Cosme Rímoli Corinthians jamais teve dinheiro para Gabigol. Interesse foi cortina de fumaça para Melo. Desejo real é Talisca e Pedro de La Vega

Corinthians jamais teve dinheiro para Gabigol. Interesse foi cortina de fumaça para Melo. Desejo real é Talisca e Pedro de La Vega

O blog já havia publicado desde o dia 23 de dezembro, o interesse do Corinthians por Gabigol foi uma cortina de fumaça para a posse de Augusto Melo como presidente. Realidade é busca por Pedro de La Vega. Sonho: Talisca

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gabigol se aproveitou do 'interesse' do Corinthians. Foi valorizado. Ele sabia que não iria ao Parque São Jorge

Gabigol se aproveitou do 'interesse' do Corinthians. Foi valorizado. Ele sabia que não iria ao Parque São Jorge

Flamengo

São Paulo, Brasil

No dia 23 de dezembro, a nota principal do blog publicou uma notícia com interessante manchete.

"Corinthians, com dívida de R$ 1,6 bilhão, 'desiste' de Gabigol.

"Acusação de ele ter fraudado exame antidoping é a desculpa perfeita."

Na prática, o Corinthians mergulhado em dívidas, que Augusto Melo herdou do grupo comandado por Andrés Sanchez, jamais teve condições de contratar Gabigol.

Não pelas condições normais da negociação.

A multa do jogador para o exterior é de R$ 30 milhões de euros, cerca de R$ 161 milhões. Era esse valor comentado entre conselheiros ligados a Melo.

Mas o presidente Rodolfo Landim sabia de outra cláusula pouco divulgada no contrato. Para evitar assédios inesperados de clubes ricos como Palmeiras e Atlético Mineiro, a rescisão a clubes brasileiros é de nada menos que R$ 700 milhões.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Landim também não queria ficar marcado como o presidente que negociou o principal ídolo atual da Gávea.

O negócio já nasceu morto, inviável.

Melo sabia que o 'interesse' renderia manchetes favoráveis, especulações, sinônimo de ousadia para o novo presidente corintiano.

Seu estafe levou o quanto pôde a 'notícia'. Até que ontem, o Corinthians 'desistiu' oficialmente do jogador. Já que o Flamengo não quis fixar preço. E muito menos emprestá-lo.

Para Gabigol foi ótimo esse 'interesse'.

O atleta, que fez sua pior temporada pelo Flamengo, acabou valorizado, cobiçado. E sua oferta para seguir na Gávea segue valendo: R$ 54 milhões de luvas para renovação de contrato até 2028. E aumento de salário, de R$ 2,1 milhões para R$ 2,5 milhões.

Conselheiros ligados a Melo entraram em contato com Róger Guedes, que está no Al Rayyan, do Catar. A resposta foi firme. "Sem a mínima chance de retorno neste ano ao Parque São Jorge."

Roberto Firmino, no Al-Ahli, da Arábia, também não vai jogar no Corinthians. Ele recebe cerca de R$ 10 milhões mensais, só ganhando menos que Cristiano Ronaldo e Neymar.

Anderson Talisca é outro velho sonho. Seu contrato com o Al-Nassr termina este ano. Aos 30 anos, seu salário é de R$ 3,7 milhões. E tem compromisso com sua equipe até 2026.

Melo adoraria um atacante midiático.

Mas está muito difícil.

Pedro de la Vega. Jovem artilheiro do Lanús. Atacante aprovado por Mano. Mas negocia com os EUA

Pedro de la Vega. Jovem artilheiro do Lanús. Atacante aprovado por Mano. Mas negocia com os EUA

Lanús

Ajustado à realidade, Mano Menezes sugeriu o jovem atacante do Lanús, o argentino Pedro de La Vega. Ele gostou muito dos vídeos do jogador. Só que seu valor é muito alto: 7 milhões de dólares, R$ 34 milhões.

O Seattle Sounders da Liga dos Estados Unidos já negocia o atleta. A chance do time paulista é remota.

Mas Mano não abre mão da chegada de um artilheiro.

Ele não quer depender de Yuri Alberto.

Mano se cansou dos gols desperdiçados. Do fraco futebol de Yuri Alberto

Mano se cansou dos gols desperdiçados. Do fraco futebol de Yuri Alberto

Reprodução/Instagram

O jogador se tornou uma grande decepção desde que chegou ao Parque São Jorge.

Só não foi negociado porque não surgiram interessados,

Pelo menos a especulação sobre Gabigol acabou de vez...

Gabigol: acusação de fraudar exame antidoping é só a nova polêmica do atacante; veja outras

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas