bilhão, poderá investir, com o novo acordo pelo pagamento do estádio. Ficando com parte da bilheteria.

O 'máximo' que a dupla pode fazer é contratar jogadores sem clubes como Renato Augusto e Giuliano. E com grande chance de ter Roger Guedes. E só.

17 jogadores já foram dispensados.

A meta é não passar de R$ 12 milhões como folha de pagamento. Atualmente é de R$ 11,2 milhões já calculados os salários de Renato Augusto e Giuliano.

Renato Augusto. Oito meses sem jogar. Mas o Corinthians de Sylvinho precisa dele

Renato Augusto. Oito meses sem jogar. Mas o Corinthians de Sylvinho precisa dele

Rodrigo Coca

O clube segue na 11ª colocação no Brasileiro. No meio da tabela, onde Sylvinho e os dois dirigentes que comandam o futebol sabiam que o Corinthians ficaria em 2021.

Só que o trio não contava com a irritabilidade dos conselheiros, das organizadas, dos torcedores, da imprensa. Duilio Monteiro Alves tenta controlar a revolta. Não quer perder parceiros no poder.

E, de repente, Giuliano e Renato Augusto se transformaram no grande escudo de Sylvinho. 

O meia-atacante está pronto para estrear no domingo, contra o Santos, de Fernando Diniz, na Vila Belmiro.

Só que ele não joga desde 25 de abril, no 0 a 0 entre Basaksehir e Alanyaspor, pelo Campeonato Turco. Há exatos três meses e oito dias. Está sem ritmo.

Ele foi à Itaquera ontem. E viu o Corinthians jogando como time pequeno contra o Flamengo, na derrota por 3 a 1. Perdendo e seguindo atuando na defesa.

Sylvinho o quer em campo.

Giuliano também deseja atuar.

Só que ele precisa saber que a cobrança será além do normal. Duilio e Roberto de Andrade tem passado para conselheiros que o Corinthians mudará com a entrada do meia-atacante. O que ninguém pode garantir.

Sylvinho resolveu forçar também a participaçãode Renato Augusto no domingo. Apesar de o meia de 33 anos não atuar desde dezembro, há oito meses. E também enfrentar histórico de lesões.

"São atletas que estão incorporando o time, de muita qualidade e experiência. Momentos diferentes, o Giuliano já está treinando um pouco mais na frente do Renato, só a semana e o campo que vão dizer o quanto estão preparados para os próximos jogos", disse o treinador, após a derrota de ontem.

Ele tentou disfarçar, mas há a pressa para que ambos entrem em campo, já no domingo.

O clima é tão ruim para Sylvinho, e a falta de reação da equipe, que o treinador fez questão que Renato Augusto participasse hoje de um coletivo, com os atletas que não atuaram ontem. Giulano também estava no treinamento, lógico.

A grande presença, no entanto, foi a do presidente Duilio acompanhando o coletivo.

Ele sabe o quanto apostou em Sylvinho e o prejuízo político que seria a demissão do técnico.

Eliminado da Sul-Americana, da Copa do Brasil, o time terá toda a semana para se preparar para o clássico.

Sylvinho sentiu a pressão. Nasceu no Corinthians. Daí querer Giuliano e Renato Augusto em campo

Sylvinho sentiu a pressão. Nasceu no Corinthians. Daí querer Giuliano e Renato Augusto em campo

Rodrigo Coca/Corinthians

E o foco será na dupla. Sylvinho os quer na Vila Belmiro.

Como escudos para tanta cobrança.

O treinador também percebeu.

Não há como Duilio e Roberto de Andrade manter o que prometeram, estabilidade até 2022.

'Nascido' no Parque São Jorge, como jogador, o treinador sabe o quanto as vitórias do time são importantes para manter a paz na diretoria.

E que técnico do Corinthians não fica empregado por acordo.

Ou o time começa a render, a equipe atuar com mais coragem, ou o seu cargo ficará realmente em perigo. 

Daí, o foco desesperado em Giuliano e Renato Augusto.

Tudo que não pode acontecer no domingo é outra derrota.

Com o Corinthians atuando outra vez como time pequeno.

Passando vergonha como contra o Flamengo...

Corredora tropeça, cai na pista, se levanta e vence prova em Tóquio

Últimas