Cosme Rímoli Encurralada, Ferj propõe solução salomônica para volta do Carioca

Encurralada, Ferj propõe solução salomônica para volta do Carioca

Para que não haja guerra na justiça, a Ferj proporá volta do Carioca na quinta, com o Flamengo. Os jogos de Flu e Botafogo ficariam para julho

  • Cosme Rímoli | Do R7

Flamengo segue sendo o clube mais radical. Exige a volta do Carioca na quinta

Flamengo segue sendo o clube mais radical. Exige a volta do Carioca na quinta

Flamengo

São Paulo, Brasil

Foram oito horas de discussão.

E desde os primeiros minutos já estava escancarada a divisão.

O presidente da Ferj, Rubens Lopes, controlava os votos dos oito clubes pequenos.

O Flamengo era o mais apressado, o clube que forçava o retorno imediato do Estadual. Já se escalando para jogar nesta quinta-feira, dia 18, contra o Bangu.

A necessidade de colocar o elenco mais caro do país em campo, mostrar sua força para atrair patrocinador master, fazer de vez a Globo aceitar sua  proposta e pagar caro pelos últimos jogos do Carioca.

Pouco importa que nove dos seus  jogadores tenham sido infectados pelo coronavírus. E seu massagista de 40 anos, Jorginho, morrido pela doença.

O Vasco seguiu na mesma direção. Atolado em dívidas, salários atrasários, vendendo jogador fundamental, Marrony, por 10% do que sonhava, para não perder atletas na justiça.

Defendeu arduamente a volta imediata.

Se prontificou a enfrentar o Macaé, no sábado, dia 20.

Pouco importando que 16 dos seus atletas tenham sido diagnosticados com a doença

O que Rubens Lopes, Rodolfo Landin e Alexandre Campello jamais esperariam era a postura firme, radical do presidente do Fluminense, Mario Bittencourt e Nelson Muffarej.

Mesmo com os dois clubes vivendo crises financeiras, eles se recusaram a voltar a jogar na próxima segunda-feira, dia 22.

Exigiram o retorno do Estadual apenas em julho, se a pandemia permitir.

E avisaram estarem dispostos a buscarem na justiça o direito de não entrar em campo, e não serem punidos com WO.

Veja mais: Salários atrasados. E, agora, calote que foi parar na Fifa. Corinthians

Seus times não estão sequer treinando.

Rubens Lopes disse que daria mais tempo aos dois clubes. Para que fizessem seus exames, treinassem. E que só jogassem depois do dia 22.

Mesmo assim, Bittencourt e Muffarej se mantiveram firmes.

Não querem expor seus jogadores.

O máximo que aceitam e fazer os exames e fazer seus elencos voltarem a treinar.

Entrar em campo, valendo três pontos, só em julho.

O presidente da Federação Carioca insistiu.

Disse que permitiria cinco substituições por conta do fraco estágio físico de todas as equipes, como autoriza a Fifa.

E lembrou o quanto os clubes precisam do dinheiro, da última cota de transmissão da Globo.

O clima foi tenso desde as 17 horas. As conversas empacaram, travaram. E como se esperava, a diretoria do Flamengo foi a mais radical.  Repetia que ela seguiria a vontade da maioria do Conselho Arbitral.

E se Fluminense e Botafogo não quisessem jogar, que não jogassem.

O Carioca tinha de seguir.

Mas Rubens Lopes é inteligente.

Ele sabe que, neste momento de exceção que o mundo vive, pela pandemia, os advogados do Fluminense e do Botafogo têm enorme chance de conseguir travar o Estadual na Justiça.

Veja mais: Estádio do Maracanã, templo do futebol, completa 70 anos

O Rio de Janeiro é um dos lugares mais impactados pela pandemia no Brasil. Até ontem foram registrados 80.946 casos com 7.728 mortos.

Dado ainda mais preocupante.

É o estado com maior taxa de letalidade: 9,55%.

Diante do impasse e de oito horas e meia de reunião, Rubens Lopes percebeu que ninguém mudaria de posição. E que a irritação já dominava os dois lados

Mario Biittencourt ameaça ir para a Justiça, caso o Flu sofra WO

Mario Biittencourt ameaça ir para a Justiça, caso o Flu sofra WO

Fluminense

O rompimento radical seria pior.

O vivido presidente da Ferj resolveu adiar para hoje o encerramento do Conselho Arbitral.

As diretorias de Fluminense e Botafogo juram que irão procurar a justiça, caso seus jogos sejam mantidos para os dias 22 e 26, como estava previsto.

A saída para Lopes é seguir com o Carioca, a  partir de quinta-feira com o jogo do Flamengo, e deixar as partidas de Fluminense e  Botafogo para o início de julho.

Seria uma decisão salomônica.

Para fugir da justiça, do caos.

É esta a proposta que será avaliada hoje à noite.

Veja mais: Após três meses, maioria dos clubes do Brasileiro já voltou aos treinos

A prefeitura do Rio já antecipou que atuoriza os jogos. Desde que todos os envolvidos nas partidas estejam testados.

E que os confrontos aconteçam sem público.

 A Globo garante: assim que os jogos voltarem, pagará a última parcela que deve aos clubes pela transmissão.

E ainda negocia, a toque de caixa com a direção do Flamengo.

Quer mostrar seus últimos jogos no Carioca.

É a única equipe com quem não tem acordo.

Mas vai esperar a importantíssima conclusão do Arbitral, hoje à noite.

A expectativa é a volta do Carioca...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Veja casa onde Neymar passa fim de quarentena na França com amigos

Últimas