Mattia Binotto deixa Ferrari após 28 anos

Italiano esta no cargo de chefe de equipe desde janeiro de 2019 e rescinde contrato após gestão de altos e baixos

Lance
Lance

Lance

Lance

Fim de uma era na Ferrari. Depois de uma gestão de altos e baixos, Mattia Binotto não seguirá como chefe de equipe na temporada de 2023 da Fórmula 1 e deixa a marca italiana após 28 anos. A informação da saída de Binotto foi divulgada inicialmente pelo jornal italiano "La Gazzetta dello Sport", que inclusive, também informou que Frédéric Vasseur, atualmente no comando da Alfa Romeo, será o substituto.

Mattia Binotto tinha vínculo com a Ferrari até o fim de 2023, mas de acordo com informações da imprensa italiana, a decisão de rescindir o contrato teria partido do próprio Binotto, por causa da falta de confiança do presidente da Ferrari, John Elkann, em seu trabalho.

- Com o pesar que isso acarreta, decidi concluir minha colaboração com a Ferrari. Saio de uma empresa que adoro, da qual faço parte há 28 anos, com a serenidade que advém da convicção de que fiz todos os esforços para atingir os objetivos traçados. Deixo uma equipe unida e em crescimento, uma equipe forte, pronta para alcançar os objetivos mais elevados, para a qual desejo as maiores felicidades no futuro. Penso que é certo dar este passo neste momento tão difícil quanto foi, para mim, esta decisão. Gostaria de agradecer a todas as pessoas da Gestione Sportiva que dividiram comigo este percurso, feito de dificuldades, mas também de muita satisfação - disse Mattia Binotto por meio do comunicado oficial emitido pela Ferrari.

Binotti começou sua trajetória na Ferrari em 1995, ainda como estagiário. Anos depois, ganhou destaque como engenheiro e chegou ao cargo de chefe de motor em 2009. Já em 2016, o italiano assumiu a função de diretor-técnico no lugar de James Alison. Em janeiro de 2019, Binotto substituiu Maurizio Arrivabene como chefe de equipe.

Últimas