Cosme Rímoli Com Ceni, Gabigol revive. Os dois levam o Fla à final do Carioca

Com Ceni, Gabigol revive. Os dois levam o Fla à final do Carioca

O entrosamento entre Ceni e Gabigol está cada vez maior. Contra o Volta Redonda, ontem, no Maracanã, mais dois gols e uma assistência. Mais uma final dos dois

  • Cosme Rímoli | Do R7

O abraço entre Rogério Ceni e Gabigol. Respeito e admiração crescem dos dois lados

O abraço entre Rogério Ceni e Gabigol. Respeito e admiração crescem dos dois lados

Reprodução/Carioca

São Paulo, Brasil

"Primeiro, que eu trabalho com ele todos os dias."

"Ele gosta de [treinar] finalização. Às vezes, trabalho isoladamente com ele com 15 ou 20 bolas no fim do treino para fazer porque ele já tem esse talento e aprimorando é a única maneira de evoluir. Onde ele vai chegar é onde os desejos, onde os sonhos, onde ele estiver disposto a se entregar."

"Acho que ele já está em um lugar fantástico e pode progredir cada vez mais com gols, histórias e títulos. Fiquei muito feliz hoje de poder vê-lo como capitão do time, apesar de ser jovem e um cara mais extrovertido."

"Mas levou com seriedade, teve um discurso bacana, teve uma postura boa dentro de campo. Fiquei muito feliz pelos gols dele e pelo resultado, pela maneira que ele se comportou."

A declaração pública de admiração foi de Rogério Ceni a Gabigol, depois de nova vitória diante do Volta Redonda, pela semifinal do Carioca.

Depois de 3 a 0 no estádio do Volta Redonda, o Flamengo goleou por 4 a 1, no Maracanã.

7 a 1 nos resultados agregados.

E está na final do Carioca de 2021.

Os placares não mostraram apenas a diferença técnica, tática e física entre os dois times.

Mas a seriedade com que o Flamengo encarou o Estadual.

Michel agradece a assistência do capitão Gabigol. Atuação decisiva contra o Volta Redonda

Michel agradece a assistência do capitão Gabigol. Atuação decisiva contra o Volta Redonda

Marcelo Cortes/Flamengo

E na busca do tricampeonato carioca, Rogério Ceni revive com Gabigol um velho costume que o acompanhou nos 25 anos que jogou no São Paulo.

O treinamento à parte, o não exigido pelo treinador.

"Eu chegava sempre antes dos demais e era o último a ir embora. Treinei muito. Eram de 2.500 a 3 mil faltas por mês. Antes de colocar em prática num jogo, treinei mais de 15 mil faltas", dizia, sério, Rogério Ceni, há dez anos.

Na época, a fisiologia, a biomecânica e a medicina esportiva não estavam tão avançados. Se estivessem mostrariam o quanto é prejudicial esse exagero.

Ceni sempre foi perfeccionista, obcecado em melhorar.

Por isso, ao notar o esforço de Gabigol, em voltar a se firmar como o artilheiro do Brasil, o treinador o está estimulando a treinar a mais, como ele mesmo fazia. Daí a melhora no aprimoramento das finalizações.

Daí mais dois gols ontem. 

O atacante chegou a 81 gols e 26 assistências em 112 jogos pelo Flamengo.

Em 2021, são 11 gols em dez partidas.

Gabigol tem aprimorado finalizações com Rogério Ceni. Foram mais dois gols ontem

Gabigol tem aprimorado finalizações com Rogério Ceni. Foram mais dois gols ontem

Reprodução/Twitter Maracanã

Só Diego Souza, do Grêmio e Pedro Perotti, da Chapecoense têm um a mais, 12 gols.

Rogério Ceni também aproveitou a partida contra o Volta Redonda para dar a faixa de capitão ao jogador.

E ficou claro seu controle. O quanto reclamou menos da arbitragem. Estimulou companheiros, deu assistência para o gol de Michael. Teve uma ótima atuação.

A parceria entre Gabigol e Ceni está cada vez maior.

Como quando o treinador o substituiu aos 26 minutos do segundo tempo, o jogador fingiu reclamar e deu um abraço no treinador.

Muito compenetrado na partida, Ceni retribuiu, mas logo voltou sua atenção à partida.

O entrosamento entre os dois é muito grande. 

E a admiração mútua está crescendo.

"Eu tenho aprendido muito com ele. O Rogério Ceni é um espelho para nós. Está sempre no CT trabalhando. Ele já ganhou tudo. E nos passa sua experiência. Ele está aqui para nos ajudar. E nós estamos para ajudá-lo", resume Gabigol.

A parceria está afinada.

E levou o Flamengo a outra final.

Desta vez do Carioca 2021...

Nem Messi, nem Neymar: Conheça o jogador mais rico do mundo

Últimas