Andrés empolgado. Tiago Nunes escapou da reunião com Petraglia

Ele acreditava que a reunião de ontem seria definitiva. Como o técnico não renovou com o Athletico, as chances dele trabalhar no Corinthians aumentam

Thiago Nunes na comemoração da Copa do Brasil

Thiago Nunes na comemoração da Copa do Brasil

Athletico Paranaense

São Paulo, Brasil

O grande medo de Andrés Sanchez não se concretizou.

O presidente do Corinthians temia que, a grande influência de Mauro Celso Petraglia, fosse determinante e Tiago Nunes renovasse ontem seu contrato com o Athletico Paranaense.

Petraglia foi o homem que apostou na efetivação do treinador gaúcho, o apoio quando a diretoria queria um nome mais forte, mais vivido na vaga do então demitido Fernando Diniz, em 2018.

A proposta atleticana foi apenas maior no tempo de contrato: dois anos. O Corinthians o quer por um ano, trauma por conta de Jair Ventura, jovem treinador que fracassou em 2017.

Mas o time paranaense propôs menos dinheiro. Tiago ganha atualmente R$ 200 mil. Petraglia ofereceu R$ 350 mil. Valorização de quase o dobro. Alegou a realidade financeira do clube. Estipulou multa.

E deixou nas suas mãos um plano para aumentar ainda mais o potencial da equipe tendo como meta a conquista da Libertadores. 2020 e 2021 seriam anos com o foco total na maior competição da América do Sul.

Com Tiago, o Athletico já venceu a Copa Sul-Americana em 2018 e a Copa do Brasil em 2019.

Petraglia queria a resposta ainda ontem. E pressionou o treinador para que aceitasse.

Ele conseguiu sair da reunião, na qual participou também Paulo André, o diretor de futebol athleticano também foi jogador do Corinthians, e sabe da normal instabilidade no Parque São Jorge. Bem diferente da serenidade na Arena da Baixada, graças à mão forte de Petraglia.

Mas Tiago Nunes pediu um tempo para pensar. Analisar o que será melhor para ele. Situação que teria irritado Petraglia. Ele exigiu a definição em outra reunião marcada, a princípio, para hoje.

Veja mais: São Paulo, um clube refém de Daniel Alves

A direção corintiana se animou por Petraglia não ter dobrado Tiago Nunes. A esperança só aumentou. O clube ofereceu R$ 600 mil mensais ao técnico. Um ano de contrato apenas, por conta do final de mandato de Andrés. Mas abriu a possibilidade dele levar dos profissionais fundamentais no seu trabalho: o auxiliar Evandro Fornari e o preparador físico Túlio Flores.

E também há a promessa de contratrar reforços significativos, importantes para a próxima temporada.

Mas o que mais seduz Tiago é a liberdade prometida por Andrés para uma profunda reformulação no elenco e na filosofia de trabalho no Corinthians, o clube mais popular de São Paulo e o segundo do Brasil.

Andrés ainda teme o poder de convencimento de Petraglia. Sabe que a decisão não está tomada por conta de Tiago. Mas ele fez sua parte, de acordo como sabia que o treinador desejava. Como o blog antecipou ontem, mandou embora o preparador físico Walmir Cruz Leandro Silva, o Cuca, e Fabinho, ex-volante do clube, e Denis Luup, analista de desempenho.

Petraglia ofereceu dois anos de contrato para Tiago continuar no Athletico

Petraglia ofereceu dois anos de contrato para Tiago continuar no Athletico

Reprodução/Twitter

O coordenador Emerson Sheik alega ter pedido demissão, mas na verdade, foi forçado a pedir porque não ficaria no Corinthians. 

Andrés deixou o caminho da profunda reformulação aberta para Tiago Nunes. A postura animou o treinador gaúcho. Ele sabe que tem a chance de implantar seu método moderno de trabalho no Corinthians.

Mas Andrés tem de se precaver, em caso de reviravolta, Tiago ceda à pressão de Petraglia. Renato Gaúcho já foi sondado. É uma contratação mais difícil, mais cara. Porém possível.

Há ainda os defensores de Roger, treinador do Bahia. Sua vinda seria muito mais fácil. Só que as passagens por Grêmio, Palmeiras e Atlético Mineiro, nos momentos decisivos, foram bem fracas.

Sylvinho está quase descartado, por rejeição dos conselheiros que apoiam Andrés. A preferência é por Tiago Nunes.

Veja mais: Inter, Corinthians, Atlético esperam. Tiago só sai se Petraglia deixar

Coelho seguirá como técnico interino, até a definição do novo treinador.

Como Carille havia ironizado, o Corinthians quer pagar sua multa de R$ 3,8 milhões como um 'carnê das Casas Bahia', ironiza Andrés. Em várias e várias parcelas...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Neymar volta a treinar em campo após quase um mês de fisioterapia