Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rimoli Copa 2018
Publicidade

A revolta do 'Foguetinho'. Willian encara os críticos

Jogador acha que foi injustiçado por jornalistas, não entendiam a permanência no time. A culpa era de Tite. "Mas não preciso provar nada a ninguém"

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Com arrancadas e dribles, Willian parecia outro jogador contra o México
Com arrancadas e dribles, Willian parecia outro jogador contra o México Com arrancadas e dribles, Willian parecia outro jogador contra o México

Samara, Rússia!

"Olha, eu vou ser bem sincero. Por tudo que conquistei na minha vida, não preciso dar satisfação de nada. Não preciso provar nada a ninguém. As pessoas podem criticar, falar e escrever o que quiserem, não me interessa. Sei o que eu posso fazer em campo. O meu técnico e os meus companheiros também sabem. O resto não tem a menor importância para mim."

Acabou a doçura de Willian. Pelo contrário. A excelente atuação contra o México foi a senha para desabafar, colocar para fora o que considerava injustiça. As críticas por uma participação mais efetiva no ataque, como faz no Chelsea. Não o jogador burocrático, inseguro, diante da Suíça, Costa Rica e Sérvia.

"Muita gente fala de futebol sem entender. É isso que irrita. O meu papel estava cumprindo, exatamente como foi combinado com o Tite. A minha função era compor o lado direito, cooperar fechando o espaço dos adversários. Eu tinha de fechar o lado direito e era o que fiz. Contra o México, já foi bem diferente. Porque pude jogar como estou acostumado. Mas não vou ter de ficar explicando para que não consegue compreender futebol."

Publicidade

Willian encarava os jornalistas com raiva, rancor. Ele e sua família estavam muito magoados com a insistente cobrança a Tite do fraco futebol de Willian. O técnico tem um enorme carinho pelo jogador. E para defendê-lo no time titular valia tudo. Até batizá-lo de foguetinho. Pelas arrancadas com a bola dominada, em velocidade, diante dos zagueiros.

E esssa jogada estava sumida.

Publicidade

Até ontem. 

Contra o México, tudo foi muito diferente. Tite sabia que Osósio esperava o Brasil atacando pela esquerda, com Neymar e Coutinho. Foi quano Willian teve liberdade para jogar como gosta. Flutuando. Ou seja, não precisava mais ficar grudado na ponta direita como um jogador de pebolim, preso.

Publicidade

Solto, ele pôde cortar pela diagonal, atacar pelo meio, atraindo a marcação, liberando o corredor para Fagner. Mas teve também o seu dia de showman na arena de Samana. Os dribles curtos que rasgavam a área mexicana, desmontavam o sistema defensivo de Osório. Pelo nada inesperado. Com Willian bem, a direita, setor desprezado brasileiro, passava a atormentar também os rivais.

"O ajuste que fizemos no time para que ele pudesse mostrar seu grande e eficiente futebol foi claro. O Willian passou a flutuar", detalhou o auxiliar Silvinho.

Como flutuação se entenda a discreta passagem de Philippe Coutinho para a direita, enquanto Willian cortava para o meio. A marcação mexicana ficava desarmada, tensa, tentando entender o que estava acontecendo.Teve enorme responsabilidade na vitória.

Atuando dessa maneira, irreverente, confiante, que fez o Chelsea gastar R$ 120 milhões ao Anzhi Makhachkala, em 2013. E recusar R$ 250 milhões há uma semana do Barcelona. O time catalão promete insistir e oferecer mais dinheiro.

"Eu sei o meu pontencial. E o que estou fazendo nesta Copa do Mundo. Eu, o Tite e os meus companheiros. Muita gente que estava defendendo a minha saída do time não estava nem ao menos percebendo o que estava acontecendo. 

"Sou uma pessoa que aprendeu que o importante é o futebol coletivo. O time rendendo tudo o que pode para conseguir vencer. E para isso, alguém sempre terá de ser sacrificado. Guardar posição. Ter um comportamento tático para que venham as vitórias. Tem hora de jogar, aparecer. E outra de cumprir um papel tático. Só enxerga quem conhece futebol."

Willian demonstrou toda a mágoa que acumulou com as críticas no início da Copa.

E mesmo sem ser um jogador polêmico, cobrou seus detratores.

Estava com raiva.

Mas teve a coragem de encarar os jornalistas.

E mostrar o que pensa, seu ponto de vista.

Jogador de elite mundial tem de ser assim.

Precisa de personalidade.

Melhor para Tite.

Excelente para a Seleção...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.