Futebol Torcedores que xingaram Aranha estão proibidos de frequentar estádios por 720 dias

Torcedores que xingaram Aranha estão proibidos de frequentar estádios por 720 dias

Clube gaúcho também foi julgado e acabou eliminado da Copa do Brasil

Torcedores que xingaram Aranha estão proibidos de frequentar estádios por 720 dias

Não foi só o Grêmio que acabou punido na tarde desta quarta-feira (3) pelo STJD por conta de ofensas ao goleiro Aranha, do Santos, na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Os torcedores identificados pelos xingamentos racistas também receberam uma pena e estão proibidos de frequentar os estádios brasileiros por 720 dias.

Gremista acusado depõe: "Fui confundido"

Grêmio e Santos fariam o jogo de volta das oitavas de final da competição nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, mas ao invés disso, representantes dos dois times estiveram na sede do STJD, no Rio de Janeiro, para acompanhar o julgamento dos incidentes envolvendo o goleiro Aranha.

O árbitro da partida, Wilton Pereira Sampaio, também foi julgado pelo STJD, assim como seus assistentes Kléber Lúcio Gil e Carlos Berkenbrock, e o quarto árbitro Roger Goulart. Wilton Pereira por não ter relatado na súmula do jogo o acontecido com Aranha e seus auxiliares por não terem falado ao árbitro os xingamentos por parte da torcida gremista.

Wilton Pereira defendeu-se da acusação alegando que não escutou nada e, que se tivesse conhecimento dos xingamentos, teria suspendido a partida. Quando ficou sabendo do incidente, ao chegar ao hotel, resolveu fazer um adendo ao STJD:

— Chegando ao hotel, junto com minha equipe de arbitragem, fiquei assustado com as reportagens sobre a questão e, para não passar em branco, fiz o adendo sobre o ocorrido.

No fim, os auditores do processo votaram e optaram pela suspensão por 45 dias do árbitro Wilton Pereira Sampaio, além de R$ 800 de multa. Os auxiliares e o 4º árbitro receberam 30 dias de gancho e multa de R$ 500.