Cosme Rímoli Flu encarou e quase surpreende o favorito Fla. 1 a 1 na decisão

Flu encarou e quase surpreende o favorito Fla. 1 a 1 na decisão

O Fluminense teve muita obediência tática e esperou o Flamengo cansar. Depois de tomar um grande sufoco, tomou o controle do jogo. Empate justo no primeiro jogo da decisão do Carioca

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gabigol marcou. E deu a falsa ilusão de vitória do favorito. No fim, o justo empate

Gabigol marcou. E deu a falsa ilusão de vitória do favorito. No fim, o justo empate

André Fabiano/Estadão Conteúdo

São Paulo, Brasil

A rivalidade não pode ser desprezada, jamais no futebol.

Mesmo com elenco muito mais limitado do que o milionário Flamengo, o Fluminense conseguiu se superar e conseguiu empatar o primeiro jogo final da decisão do Campeonato Carioca.

1 a 1 justo.

Com a decisão ficando para o próximo sábado.

"Nós queremos jogar, queremos bola rolando. Toda hora querem parar, dialogar, de 45 minutos acabamos jogando 20. Isso favorece ao Fluminense que joga no contra-ataque. Espero que o segundo jogo seja mais corrido", desabafou Filipe Luís, reclamando da arbitragem.

"Sabíamos que seria um jogo disputado, que eles tentariam ganhar no grito, ganhar antes de o jogo começar. Mas viemos preparador para isso. Sabemos que, se acreditarmos até o final, temos toda chance de ser campeões. Não tenho dúvida. Eles não vão ganhar na briga. Temos que jogar concentrados por 90 minutos . E o segundo jogo será assim também", desabafou Nino, após o empate.

O time de Roger Machado mostrou enorme aplicação, conseguiu segurar a pressão intensa que o Flamengo impôs em todo o primeiro tempo. Tomou apenas um gol, em uma bobagem de Egídio, que deu uma solada desnecessária de Egídio em Gerson. 

Foi necessária a intervenção do VAR, já que o árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus havia marcado falta.

O árbitro de vídeo evitou a injustiça.

Gabigol cobrou com sangue frio e marcou.

Rogério Ceni queria definir o título, a busca do bicampeonato carioca hoje. Por isso, manteve a marcação alta, adiantada, para marcar uma grande vantagem. Mas Roger Machado montou seu 5-4-1 fixo, com muita vibração, pegadas, faltas táticas, que evitavam trocas de passe em velocidade. 

Foi um sufoco.

Mas o Fluminense conseguiu evitar o pior.

Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, mais pressão. Só que o Flamengo não conseguiu ampliar.

O Flamengo acabou cansando.

Com destaque para Everton Ribeiro, Isla e Arrascaeta, que foram muito mal. 

Aí, o Fluminense tomou conta do jogo.

E apelando para bolas esticadas, conseguiu empatar com o favorito.

Egídio conseguiu excelente virada de jogo, descobrindo Luiz Henrique livre, às costas de Pedro. A ajeitada de cabeça foi perfeita para Abel Hernández marcar.

1 a 1, aos 31 minutos.

Abel Hernández marcou, depois de ajeitada de Luiz Henrique. Ambos festejam

Abel Hernández marcou, depois de ajeitada de Luiz Henrique. Ambos festejam

Mailson Santana/Fluminense

O Flamengo cansado e irritado com o árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus, que não dava vantagem, e aceitava reclamações, perdeu a concentração.

E quase é derrotado.

Luiz Henrique aproveitou bobeada de zaga que estava desatenta, invadiu a área e, diante do goleiro Gabriel Batista, chutou para fora, aos 34 minutos.

Ele perdeu o gol mais fácil de todo o jogo.

A partir desse lance, os dois times diminuíram o ritmo.

E aceitaram o empate.

O pênalti de Egídio em Gerson. Lance que o VAR salvou a arbitragem

O pênalti de Egídio em Gerson. Lance que o VAR salvou a arbitragem

André Fabiano/Estadão Conteúdo

Os dois entrarão iguais para a decisão do próximo sábado.

O Flamengo favorito sentiu a garra do eterno rival.

Ao final da partida, clima pesado entre os dois times. Com direito a troca de palavrões entre jogadores e dirigentes. Fora o fato de a Federação Paulista ter liberado 150 convidados para cada clube. E o que se viu foi muita provocação, xingamento.

O clima tenso de sempre.

Marca registrada do Fla-Flu... 

Últimas