Lance No retorno do surfe, Filipe Toledo leva título na piscina de ondas de Slater

No retorno do surfe, Filipe Toledo leva título na piscina de ondas de Slater

Título ao lado da havaiana Coco Ho veio contra Tati Weston-Webb e Kanoa Igarashi

Lance
Lance

Lance

Lance

O brasileiro FIlipe Toledo foi ao topo do pódio no retorno das disputas da Liga Mundial de Surfe (WSL) após a parada forçada pelo novo coronavírus. O paulista conquistou o título do ‘Michelob Ultra Pure Gold Rumble at the Ranch’, evento especial em duplas na piscina de ondas criada pelo americano Kelly Slater, ao lado da havaiana Coco. A dupla derrotou a parceria formada pela brasileira Tatiana Weston-Webb e o japonês Kanoa Igarashi.

Outro brasileiro na disputa, o campeão mundial Adriano de Souza ficou em terceiro lugar com a americana Caroline Marks.

No sábado, no “aquecimento” para o evento principal, Filipe já havia comemorado o primeiro lugar individual em duplas e garantiu a vitória com a maior nota, um 9,67, para somarem 16,24 (com o 6,57 da havaiana) contra 14,63 de Tati e Kanoa.

No total, foram 16 atletas competindo em duplas mistas. Entre eles, o próprio Slater, que foi superado por Filipe na semifinal. Cada atleta surfava duas ondas, uma para direita e uma para a esquerda, somando a sua maior nota em cada fase. Um grande esquema de segurança foi criado pela WSL, com testes do Covid-19 e isolamento antes das disputas.

- Estou amarradão. Foram dois dias irados. A gente teve a competição individual sábado e consegui levar. No domingo, nas duplas, a Coco quebrou também. A gente fez a final contra o Kanoa e a Tati, que também estavam surfando muito. Estou feliz de sair com a vitória. Primeiro campeonato depois de seis meses. Esse troféu vai para casa - vibrou Filipe, quarto melhor do Mundo no ranking Circuito Mundial em 2019.

Na primeira fase do evento, Filipe foi o primeiro a surfar na piscina e logo em sua primeira onda, uma direita, caiu no início, tirando apenas 1.17, mas depois se recuperou com um 7,67, para ele e Coco somarem 14.07 contra 11,34 dos americanos Kolohe Andino e Alyssa Spencer.

Na semifinal, Filipinho subiu o nível com um 8,93 e o placar foi de 15,96 sobre os 10.33 de Slater e Sage Erickson. Do outro lado, Kanoa e Tati também vinham surfaram muito bem, com direito a notas muito boas, como o 9,00 do japonês e o 7,93 da brasileira, a maior entre as mulheres.

Na finalíssima, Coco garantiu um 6,57 na direita e um 4,50 na esquerda, enquanto que Tati fez 7,43 e 7,07, mas Filipe não sentiu a pressão e fez uma onda quase perfeita, com direito a dois aéreos, um deles muito alto, assegurando a melhor nota dos juízes mais uma vez no Surf Ranch (assim como ocorreu na estreia do local) na direita e depois um 5.17 na esquerda. Faltava só Kanoa na onda, precisando de um 8,81, mas errou nas duas apresentações, com 1.33 e um 7.20.

- Agora é voltar para casa, curtir a família, meus filhos. Eu amo ser pai. Amo meus filhos, amo o carinho que recebo e amo dar carinho e amo minha esposa - declarou Filipe, falando em relação ao Dia dos Pais.

- Sobre as competições ainda é meio incerto o futuro, até quando sair uma vacina ou quando esse vírus acabar, mas assim que voltar, estarei com todo o gás, o medo de perder não passa pela cabeça, só a sede de vitória de poder ir lá fazer o melhor, de colocar a lycra e competir, que é o que eu amo fazer - completou.

Últimas