Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Brasil será sede do Mundial de ginástica rítmica pela primeira vez na história

A 41ª edição da competição, em 2025, será realizada no Rio de Janeiro

Mais Esportes|Do R7

Brasil será sede do Mundial de ginástica rítmica
Brasil será sede do Mundial de ginástica rítmica Brasil será sede do Mundial de ginástica rítmica

O Brasil brilhou nos Jogos Pan-Americanos de Santiago, no Chile, ao garantir o ouro em todas as disputas da ginástica rítmica. Poucos dias depois do grande feito, foi oficializado, nesta quinta-feira (23), que o país será sede, pela primeira vez, do campeonato mundial da categoria. A 41ª edição, em 2025, será realizada no Rio de Janeiro.

"Agora é oficial. A Confederação Brasileira de Ginástica recebeu da Federação Internacional de Ginástica a confirmação de que o Comitê Executivo da entidade suprema do esporte no planeta decidiu dar ao Brasil o direito de sediar a 41ª edição do Mundial de Ginástica Rítmica", anunciou a CBG.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Esportes no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Assine a newsletter R7 em Ponto

Publicidade

"A resposta chega nove dias depois de o Brasil ter formalizado o seu pleito, protocolando o pedido junto à FIG. A CBG recebeu o apoio do Governo Federal, por meio do Ministério do Esporte e da Secretaria Geral da Presidência. O evento está previsto para transcorrer em agosto de 2025."

"Brasileiros e brasileiras, tenho uma ótima notícia para compartilhar com todos vocês. O Brasil foi escolhido para sediar o Campeonato Mundial de Ginástica Rítmica de 2025. E a cidade escolhida para receber esse evento é a cidade maravilhosa do Rio de Janeiro", anunciou o Ministro dos Esportes, André Fufuca, que não poupou elogios à seleção nacional.

Publicidade

"Nosso país se transformou em uma verdadeira potência da ginástica e agora estamos prontos para provar isso Ao mundo inteiro. Nossas ginastas têm feito coisas incríveis, elevando o patamar de elite do esporte", completou Fufuca.

Mesmo com os desfalques de Duda Arakaki e Déborah Medrado, a seleção nacional fez bonito em Santiago, onde conquistou 13 medalhas, sendo oito ouros, quatro pratas e um bronze, com brilho de Bárbara Domingos Galvão, a Babi, e Maria Eduarda Alexandre, no individual, além de Geovanna Santos, Gabriella Castilho, Vitória Borges, Giovanna Oliveira Silva e Nicole Duarte nas equipes.

Luciene Resende, a presidente da CBG, definiu a escolha como uma das maiores vitórias de sua gestão à frente da entidade, iniciada em 2009.

"Ao longo deste período de 14 anos, já obtivemos grandes conquistas, como medalhas olímpicas e de Mundiais de todas as cores. O Brasil se firmou primeiro como potência reconhecida da Ginástica Artística e esse mesmo processo se repete com a Ginástica Rítmica. Mas devo dizer que receber o direito de organizar, em solo brasileiro, me dá uma emoção diferente", disse.

"É o reconhecimento de que o Brasil é forte dentro do ginásio, mas também fora dele. Porque significa que a FIG está dando um aval à nossa capacidade de organização, de logística, de receber as melhores atletas do mundo da maneira como se deve, com hospitalidade", continuou, satisfeita.

"Hoje é dia de comemoração, mas só hoje. Amanhã já arregaçamos as mangas, porque nosso trabalho para organizar um evento memorável será extenso e árduo", finalizou.

Relembre cinco fatos curiosos dos Jogos Pan-Americanos de Santiago

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.