Rafael fala sobre saída do Cruzeiro e diz que está de consiência tranquila

O goleiro comentou de forma mais incisiva sobre a troca de clube e que deixou muita coisa para trás, mesmo a Raposa não cumprido várias promessas com ele

Lance

Lance

Lance

Após ser apresentado no Atlético-MG, o goleiro Rafael, ex-Cruzeiro, resolveu falar mais abertamente sobre a troca de clube, saindo da Raposa para o maior rival.

Rafael adotou um discurso mas incisivo, diferente da apresentação no Galo, quando foi mais político. A polêmica em torno do goleiro, de 30 anos, se deu, pois ele ficou 13 anos na Toca da Raposa, desde as categorias de base, sendo considerado o sucessor natural de Fábio.

A saída de Rafael do Cruzeiro aconteceu por via judicial, em uma rescisão intermediada na Justiça do Trabalho, aumentando ainda mais a polêmica da sua transferência.

O goleiro disse que a medida judicial foi tomada em função de a diretoria do Cruzeiro não ter cumprido coisas que foram ditas em reuniões.

-Sempre tentei resolver toda essa situação minha de forma amigável, de forma correta. Para isso, tive inúmeras reuniões, onde várias coisas ditas não foram cumpridas, que mudavam a todo tempo. Aí, infelizmente me vi na última situação, porque era uma decisão que eu já tinha tomado, de seguir a minha vida e poder buscar novos objetivos e novos sonhos. Eu já tinha 12 anos no clube e precisava de seguir, já que o clube já tinha feito a opção de seguir algumas linhas que conversaram comigo e não cumpriram- explicou em entrevista à Rádio 98FM.

Rafael diz ter consciência tranquila sobre sua saída, pois abriu mão de muitas coisa e deixou dinheiro para trás no acordo feito com a Raposa.

-As pessoas sempre julgam, falam que eu fui Judas, que eu sou mercenário, mas tenho a consciência muito tranquila. Na verdade, deixei muita coisa de dinheiro. Não foi por conta de dinheiro, foi uma questão profissional. Acho que é assunto passado. Não guardo mágoa, sigo minha vida, e vou ter muito tempo para mostrar que sou um cara correto. Com o tempo as pessoas vão ver que tomei a melhor decisão para minha carreira, para minha felicidade. Estou muito feliz com a decisão que eu tomei, com a oportunidade que estou tendo no Galo. Lisonjeado por isso, e agora é seguir trabalhando, sem mágoas e sem ressentimento, mas eu tenho certeza que com meu trabalho e minha pessoa a poeira vai baixando e as pessoas vão vendo que as coisas foram resolvidas da maneira correta-disse.

O goleiro falou mais abertamente da saída, se defendendo do rótulo de traidor que os cruzeirenses lhe colocaram. Rafael optou pelo silêncio, pois crê que o tempo traz a verdade dos fatos à tona.

- Nesse período eu preferi ficar calado, ficar na minha, escutando muitas coisas que talvez não fossem verdades. Toda história tem dois lados, e muitas vezes as pessoas não se colocavam no meu lugar para ver o que eu estava passando. Eu falo que quando a gente tem a consciência tranquila, a gente supera, e as coisas que não são verdades, a gente sabe que elas vão aparecer algum dia.

O goleiro já teve sua primeira chance no alvinegro, na vitória por 3 a 1 sobre o Villa Nova, no Campeonato Mineiro, no dia 14 de março.