Cosme Rímoli Abraçado a cães, Bruno recomenda canil. A crueldade não tem limite

Abraçado a cães, Bruno recomenda canil. A crueldade não tem limite

A PM mineira acredita que Bruno mandou matar Eliza Samudio. E dar o corpo para cachorros comerem. Agora ele faz propaganda de canil. Repugnante

  • Cosme Rímoli | Do R7

Bruno sorridente com os cachorros. Assustador deboche

Bruno sorridente com os cachorros. Assustador deboche

Reprodução Instagram

São Paulo, Brasil

Uma atitude perversa.

Deboche assustador.

Pura crueldade.

Todas as milhares de críticas nas redes sociais se justificam.

Se Bruno buscava empatia, apoio para seu retorno ao futebol, depois de ser condenado a 22 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio, pode esquecer.

A articulação da morte de Eliza, ex-modelo com quem teve um filho, já foi fria, calculista. 

O requinte de crueldade de Bruno e seus cúmplices foi não revelar até hoje, dez anos depois da morte, onde esconderam o corpo de Elisa.

"Tudo que eu queria é ter ao menos o direito de visitar minha filha no cemitério. Mas esse assassino até isso me nega", desabafa a mãe de Elisa, Sonia da Silva Moura.

A própria Polícia Militar mineira, que trabalhou na investigação do crime, tem uma terrível desconfiança. 

A de que Elisa foi morta e seu corpo, cortado em pedaços.

E dado para cachorros comerem.

Em 2013, o próprio Bruno admitiu.

Veja mais: Exclusivo: ‘Sociedade quer castigo ao goleiro Bruno’, lamenta advogada

Foi o terrível desfecho do assassinado.

O corpo levado a um canil, esquartejado e dado a cães para deixarem indícios de Eliza.

Como a legislação brasileira é complacente, apesar de condenado a 22 anos, Bruno já cumpre regime semiaberto. Pode até jogar futebol, depois de 'apenas' dez anos do assassinato.

Mas a sociedade tem pressionado com protestos e ameaças a patrocinadores. E clubes desistiram de ter o jogador.

A complacente justiça deste país permitiu que Bruno trocasse Minas Gerais pelo Rio de Janeiro.

E Bruno treina desejando a volta ao futebol.

Criou uma conta no Instagram.

Onde tenta mudar sua imagem.

Veja mais: Segredos do caso Eliza Samudio, assassinada pelo goleiro Bruno

Lá já fez propagandas de luvas de goleiro.

Está sem trabalhar.

E a publicidade é um caminho para conseguir renda.

Só que Bruno não poderia ser mais ofensivo.

Tomou atitude repulsiva.

Mãe  de  Eliza. "Não posso nem ir ao cemitério. Bruno é um monstro. Psicopata"

Mãe de Eliza. "Não posso nem ir ao cemitério. Bruno é um monstro. Psicopata"

Reprodução Twitter

Ao lado de cachorros, recomendava um canil.

De forma efuziva.

"Ontem tive o grande prazer de conhecer um canil incrível da raça do meu filho Booba. American Bully.

"Queria agradecer a @friendsbullkennel pela receptividade e parabenizar pelos lindos animais que vocês tem lá!!

"Essas da Foto são Estrela e Cristal, e também levei meu Boobinha pra conhecer novos amigos e brincar bastante!!

"Encontro muito produtivo!!”

Veja mais: Justiça autoriza goleiro Bruno a se mudar para Arraial do Cabo, no Rio

Lógico que a situação remetia ao que houve com o corpo de Elisa Samudio.

A autora de novelas Gloria Peres, foi das mais revoltadas.

"Bruno fazendo propaganda de um canil. É um deboche."

O ex-goleiro do Flamengo está sendo massacrado nas redes sociais.

Diante das reações, Bruno tentou se justificar.

A recomendação de Bruno ao canil. Cena de filme de terror

A recomendação de Bruno ao canil. Cena de filme de terror

Reprodução Instagram

"Não faço propaganda do canil, mas também não veria problema algum em fazer! Amo animais! Aos sensacionalistas de plantão, tomem nota aí que estão sem notícias e precisam de algo novo para divulgar, tenho um casal de shitszus, um americam bully e uma calopsita."

"Só para esclarecimento: um dos cachorros é meu e eu fui ao canil de amigos para fazer uma visita e aproveitei para levá-lo! Quem quiser acreditar em imprensa ou em blog de fofoca, fiquem à vontade! Desnecessário é eu deixar de postar o que quero por conta de ilusionismo de terceiros."

Bruno fez questão de deixar sua fotos com os cachorros, em frente ao 'incrível canil'.

Cada vez mais o ex-goleiro dá mostras de uma frieza assustadora.

E aumenta sua rejeição.

Há dez anos, Sonia da Silva Moura lamenta.

"Bruno não deixou nem o corpo da minha filha.

"É um monstro.

"Ele é um psicopata..."

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Cobrança de torcedores afastou volta de Bruno após morte de Eliza

Últimas