Lance Fortaleza promove tradução de entrevistas em libras durante quarentena

Fortaleza promove tradução de entrevistas em libras durante quarentena

Pioneiro na presença de um tradutor de Libras em coletivas, Leão do Pici continua investindo na inclusão, mesmo com a ausência durante paralisação de campeonatos

Lance
Lance

Lance

Lance

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Fortaleza tem emitido sonoras e comunicados referentes a medidas adotadas pelo clube. Para que as mensagens tenham um alcance ainda maior entre seus torcedores, o tricolor compartilha vídeos de seu intérprete oficial de Libras, Crystomberg Silva, traduzindo esses comunicados, para possibilitar que os torcedores surdos também tenham acesso às informações.

Crystomberg detalha como vem realizando esse trabalho e a repercussão entre a torcida: 'Com a chegada da pandemia do Coronavírus, percebemos que os torcedores surdos não puderam acompanhar as manifestações dos profissionais do clube. Informações importantes, como as decisões tomadas pelos dirigentes, e também para saberem como está a rotina dos atletas. A repercussão junto à comunidade surda torcedora do Fortaleza tem sido muito positiva'.

A iniciativa começou em 2018, durante uma homenagem ao ex-lateral do clube, Chiquinho, por meio do projeto “Leão 100”. Após esse evento, o tricolor de aço adotou como uma rotina, nos anos de 2019 e 2020, a presença de intérprete em todas as entrevistas coletivas e apresentações de reforços.

O segundo vice-presidente do clube, Dr. Rolim Machado, elogia a ação e explica a importância dessa comunicação com a comunidade surda: “A permanência dessa visão inclusiva busca quebrar paradigmas e eliminar rótulos relacionados as barreiras linguísticas. A difusão da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), reconhecida como segunda língua oficial do país pela Lei n° 10.436 de 24 de abril de 2002, é uma forma de respeitar o acesso a comunicação à comunidade surda”, destaca o dirigente.

No início do campeonato brasileiro de 2019, o Fortaleza era a única equipe da Série A do Brasileiro que realizava esse tipo de ação. Na segunda divisão, o Paysandu também realizou esse serviço.

Seguindo as orientações do Ministério da Saúde e do Governo do Estado do Ceará, como forma de prevenção ao avanço da Covid-19, o clube interrompeu todas as suas atividades até segunda ordem e somente aqueles setores cuja natureza da função permite a realização de home office seguem funcionando.

Últimas