Cosme Rímoli Gabigol é acusado de fraudar exame antidoping. Pode pegar quatro anos de suspensão. Flamengo desiste de negociar renovação

Gabigol é acusado de fraudar exame antidoping. Pode pegar quatro anos de suspensão. Flamengo desiste de negociar renovação

O atacante não cumpriu os protocolos de um exame antidoping de surpresa no Flamengo, em abril. A denúncia foi feita ontem. Ele corre o risco de ser suspenso por até quatro anos. Flamengo trava conversa sobre renovação

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gabigol é denunciado por tentativa de fraude no exame antidoping. Conversas de renovação pararam

Gabigol é denunciado por tentativa de fraude no exame antidoping. Conversas de renovação pararam

RUANO CARNEIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO — 03.12.2023

São Paulo, Brasil

O processo de tentativa de antecipação de renovação com Gabigol foi travado.

A inesperada e fortíssima denúncia de que o jogador tentou fraldar um exame antidoping de surpresa, feito pela Justiça Desportiva Antidopagem, chacoalhou os bastidores da Gávea.

O caso ocorreu no dia 8 de abril, mas só foi denunciado oficialmente ontem.

O Flamengo e o jogador foram avisados que haverá o julgamento do atacante pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem. 

Gabigol será denunciado por infração ao artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem, que se refere a "fraude ou tentativa de fraude de qualquer parte do processo de controle". 

A pena máxima é de quatro anos!

O Flamengo foi notificado em maio.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

O escritório do advogado Bichara Neto tratou de defender o jogador.

Mas sua defesa não foi o suficiente para evitar a denúncia.

O que aconteceu?

No dia 8 de abril, foi feito um exame-surpresa no Ninho do Urubu, concentração do Flamengo. As amostras de urina dos atletas começaram a ser recolhidas às 8h40.

Todos os jogadores colaboraram.

Menos Gabigol.

O exame tem de ser feito com um representante antidopagem para ser validado.

Gabigol se recusou a fazer o exame antes do treinamento. O ideal é duas horas sem ter praticado exercício nenhum. O jogador treinou. Almoçou. Desprezou os fiscais. E depois pegou um vaso coletor, foi para o banheiro. Reclamou veementemente que um fiscal o estivesse acompanhando.

E depois devolveu o vaso coletor aberto, o que já é irregular.

O tempo a mais de Gabigol também é considerado uma irregularidade.

Horas podem ser importantes para uma substância desaparecer do corpo, alegam especialistas.

Ou seja, a atitude de Gabigol é passível de julgamento.

E de punição.

Gabigol recebeu a denúncia por "tentativa de fraude", no dia 30 de maio.

O departamento jurídico do clube tentou repassar a culpa aos fiscais.

Mas a argumentação não foi aceita.

O escritório do advogado Bichara Neto se envolveu na questão, mas ela evoluiu e se tornou uma acusação formal.

O procurador de Justiça Desportiva Antidopagem, João Guilherme Guimarães Gonçalves, foi claro na denúncia.

"A própria tentativa de esconder a sua genitália no momento da coleta de urina configura uma tentativa de fraudar uma fase do exame."

O atacante respondeu à acusação à imprensa, em nota oficial.

"O jogador do Flamengo vem a público confirmar que o exame foi realizado e o resultado apurado já deu negativo. Diante de tal informação, não há nada que possa ferir ou infringir as normas protocolares. Reiteramos que, em nenhum momento, o atleta tentou fraudar o exame.

"Seguimos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

"Att, estafe Gabigol e família."

A resposta foi dada ao GE.

A situação de Gabigol está longe de ser confortável.

Há substâncias que só são flagradas no início da manhã.

Como o hormônio do crescimento.

Ele tinha de ter feito o teste logo antes do treinamento.

O que o jogador fez pode ser interpretado como sabotagem ao exame antidoping.

Os próximos passos?

Gabigol terá de apresentar sua defesa.

Ou ao Tribunal de Justiça Antidopagem ou à Corte Arbitral de Esporte, na Suíça, já que é considerado um jogador "internacional" por ter atuado na seleção brasileira.

O risco de suspensão é muito sério.

Daí a direção do Flamengo não mais seguir na negociação para a antecipação de renovação do contrato do jogador, que pedia R$ 54 milhões de luvas e mais R$ 2,8 milhões para ficar na Gávea até dezembro de 2028.

O julgamento no Brasil não foi marcado.

O estafe do jogador e o Flamengo ainda estudam o que fazer para defender o atleta.

Tratar de renovação, não...

Gabigol: acusação de fraudar exame antidoping é só a nova polêmica do atacante; veja outras

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas